Trump  mudou a embaixada dos EUA para Jerusalém por causa dos evangélicos     O presidente Donald Trump disse na segunda-feira (17) que sua decisão de transferir a embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém e reconhecer a cidade como capital de Israel foi por causa dos evangélicos.


“Mudamos a capital de Israel para Jerusalém”, disse Trump em um comício realizado na cidade de Oshkosh, em Wisconsin. “Isso é para os evangélicos”.
“Você sabe o que é incrível com isso? Os evangélicos estão mais animados com isso do que o povo judeu”, disse ele sob aplausos da multidão.
Os EUA reconheceram oficialmente Jerusalém como capital de Israel em dezembro de 2017 e inauguraram sua embaixada na cidade em maio de 2018. A medida foi recebida com polêmica, tanto em Washington quanto no Oriente Médio.
Na época, Trump disse que a decisão foi tomada para promover os interesses dos EUA, pelo respeito à soberania de Israel e pela paz na região. Os palestinos, que reivindicam Jerusalém Oriental como a capital de seu futuro Estado, cortaram os laços com Washington.
A decisão, porém, foi celebrada pela maioria dos evangélicos, que encaram a mudança da embaixada para Jerusalém como o cumprimento de uma profecia bíblica.
Falando ao New York Times, o embaixador dos EUA em Israel, David Friedman, disse que os evangélicos “apoiam Israel com muito mais fervor e devoção do que muitos na comunidade judaica”.
Como os judeus enxergam o apoio dos evangélicos?
Rabinos israelenses também reconhecem esse apoio por parte dos cristãos. De acordo com o rabino Yehudah Glick, ex-membro do Knesset (Parlamento de Israel), Deus “pode usar Trump, pode usar os evangélicos ou pode usar os judeus para cumprir Seu propósito”.
“Não foi Trump quem decidiu mudar a embaixada. Hashem (Deus) decidiu que era hora de mover a embaixada e Trump foi o meio pelo qual Ele realizou isso”, disse Glick ao Breaking Israel News.
O rabino Nachman Kahana, fundador do Center for Kohanim, relaciona esta situação com os Salmos 126:2, que diz: “Até nas outras nações se dizia: ‘O Senhor fez coisas grandiosas por este povo’”.
“Muitas vezes, os não-judeus apontam as coisas incríveis que Hashem faz por nós, que nem mesmo percebemos”, disse Kahana. “Isso é o que estamos vendo nos EUA agora. Os não-judeus estão felizes porque Deus está agindo com amor para com os judeus”.
Por outro lado, o rabino nota a omissão dos judeus neste processo. “O povo judeu sofre de amnésia”, disse Kahana. “Esquecemos quem somos. Isso vem da tristeza, porque não temos mais orgulho”.
O rabino disse que essa falha afetou até mesmo os líderes judaicos. “Quando Trump anunciou que estava mudando a embaixada, onde estavam os rabinos?”, Kahana questionou. “Onde estão os rabinos que deveriam gritar noite e dia para que os judeus se arrependam, para que os judeus voltem para casa em Israel?”



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.