-->
Ultraortodoxos só vão parar de  violar as restrições se o governo mexer no bolso deles

Ultraortodoxos só vão parar de violar as restrições se o governo mexer no bolso deles

Ultraortodoxos só vão parar de  violar as restrições se o governo mexer no bolso deles


Manifestantes ultraortodoxos entram em confronto com a polícia em Jerusalém por causa das regras de bloqueio ( Foto: AFP )


Opinião: A aplicação policial dos regulamentos de mitigação do coronavírus na comunidade Haredi provou ser inútil, mas possíveis reduções no financiamento do estado podem ser muito mais eficazes não apenas agora, mas também no futuro
Ron Ben-Yishai|

É inútil criticar a polícia pela aplicação inadequada das restrições ao coronavírus no setor ultraortodoxo. 
Essas violações e reuniões em massa são feitas intencionalmente e apaixonadamente por várias partes da comunidade, com o apoio e incentivo de seus rabinos mais velhos, tanto por um senso de supremacia moral e religiosa quanto como uma provocação contra o estado secular. 
A verdadeira aplicação não é realista, pois a polícia teria de espalhar suas forças até o ponto de colapso e usar meios questionáveis ​​em países democráticos. 
A aplicação das regras de bloqueio não é apenas difícil no setor Haredi, mas também dentro da comunidade árabe, entre os manifestantes anti-governo e para aqueles que querem apenas relaxar na praia. 
No entanto, nesses outros casos, trata-se principalmente de violações cometidas por um punhado de pessoas que não contam com o apoio dos líderes locais, causando uma taxa de morbidade paralela.  
Ultraortodoxos só vão parar de  violar as restrições se o governo mexer no bolso deles


A comunidade ultraortodoxa, no entanto, é o setor com maior número de pacientes com COVID, por larga margem. De acordo com dados divulgados na terça-feira, quase metade de todos os pacientes idosos com coronavírus são ultraortodoxos.

A propagação da infecção dentro da comunidade não foi deliberada, mas aconteceu devido à arrogância e um completo desprezo pela realidade que foram legitimados por líderes religiosos seniores. 
Como resultado, não apenas os ultraortodoxos estão pagando o preço por sua conduta irresponsável, mas também o público inteiro, em mais de um sentido. 
O governo e as autoridades responsáveis ​​pela aplicação da lei se vêem impotentes diante desse fenômeno, e toda pessoa sensata sabe que esse comportamento deve ser restringido, mas como? 
Ainda há uma opção a ser testada que pode funcionar para mudar o comportamento da comunidade Haredi sem a necessidade de bloqueio, toque de recolher ou policiamento agressivo. 
A resposta pode ser sanções econômicas. Uma retirada seletiva e gradual dos bilhões de shekels em ajuda anual financiada pelo estado e subsídios para as instituições da comunidade: yeshivas, kollels, grupos de estudo bíblico e até mesmo sinagogas e micvê com financiamento público.
Qualquer rabino e seu rebanho, movimento hassídico ou yeshiva que violasse as regras do coronavírus teriam seu financiamento público negado.  
O governo tem o direito moral e o dever de alavancar esse apoio para limitar esse comportamento rebelde ou pelo menos apresentar às autoridades haredi um dilema muito real. 
Até hoje, a comunidade tem se comportado como quer, ignorando o governo e o público em geral. Se o fluxo de dinheiro parar, eles e seus líderes terão que pensar duas vezes.
Reuniões de massa em yeshivas ou sinagogas, por exemplo, levariam a uma redução parcial do financiamento para essas instituições. 

E se essas violações continuarem, todo o orçamento poderá ser cortado. 

Em casos extremos, as sanções podem se tornar mais pessoais. Um estudante da yeshiva que violasse as regras do coronavírus perderia parte ou todo o seu estipêndio estadual, uma multa que se mostraria muito mais eficaz do que qualquer multa policial.

Entre os membros rebeldes da comunidade Haredi também existem muitos movimentos, judeus hassídicos e instituições que não recebem financiamento do Estado, então o que dizer deles?
Nesses casos, as sanções podem ter como alvo dinheiro doado do exterior. Tal esforço poderia ser tecnicamente desafiador, mas sua simples existência seria um impedimento eficaz.
Alguns podem apontar os judeus seculares que violam as restrições, que vão a festas ilícitas ou vão à praia com seus amigos e familiares e perguntam se eles também perderiam seus benefícios para crianças financiados pelo Estado e reduções de impostos. 
Se a realidade atual e as taxas de contágio fossem diferentes, poderia ser uma possibilidade. Mas a taxa de infecção entre os ultraortodoxos é muito mais disseminada e perigosa.

Eu não sou ingênuo. Sei que tal medida tem muitos obstáculos jurídicos e constitucionais e, principalmente, interesse político a superar. Também estou bem ciente de que, do ponto de vista do Primeiro-Ministro Benjamin Netanyahu e do Ministro da Defesa Benny Gantz, tais sanções equivalem a suicídio político.
Mas a pandemia não está nem perto do fim e devemos manter essas sanções em nosso bolso. 
Essas medidas podem ser uma solução não violenta para muitos outros desafios entre os setores mais rebeldes da comunidade ultraortodoxa, como o alistamento nas forças armadas. 
Israel não pode mais arcar com o ônus legal e a falta de governança decorrentes da autonomia sentida por muitas partes dos membros mais radicais da comunidade - e mesmo por aqueles menos extremistas. 
As sanções econômicas podem ser um método eficaz e menos doloroso de resolver esse problema. 

Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Coisas Judaicas se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e amigos. Você pode apoiar o Coisas Judaicas via PayPal ou na Vaquinha virtual . 
Veja como: 

Vaquinha Virtual: Vaquinha Virtual

0 Comentários "Ultraortodoxos só vão parar de violar as restrições se o governo mexer no bolso deles"

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos

Parceiro

Amazon

Adnow

loading...

Clube

loading...