Peretz vence a primária do Partido Trabalhista

Peretz vence a primária do Partido TrabalhistaO parlamentar veterano Amir Peretz foi eleito presidente do Partido Trabalhista pela segunda vez e imediatamente prometeu se expandir antes das próximas eleições, em setembro.

Peretz, de 67 anos, reivindicou 47% dos votos nas urnas dos membros do partido, seguidos pelos relativamente novatos Stav Shaffir, 34, e Itzik Shmuli, 39, que conquistaram 27% e 26% dos votos, respectivamente.

Legislador veterano liderou o partido de 2005-7, promete aumentar a presença do partido nas eleições de setembro, busca união com o ex-líder Ehud Barak, Meretz de esquerda.
Peretz vence a primária do Partido Trabalhista
Amir Peretz vota na corrida da liderança trabalhista de terça-feira
em sua cidade natal de Sderot 
(Foto: Ilana Curiel)
Peretz foi declarado o próximo líder do partido no primeiro turno de votação, depois de conseguir mais de 40% dos votos.

Ele sucede Avi Gabbay, que disse que não estaria concorrendo depois do péssimo desempenho do partido nas eleições de 9 de abril.

Os trabalhistas, que durante anos dominaram o cenário político de Israel, conquistaram apenas seis assentos na votação, bem atrás dos principais partidos Likud e Blue and White, que acumularam 35 assentos cada.

Peretz vence a primária do Partido Trabalhista
Stav Shaffir em campanha em Tel Aviv (Foto: Tommy Harpaz)
"A primeira e mais importante coisa que precisamos fazer é trazer forças para o bloco", disse Peretz após sua vitória na noite de terça-feira. "Quero trazer novas pessoas que se juntarão a nós para substituir o governo".

Esta é a quinta campanha eleitoral de Peretz para a liderança do Partido Trabalhista. Ele ganhou sua primeira vitória em 2005, quando derrotou o falecido Shimon Peres em uma vitória surpresa. Mais tarde, ele foi destituído pelo ex-primeiro-ministro Ehgud Barak em uma corrida de líderes em 2007.
Ele também perdeu para Shelly Yachimovich em 2011 e Gabbay em 2017.

Mas ele estava otimista de suas chances de destituir Benjamin Netanyahu, declarando durante sua campanha que: "Se eu me tornar líder do Partido Trabalhista, Bibi (Netanyahu) não será mais o primeiro-ministro".

Peretz também apresentou um plano para ganhar 15 assentos nas eleições de setembro, prevendo que o partido ocuparia quatro assentos de Azul e Branco, e três do partido de direita moderado Moshe Kahlon, agora alinhado pelo Likud, do Partido Kulanu e de Orly Levy-Abekasis. Gesher, além de ganhar mais dois assentos de eleitores árabes e drusos.

O novo líder também disse que seu primeiro ato seria unir o Partido Trabalhista com outros partidos no bloco de centro-esquerda, referindo-se ao novo movimento de Ehud Barak e ao partido Meretz.

Peretz vence a primária do Partido TrabalhistaGPO)
Amir Peretz e Ehud Barak no Knesset em 2012 (Foto: GPO)
Peretz e Barak têm uma rivalidade política histórica, realizaram reuniões secretas em Tel Aviv nas últimas semanas. Os associados de Peretz esclareceram que ele não se apressaria em dar a Barak o papel principal em qualquer união de seus partidos.
Peretz entrou na corrida desta vez como favorito, em parte devido à sua ampla experiência política em contraste com Shmuli e Shaffir, para quem esta foi a primeira campanha para a liderança.

Apesar das pesquisas encorajadoras e da sensação de que a vitória era mais provável do que nunca, Peretz expressou preocupação com a baixa participação e o desejo de buscar alguém "novo" em vez de "velho e familiar".
Perguntado se ele estava com medo de uma má exibição em sua quinta campanha eleitoral, Peretz respondeu: "Eu temo duas coisas: Deus e as urnas".


Postar um comentário

0 Comentários