Nacionalistas alemães posam entre vinhos com imagens de Hitler

Nacionalistas alemães posam entre vinhos com imagens de HitlerO partido de extrema direita 'Alternative for Germany' vai expulsar a parlamentar Jessica Biessmann, por posar junto a garrafas de vinho com imagens de Hitler; "São fotos antigas", afirmou; um outro membro do partido renunciou, após ser fotografado com uma suástica.
“O partido alemão de extrema-direita Alternative for Germany iniciou o processo de demissão da legisladora regional, Jessica Biessmann, que posou para uma foto ao lado de garrafas de vinho com imagens do líder nazista Adolf Hitler”, informou a agência de notícias alemã DPA.

As fotos de Biessmann, postadas nas redes sociais, provocaram um rugido de desaprovação entre os membros do partido da Alemanha, que pediram ao Serviço Federal de Inteligência alemão para investigar o caso.

Jessica Biessmann
Em resposta, Biessmann afirmou que a foto tem mais de dez anos. As garrafas de “vinho de Hitler" estão disponíveis para compra na Itália, mas a exibição pública de símbolos nazistas é ilegal na Alemanha. Vários pedidos para que a agência de inteligência interna da Alemanha monitorasse o partido, Alternative for Germany, sobre as preocupações do extremismo foram solicitadas.
O jornal Thüringer Allgemeine relatou que Björn Höcke, um membro sênior da AFD na Turíngia, deixou a Alemanha depois que fotos suas foram divulgadas, mostrando-o ao lado de uma toalha que tinha uma suástica em sites relacionados à Hitler.

Nacionalistas alemães posam entre vinhos com imagens de Hitler
Björn Höcke
Estes são apenas alguns escândalos associados à Alternative for Germany. Em fevereiro, o partido também demitiu  um membro que supostamente chamou um funcionário alemão de "covarde" e "traidor", pelo plano fracassado de 1944 de assassinar Hitler. O jornal Die Welt informou que Lars Steinke, chefe da ala juvenil do partido, no Estado da Baixa Saxônia, postou um comentário em sua página no Facebook, de modo privado, do coronel Claus Schenk Graf von Stauffenberg, e descreveu a trama do assassinato como "uma tentativa vergonhosa e covarde de salvar sua própria pele”.
Pedido para comentar a reportagem, Steinke disse à Reuters que a mensagem “foi uma declaração “não pública”, por isso ninguém encontraria nada”.

Nacionalistas alemães posam entre vinhos com imagens de Hitler
Jessica Biessmann posando com “vinhos de Hitler”
Ainda de acordo com o Die Welt, Steinke argumentou que "a guerra era, ao contrário da propaganda de hoje, não uma guerra contra Hitler, mas contra a Alemanha e o povo alemão, e que Stauffenberg não era herói".
O co-líder da AFD, Alexander Gauland, descreveu os comentários de Steinke como uma idiotice infundada. “Stauffenberg é um herói da história alemã. Steinke se desqualificou do ADF. Ele deveria ser excluído”, disse.
A AFD tornou-se o terceiro maior partido do parlamento nacional, após as eleições de setembro. Ele ganhou cerca de 13% dos votos, beneficiando-se das preocupações com a chegada de mais de um milhão de imigrantes desde meados de 2014. Comentários questionáveis ??sobre a era nazista, por membros proeminentes e o manuseio deles pela liderança, têm sido uma questão recorrente para o partido.

Postar um comentário

0 Comentários