Hamas publica fotos do que dizem ser as forças da IDF em Gaza

Hamas publica fotos do que dizem ser as forças da IDF em Gazagrupo terrorista Hamas publicou nesta quinta-feira as fotografias de oito pessoas envolvidas na invasão das Forças Especiais das Forças Armadas de Israel na Faixa de Gaza, que terminou em um tiroteio e na morte de um soldado israelense e de sete atiradores palestinos.

A censura militar pede que as pessoas  compartilhem informações, dizendo que até mesmo detalhes "inofensivos" podem pôr em risco vidas e danificar a segurança do Estado.

As fotografias foram distribuídas nas redes sociais juntamente com o endereço de e-mail e dois números de telefone da ala militar do grupo terrorista que governa Gaza, as Brigadas Izz ad-Din al-Qassam, para permitir que as pessoas forneçam informações sobre a operação.
Fotos dos dois carros supostamente usados ​​pelos soldados das forças especiais israelenses durante o ataque também foram publicadas.
Embora disponíveis gratuitamente na internet, as fotografias não podiam ser publicadas pela mídia israelense por ordem do censor militar. O censor aprovou a publicação da fotografia pixelizada usada neste artigo.
Em uma declaração pública altamente irregular, o censor também pediu aos israelenses que não compartilhem qualquer informação que tenham sobre o ataque, mesmo que o considerem benigno.
“O Hamas está trabalhando agora para interpretar e entender o evento que ocorreu em Gaza em 11 de novembro, e toda informação, mesmo se considerada pela editora como inofensiva, pode ameaçar vidas humanas e danificar a segurança do estado, Disse o censor.
O ataque, no qual um tenente-coronel israelense - que só pode ser identificado pela primeira letra hebraica de seu nome, "Mem" - foi morto e outro oficial ferido degenerou em um tiroteio na rua e uma frenética perseguição de carro.
A unidade de forças especiais de Israel foi forçada a recuar às pressas, chamando os ataques aéreos de cobertura e a unidade de busca e salvamento de elite 669 para evacuá-los de helicóptero.
As gravações das conversas de rádio pelos combatentes do Hamas foram obtidas pela televisão Hadashot no início desta semana, que não deu nenhuma indicação quanto à sua origem e se recusou a transmitir a própria gravação de áudio, "para não expor uma fonte", disse a rede de notícias.
A autenticidade das gravações não foi confirmada pelas autoridades israelenses, que permaneceram quase inteiramente em silêncio sobre a natureza e o resultado do ataque.
De acordo com a transmissão Hadashot, a equipe das forças especiais israelenses foi identificada pela primeira vez como suspeita pelos agentes de segurança do Hamas, possivelmente policiais, que viram o carro passando por eles nos arredores de Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza.

Postar um comentário

0 Comentários