22 de nov. de 2020

Etihad retira do ar vídeo promocional por intolerância contra Israel

Assista ao vídeo promocional sobre Israel banido pela Etihad após polêmica religiosa.

A companhia aérea Etihad Airways foi obrigada a remover um vídeo promocional sobre seu mais novo destino, Israel, depois que grupos muçulmanos criticaram a abordagem dada a ele. O vídeo já foi banido das aeronaves da empresa aérea, mas pode ser visto abaixo (espere carregar).  

Embora o vídeo se refira a Tel Aviv, cidade para onde os voos ocorreriam, a empresa árabe coloca, no canto superior esquerdo, uma ilustração do que seria o Segundo Templo, localizado na capital de Israel, Jerusalém.

Sugerir uma visita a Jerusalém não seria um problema, já que a cidade também é considerada sagrada para os muçulmanos, assim como é para os judeus e cristãos. No entanto, a imagem no vídeo promocional se referia diretamente ao Segundo Templo, que substituiu o Templo de Salomão, mas, igual a este, foi destruído posteriormente.

O tamanho do rolo

Ambos os templos foram erguidos pelo povo judaico sobre a rocha sagrada (Monte Moriá), onde Abraão teria oferecido seu filho Isaque em sacrifício, o qual não foi consumado por vontade de Deus. Para os muçulmanos, nesse mesmo lugar teria acontecido a oferta de Ismael, o filho que Abraão teve com sua serva Agar, além de ser o local de onde o profeta Maomé ascendeu ao paraíso para falar com Deus.

Apenas por esse parágrafo acima, é possível ter uma ideia do rolo envolvido sobre esse lugar e como é difícil uma resolução pacífica.

Pois bem, após a destruição do Segundo Templo pelos romanos e após a conquista da região pelos muçulmanos, foi construído no mesmo lugar a Mesquita de Al-Aqsa e o Domo da Rocha (a emblemática cúpula dourada que ilustra quase todas as fotos de Jerusalém). Sob o domo, está a rocha sagrada citada acima.

Vídeo banido

Como o desenho no vídeo fala do templo judaico, que não existe mais e foi “substituído” por uma mesquita muçulmana, muitos árabes ficaram revoltados porque seria uma empresa árabe negando a história do seu povo.

Outras pessoas teriam apontado a situação como “validação do roubo de terras por Israel” ou “video cheio de imprecisões históricas”. De qualquer maneira um mal estar foi gerado numa relação já delicada entre países árabes e Israel, que vinham mostrando um avanço com o início de voos entre os países vizinhos além da autorização de sobrevoo de aeronaves israelitas em alguns países árabes.


Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Coisas Judaicas se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e amigos. Você pode apoiar o Coisas Judaicas via PayPal ou na Vaquinha virtual . 
Veja como: 


SHARE THIS

Author:

O Coisas Judaicas cobre uma das partes mais complicadas e controversas do mundo, o Estado de Israel. Determinado a manter os leitores totalmente informados e capacitá-los a formar e desenvolver suas próprias opiniões, o Blog existe de 2005 e sempre procuramos dar a nossos leitores noticias e opiniões avalizadas. Sobre Israel, a região e o mundo judaico.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos