31 de ago. de 2020

Smotrich: Não somos menos religiosos que os haredim

Smotrich: Não somos menos religiosos que os haredim

Smotrich: Não somos menos religiosos que os haredim     Em entrevistas à imprensa haredi, Yamina MK Bezalel Smotrich afirmou que seu partido era o que protegia os interesses judeus em Israel.


O Ministro dos Transportes, Bezalel Smotrich (Yamina), atacou os grupos haredi em entrevistas com a mídia haredi na quinta-feira.

"Não somos menos religiosos ou haredi [do que os haredim]", disse Smotrich em uma entrevista à Rádio Kol Chai . "Nós [protegemos o Muro das Lamentações dos ataques do movimento reformista e das Mulheres do Muro] enquanto os haredim deram consentimento tácito a eles."

"Na crise da ponte judaica, o que Litzman fez?" perguntou Smotrich, lembrando que, "em uma espécie de farsa, ele renunciou a um cargo ministerial para assumir um cargo de vice-ministro. Ele [pode ter] salvado sua consciência, mas eu tenho responsabilidade por todos os judeus."

Em relação às alegações de Netanyahu de que há preocupação de que Yamina se junte a Benny Gantz após a eleição, Smotrich disse: "Há algo irracional em pegar o partido de extrema direita na disputa e pedir-lhe que prove sua lealdade."
Quando questionado sobre a "Aliança Fraternal" de Bennett e Lapid em 2015, ele disse: "Os haredim são os únicos culpados. Quando Bennett tentou fazer com que se tornassem parceiros dele para que Netanyahu não deixasse o sionismo religioso de fora olhando para dentro , eles recusaram. "



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.


 Nasrallah ameaça matar soldado das FDI em retaliação pela morte de membro do Hezbollah

Nasrallah ameaça matar soldado das FDI em retaliação pela morte de membro do Hezbollah

Hassan Nasrallah, chefe do movimento islâmico xiita do Líbano, Hezbollah, dirigiu-se a apoiadores em 25 de julho de 2020.Alerta máximo na parte norte de Israel após ameaça de retaliação,  contra a normalização Israel-Emirados Árabes Unidos, por parte      Chefe do Hezbollah.


Hassan Nasrallah, chefe do grupo terrorista libanês Hezbollah, ameaçou no domingo matar um soldado israelense em resposta à morte de um membro do Hezbollah em um suposto ataque israelense na Síria no início deste verão.
"Se você matar um de nossos homens, nós matamos um de seus soldados. Essa é a equação", disse o chefe do Hezbollah em seus comentários na televisão.
Nasrallah afirmou que o aumento do alerta na fronteira norte de Israel é parte da retaliação do grupo, pois mantém as forças israelenses sob pressão.
Ele também condenou o acordo de normalização histórico entre Israel e os Emirados Árabes Unidos, que deve decolar para um novo estágio nos próximos dias, quando uma delegação dos EUA se reunirá com autoridades israelenses antes de partir para os Emirados Árabes Unidos para negociações.



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.


 Consumo de energia de Israel atinge o ponto mais alto

Consumo de energia de Israel atinge o ponto mais alto

 Consumo de energia de Israel atinge o ponto mais alto

     Temperaturas em todo o país atingindo picos perigosos


Israel está passando por uma onda de calor extrema que começou no sábado e se intensificou no domingo, com temperaturas se aproximando de 50 ° Celsius (122 graus Fahrenheit) em Tiberíades, no Mar da Galiléia. 
O Serviço Meteorológico de Israel registrou temperaturas incluindo 42 ° C (107,6 ° F) em Eilat, 38 ° C (100,4 ° F) em Jerusalém, 47 ° C (116,6 ° F) em Tiberíades e 33 ° C (91,4 ° F) em Haifa .
O Ministério da Saúde divulgou um comunicado conclamando a população a usar máscaras faciais e a aderir às diretrizes de distanciamento social, visto que a taxa de infecção por coronavírus continua elevada.
Os israelenses, especialmente aqueles com condições crônicas e idosos, devem "evitar a exposição ao calor e ao sol, bem como esforços físicos desnecessários, enquanto bebem água e residem em lugares com ar condicionado tanto quanto possível", disse o ministério. 
Na tarde de domingo, o consumo de eletricidade atingiu um recorde nacional de todos os tempos no país com 14.089 megawatts (MW), superando em 13.500 MW o recorde anterior estabelecido no início deste ano durante uma onda de calor em maio. 
Em maio, o Ministério da Saúde permitiu temporariamente que os israelenses se abstivessem de usar máscaras devido às condições climáticas extremas .  
A Autoridade de Parques e Natureza de Israel proibiu caminhadas em certas rotas, incluindo no Deserto da Judéia, até que as temperaturas baixassem. 



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.


30 de ago. de 2020

O centenário da Wizo mundial

O centenário da Wizo mundial

O centenário da Wizo mundial     Women International Zionist Organization – comemora este ano o seu centenário, consagrando-se como líder no setor de educação e maior provedora de serviços sociais para mulheres, crianças e jovens em Israel. Foi fundada em 1920 por Rebecca Sieff, na Inglaterra, que, sensibilizada com as condições de extrema dificuldade das mulheres em Eretz Israel, mobilizou um grupo de voluntárias para fundar as primeiras creches na região.
Atualmente a WIZO possui mais de 800 instituições em todo o país, atendendo diariamente milhares de pessoas em situação de risco, oferecendo-lhes condições para melhorar seu futuro através de diferentes programas. Sempre em parceria com o Ministério de Bem-Estar Social do país.
A WIZO está presente em 55 países reunindo mais de 250 mil voluntárias, o que lhe garante a participação consultiva em órgãos das Nações Unidas como Ecosoc e Unicef. Á frente da WIZO Mundial está atualmente Esther Mor.
Desde seu início, a Organização desempenha um papel de liderança na promoção do bem-estar, educação e direitos das mulheres, crianças e famílias. Hoje, a WIZO é a maior e mais importante ONG de bem-estar social e educacional de Israel e sua liderança é indiscutível no avanço dos direitos e proteção das mulheres. Presente em mais de 40 países e em seis continentes, por 100 anos a WIZO faz o que importa: promove solidariedade e amor ao próximo nos locais onde se faz presente. Nesse vídeo, produzido para celebrar o centenário, é possível acompanhar essa história vitoriosa de forma resumida: https://bit.ly/3jbmifX
O centenário da Wizo mundial
Em 2008, a WIZO foi agraciada com o Prêmio Israel como reconhecimento pelo seu trabalho na promoção do bem-estar social. Trata-se da mais alta honraria outorgada pelo Governo Israelense a pessoas e entidades que se sobressaem em seu campo de ação ou que contribuem para a cultura do país.
WIZO NO BRASIL
A história da Wizo no Brasil começa anos antes da eclosão da 2ª Guerra Mundial, quando mulheres do Rio de janeiro e de São Paulo se mobilizavam para sua implantação no Brasil. Em São Paulo, sob o nome de Escudo Vermelho de David, voluntárias realizavam atividades similares à Cruz Vermelha Brasileira com a qual executavam tarefas em parceria. No desempenho destas funções, foram emergindo mulheres notáveis, líderes que alicerçaram a WIZO em São Paulo. Entre elas, Antonieta Feffer ZL, que recebia em sua residência personalidades de destaque mundial, como Golda Meir, David Ben-Gurion, Moshe Sharret e Yitzhak Rabin, com a mesma hospitalidade com a qual demonstrava o grande apreço e consideração por suas chaverot da WIZO. Atualmente, o trabalho integrado das jovens com as voluntárias mais experientes garante a continuidade da instituição.
Em São Paulo, aliando essa filosofia ao sentimento de solidariedade, a WIZO já doou dois parques infantis à população paulistana, colabora com diversas entidades locais e reúne centenas de voluntárias em torno de grandes eventos como o tradicional Bazar Anual, shows, apresentações musicais, exposições, viagens, seminários e conferências. Também se dedica à promoção da cultura do povo judeu com apresentações do Coral Sharsheret e, principalmente, por meio do Concurso WIZO de Pintura e Desenho, programa de intercâmbio cultural Brasil-Israel que envolve mais de 5 mil escolas da rede pública, em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, há mais de 26 anos.
À frente da WIZO São Paulo desde 2017, Nava Shalev Politi. Voluntária da Instituição há 26 anos, foi vice-presidente durante as gestões de Etejane Hepner, durante seis anos, e de Iza Mansur, também seis. A sua segunda gestão começou em janeiro de 2020, menos de três meses antes da eclosão da pandemia no mundo e no Brasil. A situação singular criada pela crise na saúde, no entanto, não impediu a instituição de continuar com o seu trabalho, adaptando-se às condições do momento.
O centenário da Wizo mundialContando com total apoio do Executivo e das chaverot, as reuniões virtuais vêm sendo realizadas de acordo com a agenda dos projetos que foram reinventados para atender às circunstancias atuais, com eventos on line e ações para ajudar instituições parceiras em São Paulo, entre outras, assim como atividades em parceria com outros Centros WIZO do País através da WIZO Brasil. O contato com a WIZO Mundial, em Israel, também é contínuo, no intuito de alinhar as atividades de acordo com objetivos comuns.
“Neste ano em que comemoramos o centenário da WIZO Mundial sentimo-nos honradas por fazer parte de uma instituição que visa o desenvolvimento e bem-estar do próximo. Uma instituição atenta a responder da melhor forma aos desafios que enfrentamos atualmente”, afirma a presidente da WIZO São Paulo.
No Brasil, a WIZO, através de seus 11 centros espalhados pelo país, apóia obras assistenciais locais, realizando um importante trabalho de intercâmbio entre Brasil e Israel.



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.


29 de ago. de 2020

Desafio do Holocausto' é a nova moda preocupante do TikTok

Desafio do Holocausto' é a nova moda preocupante do TikTok

Desafio do Holocausto' é a nova moda preocupante do TikTok
  Entrada do antigo campo de concentração de Auschwitz: museu classificou
 vídeos como "dolorosos e ofensivos" - (foto: Janek Skarzynski/AFP)
   

Jovens compartilham vídeos simulando campos de concentração e "chegada aos céus"

Maquiagem simulando machucados, hematomas ou até mesmo mimetizando cadáveres. Essa, é a nova moda entre alguns usuários da rede social de vídeos curtos Tiktok. No “desafio do holocausto”, os jovens fingem ser vítimas dos campos de concentração e, em alguns casos, até mesmo fazem piadas com o trágico genocídio, que teve início em 1941.
O museu do antigo campo de concentração nazista de Auschwitz, localizado na Polônia, se manifestou nas redes sociais e classificou os vídeos como “dolorosos e ofensivos”.
The 'victims' trend on TikTok can be hurtful & offensive. Some videos are dangerously close or already beyond the border of trivialization of history. But we should discuss this not to shame & attack young people whose motivation seem very diverse. It's an educational challenge.
No texto, a organização afirma: "Alguns dos vídeos online são perigosamente próximos ou ultrapassam as barreiras da trivialização da história e são desrespeitosos com as vítimas". O museu também destaca a importância da formação de consciência em relação ao ocorrido. "É sempre preciso ter respeito com as vítimas, linguagem e contexto apropriados, assim como precisão em relação aos fatos.”
Nas imagens compartilhadas no Tiktok, é possível ver alguns jovens usando estrelas amarelas no peito, como as que os judeus eram obrigados a vestir na época do nazismo. Em alguns vídeos, pessoas com “maquiagem de holocausto”, rosto sujo e cansado, interpretam como seria uma possível chegada aos céus.

@tiktok_us did these girls really cosplay a holocaust victim and narrative for a tik tok.. such a callous mockery of the genocide of millions of jews and other marginalized groups, i feel sick #Holocaust #tiktok #holocaustchallenge (more to follow)
A banalização do acontecimento preocupou o museu polonês, que completou no comunicado: "Nas mídias sociais, há problemas ainda mais graves, como algoritmos que promovem o antissemitismo ou a presença de negacionistas do Holocausto, uma perigosa e hedionda fonte de antissemitismo e ódio. As empresas de mídias sociais, infelizmente, permitem conteúdo negacionista em suas plataformas"

Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.