14/11/2018

Avigdor Liberman, renuncia ao cargo após o cessar-fogo com o Hamas

Avigdor Liberman, renuncia ao cargo após o cessar-fogo com o HamasO ministro da Defesa, Avigdor Liberman, anunciou hoje sua renúncia após o cessar-fogo acordado com o movimento terrorista Hamas e outras facções palestinas.
"Eu anuncio minha renúncia como ministro da Defesa do Estado de Israel", disse Liberman. "Para mim, o que aconteceu ontem com o cessar-fogo e todo o processo com o Hamas é simplesmente render ao terrorismo", disse o líder do partido Israel Beitenu, após o movimento terrorista Hamas dispararam mais de 400 foguetes contra Israel apenas horas.
"Estamos comprando calma no curto prazo, mas pagando um preço alto a longo prazo. Não é um segredo que houve grandes discussões e diferenças de posições com o primeiro-ministro Netanyahu ", esclareceu Liberman.
Entre os temas que tiveram diferenças com o presidente de Israel, o líder do Israel Beitenu disse que não concorda com a transferência de 15 milhões de dólares em dinheiro para o Hamas na semana passada e com a posição do governo contra a evacuação assentamento beduíno ilegal Khan al-Akhmar.
O ministro convocou uma reunião especial do seu partido, Israel Beitenu, para anunciar sua decisão. "Se eu tivesse continuado nessa posição, não seria capaz de ver os olhos dos moradores do sul que sofrem com o terrorismo do Hamas", afirmou Liberman.
Com a renúncia de Liberman, dois anos e meio após a posse, abre-se a possibilidade de que o governo israelense seja dissolvido e novas eleições sejam convocadas. O próprio líder de Israel, Beitenu, disse em sua coletiva de imprensa que "as eleições devem ser convocadas o mais rápido possível".
No entanto, um oficial do partido Likud de Benjamin Netanyahu, disse que "não há necessidade de ir a eleições em um momento tão delicado na segurança do país" e disse que até o momento Netanyahu iria assumir. Ao mesmo tempo, especulou-se que Naftali Bennett, líder do partido Habait Hayehudí, exige receber o portfólio de defesa como condição para continuar no governo.
Ontem à noite, depois que o gabinete israelense se reuniu por mais de seis horas, uma breve declaração indicou que eles haviam ordenado ao exército israelense que "agisse conforme necessário". Vários membros do gabinete declararam que, por unanimidade, foi decidido aceitar um cessar-fogo, com base nas explicações recebidas pelas Forças de Defesa de Israel.
No entanto, minutos depois, o gabinete do ministro Liberman negou as publicações. Mais tarde, foi relatado que os ministros Bennett, Shaked e Elkin também se opuseram ao acordo.


Compartilhe

Author:

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico.

0 comentários: