-->
Palavras criam mundos - o poder da palavra e o perigo da cultura do cancelamento

Palavras criam mundos - o poder da palavra e o perigo da cultura do cancelamento

Palavras criam mundos - o poder da palavra e o perigo da cultura do negacionismo

A palavra pode criar um mundo e a palavra pode destruir um mundo.

Você sabia que Deus usou a fala para criar nosso mundo?

O Mishna em Masechet Avot no início do Capítulo 5 nos diz:

“ B'asara ma'amarot nivra haolam ,” - “O mundo foi criado com dez declarações.”

Esta é uma referência à Parashat de Bereshit desta semana, na qual em nove ocasiões diferentes a Torá diz: “E Deus disse que haja -” isto ou aquilo. Além disso, o versículo inicial de Bereishit de acordo com a Gemara também é uma declaração.

O Mishna está apontando que certamente Hashem poderia ter criado o mundo com uma declaração. Por que dez declarações? O Mishna dá a seguinte resposta: A fim de aumentar a recompensa para os justos que sustentam o mundo criado com dez declarações e para aumentar a punição para os ímpios que destroem o mundo criado desta forma.

O que acho intrigante é que o Mishna aponta que Hashem poderia ter criado o mundo com uma expressão como: "Que haja um mundo." Mas o Mishna poderia ter feito uma pergunta melhor.

Certamente Hashem não precisava de nenhuma declaração! Deus é todo poderoso! Ele pode apenas pensar : “Haja um mundo”, e o mundo surgirá!

É claro que Hashem queria nos mostrar o poder da fala. A fala pode criar um mundo e a fala pode destruir um mundo.

Na verdade, descobrimos como a fala é poderosa, levando o rei Salomão no livro de Mishlei (Provérbios) a declarar:

“ Chaim v'mavet b'yad halashon ,” - “A vida e a morte estão nas mãos da língua.”

O grande comentarista Ibn Ezra divide todos os mandamentos da Torá em três categorias:

  • Mitzvot asei - os mandamentos práticos que requerem ação,
  • Mitzvot halev - mandamentos do coração que requerem contemplação, pensamento, crença, sentimentos e
  • Mitzvot hapeh - os mandamentos orais - numerosas mitzvot que são cumpridas através de nós, dizendo algo ou desistindo de dizer algo.

Além disso, muitas das mitzvot asei, os mandamentos práticos são introduzidos por uma declaração, uma bracha (bênção), destacando para nós o quão crucial é o que dizemos.

Por meio de nossas palavras, podemos ser mekadesh shem shamayim - podemos santificar o nome de Deus neste mundo, ou Deus nos livre, pelo que dizemos, também podemos ser mechalel shem shamayim - podemos profanar o nome de Deus. Podemos trazer kedusha - santidade acrescida - a este mundo por meio de nossas declarações orais e, ao mesmo tempo, podemos destruir.

Estamos vivendo em um mundo em que, de forma preocupante, há uma tendência cada vez maior de as pessoas tentarem demonizar as outras. Em vez de se envolver em um machloket lesheim shamayim - um argumento pelo bem do céu - onde você aborda a questão ao invés da pessoa que a pronuncia, agora há uma tendência de tentar anular essa pessoa, de denegrir seu nome, de enfrentar o indivíduo e tentar destruir essa pessoa.

Com o próprio Hashem, aprendemos como a fala deve ser usada para propósitos construtivos e positivos.

Afinal, Deus criou nosso mundo por meio da palavra. Portanto, vamos nos esforçar para estar sempre entre os justos que sustentam o mundo por meio do que dizemos.


Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Coisas Judaicas se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e amigos. Você pode apoiar o Coisas Judaicas via PayPal ou na Vaquinha virtual . 
Veja como: 

Vaquinha Virtual: Vaquinha Virtual

0 Response to "Palavras criam mundos - o poder da palavra e o perigo da cultura do cancelamento"

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos

Parceiro

Iklan Tengah Artikel 1

Adnow

loading...

Clube