-->
 Knesset ainda não deu a aprovação final para o bloqueio

Knesset ainda não deu a aprovação final para o bloqueio

      

A emenda destinada a permitir um bloqueio mais rígido e repressão a protestos e orações definha no comitê em meio a regatear sobre a redação final.
Knesset ainda não deu a aprovação final para o bloqueio

Com menos de sete horas pela frente até que novas limitações abrangentes, destinadas a conter um surto de coronavírus descontrolado, entrem em vigor, os legisladores do Knesset ainda não chegaram a um acordo sobre as regras finais após uma discussão durante toda a noite sobre a implementação de restrições controversas na manhã de sexta-feira.

Na quinta-feira, os ministros decidiram apertar drasticamente o bloqueio nacional já existente, removendo isenções, fechando quase todos os negócios não essenciais e reprimindo protestos e reuniões de oração.

A medida aparentemente inclui limites que vão além do que o gabinete está autorizado a impor pela legislação aprovada no início deste ano e, portanto, deve ser acompanhada pela aprovação do Knesset de uma emenda à lei existente que rege as restrições ao coronavírus.

Os legisladores apressaram a medida em sua primeira leitura na noite de quinta-feira e enviaram a medida ao comitê de Constituição, Lei e Justiça, onde ainda estava definhando desde as 5h30, enquanto os membros discutiam sobre várias cláusulas.

O novo bloqueio está definido para entrar em vigor às 14h e mesmo sem um Knesset aprovado, a maioria das medidas estará coberta. No entanto, planos para limitar viagens para protestos não serão incluídos, entre outras diretrizes possíveis que estão fora da autoridade do gabinete.

De acordo com a emissora Kan, os legisladores também podem descartar os planos para uma emenda que permitiria o fechamento das sinagogas, que estavam programadas para serem fechadas por causa do bloqueio para todos os dias, exceto Yom Kippur.

Knesset ainda não deu a aprovação final para o bloqueio
Legisladores no Comitê de Constituição, Lei e Justiça discutindo as regras
do coronavírus
na madrugada de 25 de setembro de 2020. (captura de tela: TV Knesset)
De acordo com as novas regras, quase todos os negócios serão fechados, com exceção de empresas e fábricas específicas designadas como “essenciais” pela Autoridade Nacional de Emergências do Ministério da Defesa. A decisão isenta supermercados e farmácias do fechamento e permite que os restaurantes trabalhem apenas com entrega em domicílio.

As diretrizes também colocam limites polêmicos aos protestos, que só são permitidos em cápsulas socialmente distantes de 20 pessoas cada. Além disso, viajar mais de um quilômetro para chegar a um protesto será proibido.

As reuniões de oração também estão sendo severamente restringidas. Os ministros votaram quinta-feira para proibir todas as orações internas nas sinagogas, com exceção do Yom Kippur, quando grupos de 10 serão permitidos dentro. As orações ao ar livre serão limitadas a 20 pessoas cada durante o período de confinamento.

Quase todo o transporte público será fechado, assim como as últimas instituições de ensino ainda abertas - principalmente programas de educação especial e pré-escolas particulares.


Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.



0 Comentários " Knesset ainda não deu a aprovação final para o bloqueio"

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos

Parceiro

Amazon

Adnow

loading...

Clube

loading...