Atualizando
Abrindo...
Menu

1 de dez. de 2020

Ilusões românticas

Ilusões românticas
Por Sarah Chana Radcliffe

Romance é maravilhoso, não é?

Pena que termina pouco tempo após o casamento!

Obviamente, e Torá adverte contra essa prática; o namoro deveria durar 120 anos. Infelizmente, a Torá enfrenta uma difícil competição com os jornais de hoje, revistas filmes e mídias sociais. A mensagem da sociedade moderna é: “Você merece um par perfeito e se o seu não se encaixa nessa descrição, então dispense-o e tente novamente.”

A taxa de divórcio em cidades grandes está em torno de 60% e nas menores, mais “orientadas pela família”, por volta de 50%. Um número substancial de pessoas avalia seus cônjuges insatisfatoriamente. Seria possível que as suas expectativas estão desalinhadas com a realidade?

Bases Para Divórcio

O Judaísmo permite o divórcio. Está ali como uma ferramenta para cura de toxicidade conjugal. Presume-se que todos ou quase todos os casamentos serão desafiantes, de alguma forma dolorosos, bastante dolorosos às vezes, desapontando, aborrecendo, ferindo e tornando-se difíceis.

O divórcio judaico não foi criado para abordar o sofrimento no casamento mais do que o suicídio é tolerado para abordar o sofrimento em viver. O divórcio judaico é para aquele pequeno número de casamentos que sofrem de falhas fatais como violência conjugal intratável ou repulsão sexual ou emocional (nenhuma dessas é uma “falha fatal” quando reage ao tratamento). Na verdade, a maioria dos comportamentos irritantes de seu cônjuge não se qualifica como “falhas fatais”.

Imperfeição Humana Personificada

Seu cônjuge é uma “imperfeição humana personificada.” Você também é, mas aquilo provavelmente não incomoda tanto a você. Em qualquer evento, se seu cônjuge se engaja em qualquer um dos comportamentos seguintes, ele ou ela está dentro das possibilidades normais, desagradáveis de personalidade:

  • Fala desrespeitosa ou ofensivamente
  • Comportamentos negligentes, desatentos ou irresponsáveis
  • Falta de atenção
  • Falta de auto-cuidado
  • Desrespeito pelos seus sentimentos
  • Formas fracas de comunicação
  • Formas fracas de atenção
  • Formas fracas de audição
  • Formas fracas de paternidade
  • Alocação inadequada de recursos como tempo ou dinheiro
  • Questões de humor
  • Inseguranças, ansiedades, temores e fobias
  • Questões de fúria
  • Negatividade, excessivamente crítico, exigente
  • Imaturo, impulsivo
  • Controlador, egoísta, sem consideração
  • Não agradável em qualquer outra maneira

Pessoas imperfeitas se casam e têm filhos. Talvez não deveriam, mas o fazem. Na verdade, como não há pessoas perfeitas, provavelmente é melhor para a raça humana que eles o façam. Em qualquer evento, você casou com um e você é um, portanto não fique surpreso quando seu cônjuge desaponta você num milhão de maneiras diferentes. Ajude seu cônjuge a melhorar mas, acima de tudo, ajude a SI MESMO a lidar com isso.

Leia livros e matérias sobre o assunto, assista aulas, busque conselhos e reze; faça tudo o que estiver ao seu alcance para levar a você mesmo, seu cônjuge e seu casamento a um nível mais alto. A menos que você esteja lidando com uma “Falha Fatal” Certificada na Torá, então o divórcio não pode ser considerado parte da sua solução. O divórcio restringe o processo de crescimento, (por outro lado, se seu cônjuge se divorcia de você, por outro lado, então isso é parte do plano Divino de D'us para sua vida e uma grande parte do seu processo de crescimento.)

Vivendo Com Seu Bashert

D'us conhece intimamente você e a pessoa a qual você escolheu para se casar. Seu cônjuge é, na verdade, seu “bashert” – a alma escolhida para acompanhar sua alma na jornada da vida: seu parceiro espiritual, sua outra metade – está ali para ajudar você a desenvolver SEU potencial.

O basher da pessoa não é necessariamente alguém com quem você se sente bem, é muito mais que isso. Ele ou ela pode irritar você aos poucos até você tornar-se mais tolerante, paciente ou compreensivo. Ele ou ela pode ferir seus sentimentos constantemente até você aprender a se amar mais. Ele ou ela pode criticar até você aprender a ser assertivo. Ele ou ela pode ignorar você até que aprenda a se erguer e lutar por aquilo que deseja. Em outras palavras – se você não aprovou minha pressão – seu cônjuge, mesmo através de seu mau comportamento, pode ajudar você a aperfeiçoar seu caráter, corrigir erros e atingir aquilo que de outra forma você jamais teria atingido. Esse, na verdade, é um dos propósitos do casamento – nos ajudar a crescer.

Quando Vem a Parte Boa?

À medida que você se desenvolve em tudo aquilo que pode ser, adivinhe o que acontece? Seu cônjuge melhora! Seu casamento melhora. Sua vida melhora. O amor romântico é dado como um presente de D'us no início do casamento para nos mostrar aquilo que seremos capazes de atingir mais tarde como um resultado dos nossos próprios esforços individuais.

Coloque seu compasso na direção certa mantenha o curso. Trabalho duro no casamento é a norma. Mas a recompensa é comensurada com o esforço.


Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Coisas Judaicas se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e amigos. Você pode apoiar o Coisas Judaicas via PayPal ou na Vaquinha virtual . 
Veja como: 


SHARE THIS

Author:

O Coisas Judaicas cobre uma das partes mais complicadas e controversas do mundo, o Estado de Israel. Determinado a manter os leitores totalmente informados e capacitá-los a formar e desenvolver suas próprias opiniões, o Blog existe de 2005 e sempre procuramos dar a nossos leitores noticias e opiniões avalizadas. Sobre Israel, a região e o mundo judaico.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos