Irã é o principal obstáculo à paz regional, diz chefe do Mossad

Irã é o principal obstáculo à paz regional, diz chefe do Mossad O chefe do serviço secreto israelense Mossad, Yossi Cohen, afirma que o principal obstáculo para um "acordo de paz abrangente" no Oriente Médio é o Irã, que disputa a hegemonia na região.
"O Mossad vê uma rara oportunidade de alcançar um entendimento regional que levaria a um acordo de paz abrangente", disse Yossi Cohen na Conferência de Herzliya, o principal evento do Instituto de Política e Estratégia.
"Os interesses comuns, bem como a luta contra os adversários comuns, criam uma oportunidade única de paz regional e o Irã está tentando sabotar esses esforços", disse Cohen.
"Há uma lista de países que reconhecem Israel, aceitam nossa existência e mantêm relações cooperativas além do respeito mútuo. Outros países também aderiram a essa lista e mantém (com Israel) interesses comuns e canais abertos de comunicação", destacou.
"Esses países não estão dispostos a tolerar o comportamento agressivo do Irã, que tem Israel como foco de seu ódio", disse ele.
Cohen afirmou que o Irã foi responsável pelos ataques do mês passado a dois petroleiros no Golfo de Omã.
"O debate sobre quem é responsável pelo ataque (no Golfo de Omã) é de vital importância", disse Cohen, "e posso dizer com certeza, com base em informações seguras de fontes israelenses e ocidentais, que o Irã está por trás desses ataques".
"Por meio desses ataques, o Irã está tentando dizer ao mundo que não tem medo de uma escalada, e que se as sanções (americanas) não forem removidas ou amenizadas causará sérios danos ao mercado global de petróleo", acrescentou.
Em 13 de junho, a Marinha dos EUA confirmou que recebeu pedidos de socorro de dois petroleiros supostamente sob ataque no Golfo de Omã, com relatos de que os navios foram atingidos por "torpedos" ou minas navais.
Cohen também divulgou uma série de outras atividades relacionadas ao terror supostamente lideradas pelo Irã, incluindo a transferência de enormes quantias para organizações extremistas islâmicas baseadas no Líbano e em Gaza.
"O Irã é o principal patrocinador de organizações terroristas no Líbano e na Faixa de Gaza. Fontes de inteligência israelenses dizem que nos últimos dois anos, o Irã transferiu mais de US$ 100 milhões para o Hamas e a Jihad Islâmica, a maioria dos quais destinados à atividade militar de ambas as organizações", disse Cohen.
Cohen também observou que as ações que Israel vem adotando nos últimos quatro anos contra o entrincheiramento militar do Irã em território sírio tem surtido efeito e acabarão levando Teerã a recuar de seus esforços para manter uma base militar na Síria.

Postar um comentário

0 Comentários