Natalie Portman volta a brilhar com Vox Lux

Natalie Portman volta a brilhar com Vox LuxNatalie  finalmente dá um basta para a menina boazinha.

Durante muito tempo, o público não permitiu que Portman crescesse. Mas desde “Cisne Negro” ela se recusa a ouvir. O resultado é “Vox Lux”.

No curioso e pouco visto filme Planetarium, de 2016, Natalie Portman faz o papel de uma médium que viaja pelo mundo e vira estrela de cinema por causa do seu carisma. Estudando a gravação de uma das sessões mediúnicas, um diretor em busca de uma médium para seu próximo filme tenta descobrir que apelo a mulher teria na tela. "Presença, tom de pele, espírito, caráter", diz ele, antes de fazer seu pronunciamento. "Foi nela que prestei atenção durante a cena toda."
Natalie Portman volta a brilhar com Vox LuxSoa verdadeira a dificuldade do diretor de explicar por que se sente tão atraído por essa  fictícia. Aos 37 anos, ela é uma das atrizes mais polarizantes dos dias de hoje. Mencione seu nome entre críticos de cinema ou fãs dedicados e as opiniões serão sempre muito convictas. Alguns a consideram uma atriz natural e encantadora; outros, uma estrela sem sal e mundana – e as opiniões são divididas praticamente desde que Portman ficou famosa, ou seja, desde sua estreia no cinema, em "O Profissional", de 1994, aos 13 anos.
Natalie Portman volta a brilhar com Vox LuxEu, de minha parte, adoro Natalie Portman. Sempre adorei. Mas às vezes é difícil encontrar uma explicação mais detalhada que a do filme Planetarium, que descrevi acima. Ela caminha sobre uma linha tênue que divide a menina ingênua da provocadora. Ela representa um complexo de madonna-prostituta da cultura popular, por assim dizer. O paradoxo faz com que os críticos e os diretores de elenco não saibam muito bem como enquadrá-la. Mas esse mesmo paradoxo também é responsável por algumas das performances mais ferozes da atriz.
Natalie Portman volta a brilhar com Vox LuxQuando ela aparece na metade do audacioso novo filme de Brady Corbet, Vox Lux, no papel de uma estrela pop confusa com uma conexão bizarra com o terrorismo, sua chegada poderia ter sido anunciada por um raio. De delineador exagerado e roupa punk-glam, Celeste reclama e grita com todo mundo que aparece na sua frente, suscitando a pergunta que fazemos sobre a bailarina que definiu sua carreira em Cisne Negro: "O que aconteceu com minha menininha?" Ela poderia responder com um "Ela morreu!" abrasivo. A Portman inocente – associada a Star WarsOnde Está o Coração e Hora de Voltar – é uma lembrança distante.
Natalie Portman volta a brilhar com Vox LuxMas esse é o lance. A persona de Portman nunca foi construída à base de doçura, por mais que críticos profissionais queiram fazer colar essa descrição à identidade dela. Desde o começo de sua carreira, ela é uma das atrizes mais ousadas de Hollywood, se recusando a associar sua imagem a climas, momentos ou mantras.

Postar um comentário

0 Comentários