19/09/2019

Derrotado Netanyahu insta Gantz a formar um governo de unidade

     
Derrotado Netanyahu insta Gantz a formar um governo de unidade
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu fez uma ligação direta com o ex-comandante do exército e líder do partido Kahol Lavan, Benny Gantz, para formar um governo de unidade.

Ambos se encontraram nesta manhã e apertaram as mãos durante um ato em memória do ex-presidente de Israel, Shimon Peres, três anos após sua morte.

Durante seu discurso, Netanyahu instou Benny Gantz a encontrá-lo "o mais rápido possível, sem pré-condições, para cooperar para a formação de um amplo governo de unidade com todos aqueles que acreditam em Israel como um Estado judeu e democrático".

O presidente disse que não vê razão para ir a novas eleições, mesmo que não haja uma "decisão clara" nelas.

Netanyahu foi diretamente a Gantz dizendo: "Eu chamo você de Benny - vamos agir juntos para levar o Estado de Israel a um porto seguro".

Poucas horas antes da reunião, Netanyahu publicou um vídeo no qual dizia que, embora durante as eleições ele tenha feito o possível para formar um governo de direita, devido aos resultados, não há outra opção senão formar um governo de unidade tão amplo possível "incluindo todos os fatores que vêem Israel como valioso para eles".

Por sua parte, Gantz, que também fez um discurso no evento, não se referiu às palavras de Netanyahu: "Eu vim para o lembrete de Peres. Ele sempre colocou o bem do país à frente do bem pessoal".

No entanto, alguns membros do partido Kajhl Lavan rejeitaram o pedido de unidade de Netanyahu e o interpretaram como uma tentativa do primeiro-ministro de transferir a pressão para Gantz e depois poder culpá-lo pelo fracasso da negociação se novas eleições forem convocadas.

Além disso, eles indicaram que, se houver um governo de unidade, deve ser Gantz quem lidera, e não Netanyahu.




Blog Judaico 
Receba nossa newsletter
Comece o dia com as notícias selecionadas  Clique e assine.






Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

0 comentários: