Hava Netze Bemachol

Hava Netze Bemachol

700 dançarinos de diferentes partes do mundo estiveram na Hebraica Rio, no último final de semana, para o maior festival da América Latina de dança israelí, o Hava Netze Bemachol. Em sua 48° edição, a Noite de Gala, que fechou o evento, reuniu 20 grupos se apresentando ao som de inúmeros ritmos, desde músicas clássicas judaicas até canções mundiais contemporâneas como "Halleluya".

Hava Netze BemacholA maioria das coreografias apresentadas nos dois dias de festival celebraram o 70° aniversário da independência de Israel, que aconteceu em 14 de maio de 1948.

“Houve encenação das guerras, conquistas, histórias, imigrações e operações especiais de resgates de comunidades como os do Iêmen, Etiópia, Sudão, Iraque. 

Os grupos também levaram temáticas sobre as tradições judaicas e histórias das comunidades pela diáspora ao longo dos séculos. Essas tradições são, em última análise, o que regem o espírito sionista e a manutenção do Estado de Israel”, explicou Daniel Adesse, coreógrafo e responsável pelo festival. 

Hava Netze BemacholAlém dos grupos do Rio, estiveram presentes dançarinos de Porto Alegre - do Club Campestre e do Colégio Israelita -, e de Miami, do Bamachol Dance Program, o Jewish Community Center de Aventura, um programa que conta com mais de 700 dançarinos.

Um evento externo também levou mais de 100 dançarinos da Hebraica Rio para a Praça Garota de Ipanema. A abertura contou com uma série de apresentações em roda dos dançarinos atraindo olhares de curiosos, no Arpoador, por conta da música animada e dos passos que misturam danças regionais e folclóricas de locais onde os judeus se instalaram ao longo dos séculos. 

Hava Netze BemacholHava Netze Bemachol“É sempre uma grande festa. Durante esses dias, dançarinos e membros da comunidade se encontram, conhecem gente nova, reencontram amigos de outros estados. A dança folclórica israelí possui um caráter único e muito intenso de conexão e união das famílias ao redor da cultura e das tradições judaicas, independentemente da idade ou nível técnico”, pontua Luiz Mairovitch, presidente da Hebraica Rio.
 

Postar um comentário

0 Comentários