Israel acusa Hezbollah de estabelecer uma rede militar nas Colinas de Golã

O Exército de Israel acusou, nesta quarta-feira, a organização libanesa Hezbollah de ter começado a estabelecer uma rede militar nas Colinas de Golã, perto do território controlado por Israel. 

 O objetivo desta rede, liderada segundo o Exército israelense pelo libanês Ali Musa Daqdouq, é dispor de equipes que poderiam atacar Israel se for dada a ordem, afirmou o Exército em um comunicado. 

 A rede está "em uma fase inicial de estabelecimento e recrutamento", embora "ainda não esteja operacional", disse o Exército israelense. "Temos uma mensagem clara: não vamos permitir que o Hezbollah estabeleça no Golã uma estrutura capaz de atacar civis israelenses", indicou no Twitter um porta-voz do Exército israelense, o tenente-coronel Jonathan Conricus. 

 "Consideramos o regime sírio responsável por tudo o que acontece na Síria e que diz respeito a Israel", alertou. Segundo o Exército israelense, essa rede, que atualmente se familiariza com o terreno e coleta informações, está sendo criada com a ajuda do Exército sírio e dos habitantes do Golã sírio. 

 Musa Daqduq foi capturado em 2007 no Iraque pelo Exército americano, que o acusa de estar envolvido em um ataque no mesmo ano em que cinco soldados americanos foram mortos. No final de 2011, foi entregue às autoridades iraquianas e depois libertado em 2012 pela justiça do país por falta de provas.

 Israel conquistou grande parte do Golã Sírio durante a Guerra dos Seis Dias em 1967, e depois anexou-o, uma decisão que nunca foi reconhecida pela comunidade internacional. * AFP

Postar um comentário

0 Comentários