23/03/2020

Segunda-feira de protestos no Knesset

Segunda-feira de protestos no Knesset     Centenas de pessoas se manifestam do lado de fora do Knesset para desafiar as ações "não democráticas" do palestrante
Pela segunda vez em uma semana, comboio chega a Jerusalém para protestar com 'bandeira negra' para 'salvar a democracia' de

Yuli Edelstein

Os manifestantes participam de uma manifestação contra as ações do governo, explicadas como precauções devido ao surto de coronavírus, mas que consideram antidemocráticas, vistas aqui fora do Knesset em Jerusalém, em 23 de março de 2020. 

Segunda-feira de protestos no KnessetOs manifestantes participam de uma manifestação contra as ações do governo, explicadas como precauções devido ao surto de coronavírus, mas que consideram antidemocráticas, vistas aqui fora do Knesset em Jerusalém, em 23 de março de 2020. (Olivier Fitoussi / Flash90)
Um barulhento comboio de protestos foi na segunda-feira ao Knesset, em Jerusalém, para continuar os protestos iniciados na semana passada contra o presidente do Knesset, Yuli Edelstein, e as ações tomadas por ele que incluíam o fechamento temporário do parlamento, que, segundo eles, ameaça a natureza democrática do país.

Edelstein desencadeou uma tempestade de críticas na quarta-feira passada, depois de se recusar a permitir que o plenário do Knesset se convoque para votar no estabelecimento do Comitê de Arranjos e na eleição de um novo presidente. Edelstein inicialmente argumentou que o congelamento estava ligado a precauções de segurança em meio ao surto de coronavírus, e mais tarde também disse que o objetivo era forçar o Likud e Blue e White a se comprometerem em negociações de unidade.


Os críticos disseram que isso significou uma troca ilegal do parlamento pelo Likud, a fim de melhorar a influência do partido nas negociações da coalizão. Alguns argumentaram que constituía parte de uma tentativa de golpe político, com a maioria parlamentar liderada pelo líder azul e branco Benny Gantz impedida de assumir o controle da agenda do Knesset.

O Supremo Tribunal de Justiça ordenou na segunda-feira de manhã que Edelstein realizasse a votação do cargo de orador na quarta-feira. Vários ministros e ministros do Likud e seus aliados pediram que ele desafiasse a ordem judicial, e Edelstein disse que responderia à decisão na noite de segunda-feira.

Centenas de manifestantes em uma longa fila de carros envoltos em bandeiras israelenses e negras chegaram às estradas de acesso ao redor do Knesset quando o parlamento foi retomado na segunda-feira, onde os motoristas tocaram a buzina e os manifestantes se manifestaram contra o que chamaram de "movimentos antidemocráticos das últimas semanas".




Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.





Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

0 comentários: