02/03/2020

A maior ofensiva contra o grupo neonazista Atomwaffen

A maior ofensiva contra o grupo neonazista Atomwaffen     Por Tess Owen; Traduzido por Marina Schnoor

O FBI prendeu vários membros do grupo de extrema-direita, entre eles o líder apelidado "Rape".


Cinco “extremistas violentos racialmente motivados” ligados ao grupo neonazista Atomwaffen, incluindo o líder atual, foram presos pelo FBI, disse o Departamento de Justiça dos EUA na quarta-feira.
Desses, quatro foram acusados pelo Tribunal Distrital Federal em Seattle por supostamente mandar ameaças racistas e antissemitas para jornalistas e ativistas de todo o país, e o quinto foi acusado na Virgínia por supostamente participar numa campanha de swatting (ou seja, mandar a SWAT para o endereço de alguém por motivos falsos).
A notícia de quarta-feira passada marca a maior ofensiva contra o infame grupo desde que ele foi fundado cinco anos atrás, por um grupo de homens jovens brancos que se conheceram no site neonazi Iron March. Desde então, o grupo foi ligado a pelo menos cinco assassinatos nos EUA.
Os réus acusados em Seattle são Cameron Brandon Shea, 24 anos, de Redmond, Washington; Taylor Ashley Parker-Dipeppe, 20, de Spring Hill, Flórida; Johnny Roman Garza, 20, de Queens Creek, Arizona, e Kaleb Cole, 24, de Montgomery, Texas. Cole, o atual líder do grupo racista, também era procurado pelas autoridades locais por um mandado de prisão por posse de armas de fogo em violação de uma ordem de proteção de risco extremo.

Um pouco antes na quarta, o gabinete da procuradoria federal do Distrito Leste de Virgínia anunciou a prisão de John Cameron Denton, 26 anos, ex-líder do Atomwaffen, que usa o apelido “Rape”, por seu suposto envolvimento em campanhas de swatting contra uma igreja historicamente negra, jornalistas investigativos e um oficial da procuradoria.
O Atomwaffen forjou alianças internacionais com organizações neonazistas na Europa e Canadá, e é conhecido por seus vídeos de propaganda mostrando os membros treinando em seus “acampamentos de ódio” paramilitares. Eles seguem uma ideologia violenta chamada “aceleracionismo”, que promove violência para acelerar o colapso da sociedade.
No começo do mês, autoridades locais no oeste de Washington receberam um “Relatório de Informação Situacional” do FBI, que foi obtido e publicado pelo Seattle Times. O relatório incluía exemplos de cartazes mandados pelo Atomwaffen para moradores da área metropolitana de Seattle com imagens e linguagem de guerra.
Um deles mostrava uma figura encapuzada com a “máscara de cerco” marca registrada do Atomwaffen, na frente de uma casa segurando um coquetel molotov, com as palavras “Suas ações têm consequências; nossa paciência tem limite”.
Outro cartaz mostrava um homem de terno, com um pequeno exército atrás usando as máscaras de cerco e segurando fuzis estilo AR. “Dois podem jogar esse jogo”, dizia o cartaz. “Essas pessoas têm nomes e endereços.” Todos os cartazes tinham uma mensagem na base dizendo “Você foi visitado pelos nazis locais”.
Procuradores de Washington disseram que um jornalista local, dois indivíduos associados com a Liga Antidifamação, e dois jornalistas de Phoenix e Tampa estão entre as pessoas que foram alvos dos cartazes.



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.





Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

0 comentários: