Uma letra da Torá


 Uma letra da Torá
Uma jornada ao âmago do legado espiritual da religião mais antiga do mundo
Rabino Jonathan Sacks, Editora Sêfer, 288 páginas (16×21 cm, capa flexível), ISBN 85-85583-45-2, 2002 (2ª edição)

***
O Baal Shem Tov, rabino do século XVIII que fundou o Chassidismo, comparou o povo judeu a uma Torá via, na qual cada judeu é uma letra do texto sagrado. No pergaminho, uma única letra danificada invalida a Torá. No judaísmo, a ausência ou o afastamento de um único indivíduo faz todo o povo sofrer.
O Rabino Jonathan Sachs usa esta metáfora para construir uma argumentação apaixonada em prol da prática religiosa nessa época secular, e nos convida a participar activamente da preservação de uma tradição tão rica e envolvente quanto a nossa. Nunca antes um livro expressou com tanta eloquência o regozijo de ser judeu.
Esta é a história da esperança de um homem em relação ao futuro – um futuro no qual a geração dos nossos filhos abraçará com alegria toda a beleza da religião mais antiga do mundo.
***
Prefácio do Autor
Hoje, em toda a Diáspora, um em cada dois judeus casa-se fora da religião, ou simplesmente não se casa, ou toma a decisão de não formar um lar judaico, ter filhos judeus e dar continuidade à história judaica.
Em momentos assim, raros na nossa história, nos deparamos com a pergunta: Quem sou eu e por que devo permanecer judeu? É uma pergunta que nunca pode ser respondida abstractamente. Ela é profundamente pessoal e pede uma resposta pessoal.
Este livro é a minha resposta pessoal. Nenhum de nós pode responder em nome de outra pessoa. Mas, às vezes, saber o que outros pensavam sobre o assunto ajuda, e por isso decidi publicar o livro como uma carta aberta à próxima geração.
Escrevê-lo acabou por tornar-se uma jornada de descobrimento. Todas as vezes que perguntei não “O Quê?”, mas “Porquê?”, encontrei o judaísmo a revelar-se aos meus olhos de uma forma que jamais vira. Por esta razão, no coração da história que tenho para contar está a minha própria teologia do judaísmo, algo que eu nunca havia escrito antes.
Quanto mais eu me aprofundava no mistério que envolve a sobrevivência do judaísmo, mais nitidamente percebia a originalidade, a precisão, a pura sanidade de sua visão do mundo e da humanidade, e de como ela é pouco compreendida por nós mesmos e por outros, mesmo hoje em dia. Precisamos voltar aos nossos textos. A crise é criativa. Ao contrário do que acontece em períodos mais calmos, ela permite-nos encontrar uma antiga herança de uma nova maneira.
Ofereci o primeiro exemplar deste livro ao no nosso filho Joshua e à nossa nora Eve no dia do seu casamento. É o meu presente a eles. É também um tributo ao meu pai, de abençoada memória, e ao que aprendi com ele. Este é o meu Yizcor, a prece que faço em sua memória. Porque quando os judeus se lembram, eles o fazem em nome do futuro, o lugar onde, se formos fiéis, o passado nunca morre.
Rosh Chodesh Elul, 5760
***
Sobre o Autor:
O Rabino Jonathan Sacks é, desde 1991, Rabino-Chefe da Grã-bretanha e Comunidade Britânica. Educado em Cambridge e Oxford, leccionou em universidades e liderou congregações na Inglaterra, em Israel e nos Estados Unidos. Autor de vários livros, entre eles “Arguments for the Sake of Heaven” e “The Politics of Hope”, ele vive em Londres, Inglaterra.

Postar um comentário

0 Comentários