12 de ago. de 2020

Cientista israelense usa microbolhas para explodir células cancerosas

   Cientista israelense usa microbolhas para explodir células cancerosas  O ultrassom de baixa frequência estourou bolhas microscópicas injetadas nos tumores; explosão mata a maioria das células cancerosas circundantes.

 Uma equipe internacional de pesquisadores liderada por um cientista israelense desenvolveu uma tecnologia não invasiva para matar células de câncer de mama, uma inovação que no futuro talvez pudesse ser usada também para tratar doenças como câncer no cérebro, Alzheimer e Parkinson.

A técnica inovadora, desenvolvida por Tali Ilovitsh da Universidade de Tel Aviv durante seu período de pós-doutorado na Universidade de Stanford, usa ultrassom de baixa frequência para estourar bolhas microscópicas direcionadas ao tumor. Sua pesquisa foi publicada recentemente na revista Proceedings of the National Academy of Sciences .
“Microbolhas são bolhas microscópicas cheias de gás, com um diâmetro tão pequeno quanto um décimo de um vaso sanguíneo. Em certas frequências e pressões, as ondas sonoras fazem com que as microbolhas atuem como balões: as microbolhas se expandem e encolhem periodicamente e, assim, permitem uma maior transferência de substâncias do vaso sanguíneo para o tecido circundante ”, explicou Ilovitsh.

“Descobrimos que usar frequências mais baixas do que as aplicadas antes faz com que as microbolhas se expandam drasticamente até explodirem. Entendemos que essa descoberta pode ser usada como uma plataforma de tratamento de tumor e começamos a injetar microbolhas diretamente nos tumores. ”

Abordagem em duas frentes

A equipe de pesquisa injetou microbolhas em tumores em camundongos modificados. As microbolhas eram direcionadas ao tumor, o que significa que se fixaram nas membranas das células tumorais no momento da explosão.

“Cerca de 80 por cento das células tumorais morreram na explosão, o que já é positivo”, diz Ilovitsh. “O tratamento direcionado, que é seguro e barato, conseguiu destruir a maior parte do tumor.”

E ainda, para evitar que o câncer se espalhe, os pesquisadores precisaram destruir todas as células cancerosas.

“É por isso que injetamos um gene imunoterapêutico ao lado das microbolhas, que atua como um cavalo de Tróia e sinaliza ao sistema imunológico para atacar a célula”, disse Ilovitsh.

Este gene que alerta o sistema imunológico para um ataque normalmente não pode entrar nas células cancerosas. Introduzido pela explosão de microbolhas, ele conseguiu entrar nas células que não foram mortas pela explosão e sinalizar ao corpo que eram cancerosas.

“As células cancerosas foram atingidas pela explosão e, através dos orifícios que foram criados, o gene que inserimos nas microbolhas foi transferido para dentro. As células cancerosas que conseguiram se curar e se fechar absorveram o gene que as faz produzir uma substância que alerta o sistema imunológico para atacar a célula ”, explicou Ilovitsh.

“Na verdade, nosso modelo de camundongo tinha tumores em ambos os lados do corpo. Apesar de injetarmos microbolhas apenas no tumor de um lado, o sistema imunológico atacou também o outro lado ”, relata.

Ilovitsh pretende usar a tecnologia que ela desenvolveu como um tratamento não invasivo para doenças que causam danos cerebrais, como Alzheimer, Parkinson e tumores cerebrais.

“A barreira hematoencefálica não permite a passagem de medicamentos, mas as microbolhas podem se expandir e permitir uma abertura temporária da barreira, permitindo que o tratamento atinja seu objetivo sem exigir uma operação”, disse ela.



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.



SHARE THIS

Author:

O Coisas Judaicas cobre uma das partes mais complicadas e controversas do mundo, o Estado de Israel. Determinado a manter os leitores totalmente informados e capacitá-los a formar e desenvolver suas próprias opiniões, o Blog existe de 2005 e sempre procuramos dar a nossos leitores noticias e opiniões avalizadas. Sobre Israel, a região e o mundo judaico.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos