Selo do Primeiro Templo é encontrado em escavações próximas ao Muro das Lamentações

     
Selo do Primeiro Templo é encontrado em escavações próximas ao Muro das Lamentações
Uma minúscula peça de argila do século VII, com os dizeres "Pertencente a Adoniyahu, o mordomo real", foi descoberta recentemente em projeto de escavações da cidade de David.
Em escavações próximas ao Muro das Lamentações, um voluntário do serviço nacional encontrou recentemente o selador de letras com o antigo nome hebraico de um personagem citado várias vezes na Bíblia Hebraica: "O Senhor é meu mestre" (nas traduções da Bíblia para o inglês, o nome é citado como Adonias).
Segundo o arqueólogo Eli Shukron, essa inscrição é única e "de extrema importância". O papel do administrador real (Asher al Habayit), disse ele, aparece várias vezes na Bíblia e é usado para o ministro de mais alto nível na corte real. Por exemplo, o título de Royal Steward foi usado no Livro de Gênesis para a posição de poder de José no Egito.
A vedação de argila foi usada no período do Primeiro Templo para selar documentos importantes, disse Shukron.
Em março, outra peça similar e rara foi encontrada na cidade de David com a inscrição "pertencente a Nathan-Melech, servo do rei" (LeNathan-Melech Eved HaMelech). Nathan-Melech seria um oficial na corte do rei Josias. E em fevereiro de 2018, outra selagem parcial de argila foi descoberta, o que pode significar "Pertencente a Isaías" e provavelmente está ligada ao profeta Isaías.
A nova inscrição de Adoniyahu fornece uma potencial ligação a um mistério de 150 anos: um túmulo de caverna rochosa do Primeiro Templo, do século VII AEC, que também está inscrito com "Asher al Habayit". A inscrição, hoje encontrada no Museu Britânico, tem um nome parcial que termina com as mesmas três letras hebraicas que a da nova impressão de argila.
Escavada em 1870 pelo arqueólogo francês Charles Clermont-Ganneau, a inscrição do túmulo tem sido objeto de trabalho acadêmico desde então.
Pensava-se originalmente que este túmulo era o do mordomo mais famoso, Shevna (também citado como Shevaniyahu), descrito no Livro de Isaías como o mordomo real do rei Ezequias de Judá.
Durante anos, os estudiosos tentaram vincular o túmulo do vale de Kidron a essa figura bíblica, apesar da falta de um identificador completo. A nova inscrição, Adoniyahu, também do mesmo período que o túmulo misterioso, pode oferecer uma nova área de pesquisa para linguistas que buscam decifrar essas inscrições.
"Se este (o administrador real Adoniyahu) é a pessoa enterrada na caverna, não sabemos", disse Shukron.
Segurando o selo na mão, Shukron disse: "Depois de 2.600 anos, você vem e segura este objeto que foi usado para selar uma carta enviada há mais de dois mil anos pelo mais alto ministro do reino". "Isso é algo incrível. Meu coração bate mais rápido", acrescentou.
O objeto foi descoberto por um voluntário de serviço nacional no Projeto de Peneiração da Cidade de David, em Emek Tsurim, em Jerusalém.
"Derrubei um balde de terra no palete de peneiração e comecei a lavá-lo com um spray de água. E de repente, em meio a poeira, identifiquei um pedacinho de barro preto", disse Batya Ofan.
"Eu imediatamente entendi que era um selo e havia muita, muita emoção. Para mim, segurar um artefato de 2.600 anos na minha mão, do período dos reis de Judá, é simplesmente incrível", disse Ofan.
O nome Adoniyahu aparece em várias citações da Bíblia, mas não durante as épocas que correspondem ao século VII AEC - o período da vedação da argila.



Blog Judaico 
Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.





Postar um comentário

0 Comentários