10/04/2019

David Irving negador do holocausto entra na lista dos infames da Lituânia

David Irving negador do holocausto entra na lista dos infames da Lituânia
David Irving, o negador britânico do Holocausto, fala à Reuters 
A Lituânia está planejando colocar na lista negra o infame negador do Holocausto e antissemita David Irving. 

"As pessoas que divulgam essas idéias não são bem-vindas em nosso país", disse a ministra das Relações Exteriores, Linas Linkevicius.


Em entrevista à AFP, a ministra das Relações Exteriores da Lituânia, Linas Linkevicius, deixou claro que "negar o Holocausto e elogiar Adolf Hitler é um crime na Lituânia".

"As pessoas que espalham essas idéias não são bem-vindas em nosso país", disse Linkevicius, acrescentando que iria falar com o departamento de imigração para oficialmente incluir Irving, que pode tentar visitar o país da UE em algum momento ainda este ano. 

O conhecido negador do Holocausto britânico e autoproclamado especialista em Hitler anunciou em seu site que planejava "uma visita exclusiva aos locais históricos nazistas na Polônia em setembro de 2019." 

Em 2010 e 2015, Irving, que hoje tem 80 anos, Conduziu passeios semelhantes aos locais da Segunda Guerra Mundial na Polônia, incluindo o campo de extermínio de Treblinka e outros locais do Holocausto, um movimento que foi visto como extremamente controverso.

Isso provocou ira e condenação generalizada de sobreviventes do Holocausto e grupos anti-racistas. Durante sua turnê de 2015, ele também levou o grupo para ver esses sites na Letônia. 

Falando ao The Jerusalem Post na época, ele negou que ele era um antissemita, dizendo "não, ainda não". 

No mês passado, o ministro de Assuntos da Diáspora, Naftali Bennett, escreveu uma carta ao embaixador da Polônia em Israel, Marek Magierowski, pedindo a ele que negasse a entrada de Irving no país.

"Dado o registro de Irving de declarações abomináveis ​​e mentiras sobre a história do Holocausto, é claro que ele pretende usar esta oportunidade para espalhar novas falsidades e narrativa mordaz", escreveu Bennett. "Ao fazê-lo, ele sem dúvida causará ofensa profunda à memória das vítimas do Holocausto e a todo o povo judeu, além de atiçar o já intenso fogo do ódio e anti-semitismo que estamos testemunhando em todo o mundo hoje."

Logo depois, o ministro das Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz, disse a repórteres que Irving teria a entrada negada em seu país. 

"A negação do Holocausto não é permitida pela lei polonesa: portanto, ele não será bem-vindo aqui na Polônia se quiser vir apresentar suas opiniões", disse Czaputowicz. 

Um porta-voz Bennett disse à Reuters no momento em que eles "estão muito encorajados pelos comentários do ministro das Relações Exteriores polonês. Nós ter evitado a propagação de ódio e mentiras contra o povo judeu e contra a memória das vítimas do Holocausto.” 

Em 2006, Irving cumpriu pena em uma prisão austríaca para a negação do Holocausto. Ele também é famoso por perder uma ação judicial 1996 difamação contra historiador do Holocausto Deborah Lipstadt, que o descreveu como um negador do Holocausto. 

Ele é autor do livroGuerra de Hitler, na qual ele tentou minimizar as atrocidades nazistas e a responsabilidade de Hitler por elas. 
Irving afirmou que Hitler não estava ciente do programa para exterminar os judeus e manteve sua credibilidade como historiador. 

Com o tempo, essa afirmação evoluiu para uma negação completa do Holocausto, dizendo que não havia provas para provar a existência de câmaras de gás em Auschwitz. 

Jeremy Sharon e Amy Spiro contribuíram para este relatório.

Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

0 comentários: