29/11/2019

Enquete: Direita perde terreno, Casa Judaica sai do próximo Knesset


Enquete: Direita perde terreno, Casa Judaica sai do próximo KnessetNova pesquisa mostra os israelenses divididos sobre se Netanyahu pode ser indiciado. Azul e branco prontos para expandir a margem sobre o Likud.
Os israelenses estão profundamente divididos sobre se o primeiro-ministro Binyamin Netanyahu deve poder continuar a servir depois de ser indiciado por acusações de corrupção, segundo uma nova pesquisa.

Quase metade dos entrevistados (48%) diz que Netanyahu não pode continuar como primeiro ministro sob acusação, em comparação com 46% que disseram que podem continuar, de acordo com uma nova pesquisa realizada pela agência de pesquisas Smith e publicada por Ma'ariv sexta-feira.

Entre os eleitores do Likud, 82% dizem que Netanyahu pode continuar como premier, em comparação com apenas 6% dos eleitores azuis e brancos.

A pesquisa também constatou que se novas eleições fossem realizadas hoje, o partido azul e branco de centro-esquerda seria o melhor do Likud por dois assentos, 35 a 33, se Netanyahu mantivesse o controle do Likud.

Nesse cenário, o bloco árabe de esquerda ganharia um assento, passando de 57 lugares conquistados em setembro para 58 lugares, enquanto o bloco religioso de direita passaria de 55 para 54.

O partido Yisrael Beytenu, de Avidgor Liberman, que pediu um governo de unidade nacional, manteria seus oito assentos.

Na esquerda, a União Democrática e o Trabalho ganhariam cinco cadeiras cada, enquanto a Lista Árabe Conjunta ganharia 13.


Entre os partidos haredi, Shas receberia oito assentos, abaixo dos nove atuais, enquanto o Judaísmo da Torá Unida manteria suas sete setas.

O partido da Nova Direita, que anunciou recentemente que iria concorrer de forma independente, receberia seis cadeiras, enquanto a União Nacional Doméstica Judaica não conseguiria cruzar o limiar eleitoral de 3,25%, deixando-o fora do 23º Knesset.

Se Netanyahu perder a corrida de liderança planejada para MK Gideon Sa'ar no próximo mês, o Likud conquistará apenas 31 assentos, enquanto Azul e Branco permanecerão estáveis ​​aos 35.

Não obstante, o bloco de direita como um todo se beneficiaria com Sa'ar liderando o Likud, com a União Nacional Judaica-Nacional limpando o limiar com quatro cadeiras. A Nova Direita conquistaria seis cadeiras neste cenário, com Shas aos oito e UTJ aos sete.

O bloco de direita como um todo ganharia 56 assentos se Gideon Sa'ar liderar o Likud, comparado a 57 assentos para a esquerda - bloco árabe e apenas sete assentos para Yisrael Beytenu.


A União Democrática conquistaria apenas quatro cadeiras neste cenário, em comparação com cinco para o Trabalho e 13 para a Lista Árabe Conjunta.


Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.





Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

1 comentários:

Jose Luiz Ballock disse...

OLÁ
Excelente noticia.
Para muitos judeus no Brasil esta noticia é excelente, porque há muitos oportunistas que utilizam o fato da direita em Israel e seu programa que está sendo executado, para propagar o anti-semitismo e propaganda contra Israel, contra os judeus no Brasil, que infelizmente está dividido, chegamos a organizar o Observatorio Judaico de Direitos Humanos-Brasil, com sede em São Paulo devido a onda crescente do nazismo, do discurso de ódio nazi-fascista e de utilização de símbolos sagrados de Israel Criamos um grupo chamado Judeus pela Democracia e outras providencias inclusive de segurança.
Rogamos, que o novo ocupante na administração politica coletiva de Israel. sob a orientação de Deus seja sabio e equilibrado, pois o fazer local em Israel influencia muito o global.
Shalom