Korah     
Nossa Parashá nos conta que o primo de Moshe que se chamava Korah desacreditou a profecia de Moshe Rabeinu e alegou que houve um equívoco na nomeação dos cargos dentro do nosso povo. 

E o principal, que a função de Cohen Gadol (Sumo Sacerdote) foi dada para Aharon somente por interesse de Moshe em nomear seu próprio irmão e não à pedido de D'us
O que leva uma pessoa extremamente rica, muito inteligente e de boa família tentar abalar toda a estrutura do nosso povo? E mais, tentar dessa maneira também assassinar à Moshe Rabeinu sendo que pela Torá o falso profeta é passível de pena de morte!
Caim e Abel, Korah e Moshe
Para entendermos isso temos que voltar ao começo do mundo quando aconteceu o primeiro assassinato da história. Caim tinha nascido antes de Abel e com ele nasceu uma irmã gêmea que seria sua esposa. Abel nasceu depois e com ele nasceram duas irmãs gêmeas que seriam suas duas esposas. 
Caim ficou com inveja e planejou matar seu irmão para pegar essa esposa que ele achava merecer mais do que seu irmão.

Caim fez um sacrifício para D'us. Ele plantou linho, pegou a pior parte da sua colheita, a parte que ele iria descartar de qualquer jeito, essa parte ele queimou no altar. Ou seja, no lugar de jogar fora ele fez dela uma oferenda para D'us, a primeira "reciclagem" da história da humanidade!

A fumaça do linho oferecido no altar foi dispersa por um vento forte mesmo que naquele dia não houve nenhum vento em nenhum lugar a não ser esse diretamente em cima do altar de Caim demonstrando claramente que Hashem não quer o sacrifício oferecido por ele
Abel criava ovelhas. Ele também fez uma oferenda para D'us, trouxe o melhor carneiro do seu rebanho e fez dele um sacrifício no altar. Mesmo sendo aquele dia um dia de forte ventania, a fumaça do sacrifício de Abel milagrosamente subiu direto para o céu em uma linha reta, demonstrando que D'us aceitou o sacrifício de Abel
Por esses dois motivos Caim matou Abel, por achar que, sendo que ele é mais importante do que o seu irmão ele deve estar mais próximo à D'us do que o seu irmão e também merece ter mais mulheres do que seu irmão.

Várias passagens da Torá são verdadeiras incógnitas que somente são decifradas como sendo referência à assuntos espirituais muito profundos.

Entre essas passagens estão o versículo "olho por olho e dente por dente" e também o versículo no qual D'us cobra até a quarta geração dos que fazem o mal.

O versículo olho por olho e dente por dente não tem como ser aplicado na prática porque o castigo na prática de quem quebrou o dente de alguém é pagar o médico, a indenização pela vergonha que o outro passou e os dias de trabalho que perdeu por causa do ferimento, mas não retirar o dente do agressor. E ainda mais, nada justificaria alguém que não tem dentes ser absolvido desse tipo de julgamento. Sendo assim nossos sábios aprendem desse versículo que a indenização cobrada por um olho não é a mesma cobrada por um dente. 

Mas então porque a Torá usa a linguagem olho por olho e dente por dente e já não fala diretamente que a indenização por um olho não é a mesma que a indenização por um dente?

O versículo que diz que D'us cobra até a quarta geração de quem faz o mal também não é aplicável, sendo que a própria Torá determina que os filhos não pagam pelos pecados dos pais.

E mais, o fato de o filho ter sido educado de maneira errada não é culpa do filho mas sim do pai, então absolutamente não há como cobrar nem dos próprios filhos o comportamento dos pais, quanto mais dos netos ou bisnetos.

A explicação do Zohar

No lado oculto da Torá a explicação desse dois versículos e a ligação entre eles é clara
Quando alguém feriu uma pessoa e causou a perda do seu olho ou do seu dente, naquele momento é imediatamente decretado lá encima que o agressor vai perder o olho ou o dente. E Hashem (D'us) na sua infinita bondade dá para aquele agressor o longo prazo de quatro reencarnações para ele retificar o que fez. 
Ou seja, as quatro gerações do versículo não são quatro gerações biológicas mas sim quatro reencarnações da mesma pessoa. Ou ele consegue retificar o que fez ou vai acontecer para ele o que ele fez para o outro
O nível mais baixo da nossa Alma Divina é chamado de Nefesh. Caim matou Abel por dois motivos: ele achava que por ser mais importante do que Abel ele merecia ter aquela esposa a mais e matou Abel para roubar dele a mulher.

Korah Disrespects Moses and Aaron | Bible stories, Bible ...O nível Nefesh de Caim se reencarna como o soldado egípcio que tinha colocado o judeu para trabalhar a noite inteira e enquanto isso aquele soldado passou a noite com a mulher daquele judeu, e de manhã estava tentando assassinar o judeu a chicotadas.

Não só que ele não retificou o que fez mas tentou repetir o erro. Para salvar o judeu Moshe teve que falar um nome de Hashem que faz a alma do egípcio sair do corpo, e depois enterrou o corpo morto dele na terra. E assim da mesma maneira que a terra se abriu para receber o sangue de Abel quando foi assassinado agora ela recebe o sangue desse egípcio.
Ou seja, sendo que ele não retificou o que fez na reencarnação anterior mas ainda continuo insistindo no erro aconteceu para ele agora o "olho por olho e dente por dente", o que ele fez antes levou agora
Um nível superior da alma de Caim se reencarna como Ytró, e a esposa de Abel que era o pivô da briga se reencarna como Tzipora, a filha de Ytró. A retificação desse nível da alma do Caim nesse caso acontece de maneira positiva. Ytró leva Tzipora para Moshe no deserto e dá para Moshe o conselho que salva a sua vida.

Agora chegamos à parte mais complexa. Caim tinha assassinado Abel também porque ele achava que por ser mais importante do que Abel D'us teria que aceitar o sacrifício que ele fez e não aceitar o de Abel, e essa foi a parte que pegou Korah. 
O teste de Korah foi o de aceitar que Moshe estava mais próximo de D'us do que ele. Mas como poderia Korah aceitar esse fato? Quando Moshe tinha três meses de idade a filha do faraó o levou para seu palácio e lá ele foi criado.
Moshe cresceu no palácio do faraó. Claro que a princesa trouxe para ele os melhores professores particulares da comunidade judaica, mas olha onde ele estava! Como comparar ele à Korah que cresceu no coração da comunidade judaica que era a terra de Goshen
E ainda mais, depois de ter crescido entre os egípcios no palácio do faraó Moshe foi morar em Midian e se casou com Tzipora, a filha do sacerdote de Midian! Claro que ela se converteu ao judaísmo, mas comparar ela com a mulher de korah, judia religiosa de nobre linhagem…

Para korah não faltavam motivos para justificar por que ele tinha que ser a pessoa mais próxima de D'us e não Moshe Rabeinu da mesma forma que para Caim era óbvio que o sacrifício dele deveria ser aceito e não o de Abel
E aqui chegamos à reta final da retificação de Caim. Ou Korah consegue se controlar ou o que ele fez na vida anterior vai ser cobrado dele agora.

Por isso Moshe avisa à Korah que se a terra se abrir para recebê-lo esse é o Sinal de que Moshe é um profeta verdadeiro. Porque Moshe Rabeinu precisava lembrar à Korah esse detalhe? 

Moshe Rabeinu era a reencarnação de Abel e Korah pegou o lado difícil do Caim. Sendo que a Alma Divina tem a memória das reencarnações anteriores que se despertam no nosso subconsciente, Moshe apelou para esse fator também lembrando Korah que da mesma forma que a terra se abriu para receber o sangue de Abel, se ele não retifica isso de maneira positiva vai acontecer para ele o olho por olho e dente por dente, e milagrosamente a terra vai se abrir para receber Korah e todos os que estão dando apoio à ele, porque sem esse apoio ele não teria como fazer o que tentou fazer.

De Korah aprendemos que não devemos ser como Korah! Muitas vezes achamos que merecemos muito mais e estamos recebendo muito menos enquanto que nossos amigos que na nossa opinião merecem muito menos estão recebendo muito mais. Então vamos nos controlar, só temos a ganhar!



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.