Anúncios controversos buscam atrair judeus de Nova York a se engajarem no judaísmo

Anúncios controversos buscam atrair judeus de Nova York a se engajarem no judaísmo
Archie Gottesman (à esquerda) e Stacy Stuart são os fundadores da JewBelong.
   

 Qual é a melhor abordagem para persuadir os judeus não observantes a se envolverem com o judaísmo? De acordo com a organização sem fins lucrativos JewBelong, a resposta é espalhar cartazes por uma cidade com uma população judaica significativa - também conhecida como Nova York - com vários dizeres polêmicos.
As campanhas da JewBelong apresentam mensagens como: "Quando você entra em contato com o judaísmo apenas para irritar sua sogra não judia" e "Então você come bacon. Deus tem outras coisas com que se preocupar".
"Temos que correr um pouco de risco e forçar limites para chamar a atenção das pessoas", disse Stacy Stuart, fundadora da JewBelong, ao New York Post. "Algumas críticas são um preço muito pequeno a pagar (para ajudar os judeus) a encontrar alegria em uma religião que eles pensavam que não tinha nada a oferecer".
A JewBelong alega fornecer "explicações, leituras e rituais para ajudar a aquecer o seu coração", com uma abordagem desprovida de julgamento. Seu site oferece explicações curtas e espirituosas sobre os principais conceitos judaicos - incluindo Shabat, rituais de luto, bar/bat mitzvahs e feriados - e também elucidações mais detalhadas.
Anúncios controversos buscam atrair judeus de Nova York a se engajarem no judaísmo Na entrada do site dedicada ao Iom Kipur, por exemplo, a primeira descrição diz: "Mesmo que você só aprecie Iom Kipur porque não há fila na delicatessen". No entanto, a página também oferece explicações detalhadas sobre o significado do feriado, com uma linguagem "hipster friendly". "Pense em Iom Kipur como um refúgio de transformação, um pouco como um fabuloso refúgio de ioga sem a ioga", diz a abertura do texto, antes de se aprofundar nas ideias sobre perdão, orações comunitárias, costumes e leituras sugeridas.
Stuart disse ao New York Post que sua lista de endereços tem cerca de 40.000 assinantes.
Um anúncio mais controverso recebeu queixas que foram registradas no conselho do Distrito de Melhoria de Negócios da Madison Avenue, e a JewBelong teve que retirá-lo das ruas.
Pelo menos um rabino ortodoxo, Chaim Steinmetz, de Kehilath Jeshurun, em Manhattan, disse que, apesar de fazer algumas reservas sérias sobre o tom adotado, ele pode ver um lado positivo na abordagem de JewBelong, porque os anúncios podem ser capazes de "fazer alguém parar e levar apenas 10 segundos para pensar sobre ser judeu".



Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.




Postar um comentário

0 Comentários