03/12/2018

Sinagoga abriga exposição sobre sionismo no Festival de Cultura Judaica

Sinagoga abriga exposição sobre sionismo no Festival de Cultura JudaicaRaízes alemãs do Sionismo são foco de exposição organizada em parceria entre Consulado Geral da Alemanha no Recife, a Embaixada da Alemanha no Brasil e o Instituto Leo Baeck, de Nova Iorque. 


A Sinagoga Kahal Zur Israel, localizada no casarão 197 da rua do Bom Jesus, no Bairro do Recife, recebe a partir deste domingo (2) a exposição "O sonho de um novo lar: raízes alemãs do Sionismo", numa ação coordenada entre o Consulado Geral da Alemanha no Recife, a Embaixada da Alemanha no Brasil e o Instituto Leo Baeck, de Nova Iorque. A abertura do evento será às 16h30, dentro das festividades do 27º Festival da Cultura Judaica do Recife (que trará apresentações musicais, de dança e de gastronomia, entre outras ações).


Leia também:




A mostra traz livros, jornais, correspondências e fotografias e trata do sonho de um refúgio diante da perseguição aos judeus, ideia que culminou com a criação do Estado de Israel, após a Segunda Guerra Mundial. "É uma exposição extremamente atual, porque questões ligadas à fuga, à integração e à identidade cultural são extremamente pertinentes na Alemanha, na Europa e em várias outras partes do mundo", aponta a Cônsul Geral da Alemanha para o NordesteMaria Könning

Ela completa: "um aspecto muito importante para a Alemanha é a consciência de nossa responsabilidade histórica. Nós temos a obrigação de preservar a memória, a responsabilidade de assegurar que os abomináveis crimes dos nazistas não serão esquecidos". 


Cerca de um milhão de crianças, dois milhões de mulheres e três milhões de homens judeus foram mortos durante o Holocausto, num verdadeiro genocídio promovido por Hitler e seus seguidores. "Temos que comunicar para resistir ao ódio que coloca em risco a vida de tantas pessoas. A liberdade religiosa é um direito fundamental e nós repudiamos qualquer forma de discriminação. Tolerância, autodeterminação e respeito à diversidade são valores imprescindíveis para a democracia", destaca Maria Könning.

Ela frisa que "não há um lugar melhor do que a Sinagoga Kahal Zur Israel para lembrar-nos das origens do movimento sionista", pois a primeira sinagoga das Américas nasceu em um momento da história de Pernambuco marcado pela tolerância religiosa e pelo respeito. "Ela era, no século dezessete, o símbolo do 'sonho de um novo lar' para os judeus que tinham que deixar a Europa por motivos de perseguição religiosa".


Sinagoga abriga mostra sobre raízes alemãs do Sionismo durante o 27º Festival de Cutlura Judaica
Sinagoga abriga mostra sobre raízes alemãs do Sionismo durante o 27º Festival de Cultura Judaica - Crédito: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Programação:


Das 15h às 19h


Visitação do Museu Sinagoga Kahal Zur Israel


Exposição “O sonho de um novo lar – raízes alemãs do sionismo”


Exposição “Educação e Tikun Olam – construindo um mundo melhor”


Gastronomia – quitutes da culinária judaica


Artigos Judaicos (Artesanato, Bijuterias, Livros)


Krav Magá


Tenda do Colégio Israelita Moysés Chvarts – 100 anos


Imagens de Israel



15h30-16h


Roda de Conversa: Judaísmo e Educação (Jáder Tachlitsky)



16h-16h30


Roda de Conversa: Tikun Olam – reparando o mundo (Ida Katz)



17h-18h30


Acendimento da Primeira Vela de Chanuká


Show da Orquestra Messibah


Harkadá (Danças Judaicas) conduzida pelo coreógrafo Denys Sznejder


19h


Sorteio de Brindes


Serviço:


27º Festival da Cultura Judaica


Neste domingo (2)


rua do Bom Jesus, no Bairro do Recife


Das 15h às 19h


Aberto ao público em geral

Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

0 comentários: