09/03/2019

A diferença entre os termos judeu, semita e sionista

A diferença entre os termos judeu, semita e sionistaJudeu, semita e sionista não significam a mesma coisa. Segue abaixo o significado dos três termos, frequentemente mal empregados.

O termo "judeu" se refere a qualquer pessoa que professe a religião monoteísta judaica 

– Judeu –
Na antiguidade, um judeu era um habitante do reino de Judá (940-586 a.C.).
A primeira menção do termo é encontrada na Bíblia, no Segundo Livro dos Reis.
A palavra “judeu” é uma derivação do latim “judaeus” (de Judeia), derivado por sua vez do hebreu “yehudi”.
O termo se refere a qualquer pessoa que professa a religião monoteísta judaica. Com mais de três milênios, a religião acredita em um Deus único, criador do universo que se comunica por meio da palavra revelada a um grupo particular identificado como “a nação de Israel”, cuja história é contada na Bíblia.
Mas a pessoa pode ser um judeu ateu, ou seja, ser judeu por sua ascendência sem acreditar no Deus da Bíblia.
Segundo a lei rabínica, o judaísmo é transmitido pela mãe, embora na Bíblia as pessoas citadas sejam apresentadas apenas por sua ascendência paterna.
Israel define a questão em sua lei do retorno aprovada em 1970: “É judeu qualquer indivíduo nascido ao menos de mãe judia ou convertido ao judaísmo”.
– Semita, semítico –
Um antissemita é alguém especificamente hostil aos judeus, mas estes não são os únicos semitas.
O termo foi criado pelo orientalista alemão August Ludwig Schlözer, utilizando o nome de um dos filhos de Noé, Sem, e servia para designar as línguas cujo parentesco foi estabelecido na Idade Média pelos eruditos judeus: o hebraico, o aramaico e o árabe.
Posteriormente passou a fazer referência a todos os povos que, no decorrer do terceiro milênio antes de Cristo, emigraram da península arábica para Mesopotâmia, Síria, Palestina e depois, por volta do ano 700 a.C., para a região do chifre da África.
Atualmente os povos chamados de semitas são essencialmente judeus e árabes, mas na antiguidade também havia assírios, babilônios, arameus, cananeus e fenícios.
– Sionista –

O sionismo deriva da bíblica “Sion”, que designa Jerusalém ou o povo judaico. Exilado e disperso, o povo judaico tem a esperança de retornar à Palestina. Esta esperança é constitutiva da religião judaica, que a considera uma redenção.
Durante séculos, no entanto, não passa um mero desejo, mas na segunda metade do século XIX o sionismo começa a ser concretizado com a fundação das primeiras comunidades agrícolas judaicas na Palestina por judeus russos que fugiam dos pogroms.


O jornalista Théodore Herzl, de Viena, criou a teoria sobre o sionismo no fim do século XIX e deu um significado político ao termo. Fundador do movimento sionista no Congresso da Basileia em 1896, escreveu “O Estado Judeu”: sua ideia é “dar a um povo sem terra uma terra sem povo”. Criou o Fundo Nacional Judaico para a compra de terras na Palestina.
Depois do extermínio dos judeus pelos nazistas, os judeus procuraram refúgio na Palestina e a ideia sionista se concretizou com a criação do Estado de Israel em 1948.
Um antissionista é alguém que se opõe ao Estado de Israel. Esta posição política pode ser compartilhada pelos judeus que defendem a assimilação.

Nosso grupo:Forum Judaico

Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

1 comentários:

Unknown disse...

Muito boa a matéria.
Obrigado.