Fontes examinam a possibilidade de perdoar Netanyahu se ele deixar o cargoFontes indicam que o presidente israelense e a AG estariam dispostos a aceitar a proposta se o premier admitir acusações

Várias fontes dentro do sistema político israelense, bem como de fora dele, têm estudado nos últimos dias um cenário de "acordo de perdão" para o primeiro-ministro em exercício Benjamin Netanyahu, informou o canal 12 da emissora em hebraico na noite de quarta-feira.
Segundo o relatório, as fontes envolvidas no assunto estão tentando descobrir se há uma chance de Netanyahu estar disposto a renunciar à sua carreira pública em troca de desistir de acusações contra ele em três casos de indiciamento.
Eles teriam examinado a eficácia da proposta com o presidente israelense Reuven Rivlin - que pode conceder perdão pela lei israelense - e com o procurador-geral Avichai Mandelblit.
O inquérito revelou que a oferta poderia ser acordada em princípio, na condição de o primeiro ministro de Israel mais antigo confessar parte das acusações contra ele e manter distância da política.
O inquérito sobre o assunto é feito para impedir uma terceira eleição consecutiva em um ano. Mas com o prazo chegando na próxima quarta-feira, o sucesso de uma mudança, mesmo que receba sinal verde de Netanyahu, pode ser tarde demais.


Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.