-->
Hamas quer acordo de troca de prisioneiros com Israel

Hamas quer acordo de troca de prisioneiros com Israel

Hamas quer acordo de troca de prisioneiros com Israel
Da esquerda para a direita: Oron Shaul, Hadar Goldin e Avraham Mengistu
(Flash90 / The Times of Israel)
     

Hamas diz que propõe acordo de troca de prisioneiros com Israel
Jornal libanês diz que o Egito mediando entre os lados, apresentou uma proposta semelhante que prevê a libertação de alguns prisioneiros palestinos para informações sobre 2 soldados israelenses mortos.
O grupo terrorista do Hamas divulgou uma proposta de troca de prisioneiros com Israel, tendo o Egito como mediador, informou um jornal libanês na quinta-feira.

Uma cópia da proposta de Yahya Sinwar, líder do Hamas na Faixa de Gaza, foi entregue à inteligência egípcia, informou Al-Akhbar, segundo a emissora pública Kan.
O Egito entrou em contato com Israel e o Hamas e apresentou uma proposta semelhante à da organização terrorista palestina, segundo o relatório.
A proposta relatada seria modelada em um acordo de 2009 que viu Israel libertar 20 mulheres presas em troca de vídeos de Gilad Shalit, uma soldado das FDI que foi mantida em Gaza após ser capturada pelo Hamas durante um ataque transfronteiriço em 2006. Shalit foi lançado em 2011 como parte de uma troca de prisioneiros na qual Israel libertou mais de 1.000 prisioneiros de segurança, entre eles Sinwar.
Na quarta-feira, uma importante autoridade do Hamas disse que o grupo terrorista estava disposto a entrar em negociações "amanhã" para devolver al-Sayed e Mengistu, bem como os corpos de Shaul e Goldin.

Musa Dudin, membro do departamento político do Hamas, falando em um canal de TV afiliado ao Hamas, disse que Israel tem uma "janela de oportunidade" que pode ser aproveitada antes de ser novamente forçada a "negociar sob condições mais difíceis, ”Aparentemente se referindo à vontade de fazer um gesto humanitário durante a crise do coronavírus.

Dudin disse que "Israel sabe quais são as demandas e que elas não devem ser discutidas na mídia".
Suas declarações foram feitas depois que a mídia palestina disse que o Hamas estava mantendo deliberações internas sobre a possibilidade de entrar em negociações com Israel e que os militares egípcios se ofereceram para mediar entre Israel e o Hamas.

Sem especificar, Dudin pediu que "os mediadores sejam justos e não tendenciosos a favor de Israel".

Em uma mensagem de terça-feira ao Hamas, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que Israel está preparado para tomar "ações construtivas" para trazer de volta os restos de soldados e israelenses mantidos em Gaza.
O principal negociador de Israel para a libertação de cativos de Gaza, Yaron Blum, em colaboração com o Conselho de Segurança Nacional e o estabelecimento de defesa, está “comprometido em agir de forma construtiva com o objetivo de trazer de volta os corpos dos soldados e civis desaparecidos e pôr um fim à guerra. ", disse o gabinete de Netanyahu em comunicado, acrescentando que o primeiro-ministro pedia" um diálogo imediato entre os mediadores "para facilitar um acordo.
Famílias de Avra ​​Mengistu e Hisham Al-Sayed posam para uma foto enquanto realizam uma conferência de imprensa pedindo a libertação dos dois cidadãos israelenses do cativeiro do Hamas, em 6 de setembro de 2018 (Hadas Parush / Flash90)
No entanto, Dudin descartou a declaração de Netanyahu como "propaganda", dizendo que não havia tomado nenhuma ação concreta.
O Hamas divulgou na terça-feira uma declaração em resposta a Netanyahu, dizendo: "A bola estava agora no tribunal [de Israel] para tomar medidas práticas" em direção a um acordo e que "responderia responsavelmente a qualquer resposta real" de Israel.
A declaração do escritório de Netanyahu parecia ser uma resposta a uma entrevista que Sinwar deu na quinta-feira passada, na qual revelou a disposição do grupo terrorista de chegar a um acordo.
Dirigindo-se à crise humanitária em andamento devido ao coronavírus, Sinwar disse à TV al-Aqsa: “Quero aproveitar esta oportunidade. Temos uma possibilidade ... Existe uma iniciativa para colocar esse arquivo em movimento. ”
Yahya Sinwar, principal autoridade do Hamas na Faixa de Gaza, na cidade de Gaza, em 1º de maio de 2017 (Adel Hana / AP)
"A ocupação [poderia concordar] com mais uma medida humanitária do que uma medida de 'troca'", continuou ele. “Libera os presos doentes, os idosos, as mulheres presas. Há um grande número. Poderemos fornecer algo parcial em troca desse problema. ”
Ele sugeriu que essa troca poderia ser possível em meio à crise do coronavírus, mas insinuou que o Hamas não libertaria todos os israelenses que ela mantém, porque isso faria parte de uma troca maior e eles têm um "alto custo".
Embora ele não tenha especificado o que exatamente o grupo terrorista daria em troca, sua ênfase em uma "medida humanitária" levou alguns analistas a acreditar que ele poderia estar se referindo à sua vontade de libertar os dois civis cativos, Mengistu e al-Sayed.
No passado, os negociadores do Hamas se recusavam a considerar qualquer acordo para devolver os corpos e civis de soldados que não incluísse a libertação de Israel de prisioneiros de segurança que foram libertados no acordo Shalit antes de serem presos novamente por mais violações.
Em novembro, Blum, o negociador israelense, disse que o Hamas estava se recusando a adotar uma postura que permitiria um progresso real nas negociações para uma possível troca de prisioneiros.
Acredita-se que um acordo sobre os cativos e restos israelenses seja uma das várias questões que sustentam um acordo de cessar-fogo de longo prazo entre Israel e o Hamas, após longos meses de tensões e surtos.



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.




0 Comentários "Hamas quer acordo de troca de prisioneiros com Israel"

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos

Amazon 1

Obama

Amazon 3

Adnow

loading...

Adnow

loading...