Nitzavim - Rosh Hashaná

Coisas JudaicasNossa Parashá é dedicada ao mérito de todos vocês que nos ajudaram a crescer mais um ano, que Hashem dê à todos vocês um ano bom e doce com muito sucesso muita saúde muito dinheiro e felicidades judaicas de toda a família
כתיבה וחתימה טובה לשנה טובה ומתוקה

Nosso Shabat é o último Shabat do ano Judaico

Estou adicionando aqui um atestado para justificar faltas na escola e no trabalho no Shabat e Yom Tov

Você pode imprimir e entregar esse atestado para a diretoria da escola ou para o RH da empresa onde você trabalha e me mandar um e-mail para

RabinoGloiber@OngTora.com

para confirmar caso a escola ou a empresa entre em contato conosco


AGENDA 5779

Nesses dias do atestado o trabalho e a frequência à escola são proibidos por motivos religiosos.

Se você é o dono da sua empresa, não esqueça de avisar a sua secretária para não marcar reuniões nas datas que constam nesse atestado

Se você trabalha em uma empresa, avise o RH para descontar essas datas dos seus dias de férias.

Coloquei nesse atestado somente as festas judaicas em que o trabalho é expressamente proibido, em festas como Chanuca pode-se trabalhar normalmente

Você pode acessar também à


e baixar o seu atestado para festas judaicas em PDF
🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴

נצבים

Parashat Nitzavim, é sempre lida no Shabat antes de Rosh Hashaná porque o Shabat envolve espiritualmente os dias posteriores e Rosh Hashaná é o dia do julgamento no qual todas as Neshamot, as nossas Almas, se apresentam na frente de Hashem.

Nossa Parashá cita diferentes níveis de pessoas como os presidentes das tribos, lenhadores e aguadeiros, nos indicando que tanto os presidentes das tribos que representam as pessoas mais importantes quanto o lenhador e o aguadeiro, que representam as pessoas menos importantes são julgados juntos com total igualdade sendo que somos comparados à um corpo onde cabeça e pés se completam, nenhuma parte pode faltar e cada uma é julgada de acordo com a sua função.

O dia de Rosh Hashaná foi escolhido por D'us para ser o aniversário da criação do mundo.

O mundo foi criado em seis dias e cada um deles é o dia da criação do mundo, mas o sexto dia que é o dia no qual o homem foi criado, foi escolhido para ser o aniversário do mundo porque o ser humano é o objetivo da criação.

Porque então D'us falou para os anjos façamos o homem se somos mais importantes que os anjos? 

Diz o Midrash que foi para nos ensinar a importância da humildade. Se até D'us quando fez o homem compartilhou essa informação com os anjos porque eles teriam ligação com essa nova criatura, quanto mais nós devemos nos comportar com humildade.

Um dos vínculos que encontramos entre nós e os anjos é o chamado "Tribunal Divino". Ele é composto de anjos e Neshamot de Tzadikim.

Quando fazemos uma coisa boa criamos naquele tribunal um anjo à nosso favor, quando fazemos algo ruim criamos um anjo contra nós. Consequentemente o Tribunal Divino de cada um de nós é personalizado.

Diferente das outras "religiões" onde a divindade faz o que quer, no judaísmo, antes de D'us nos criar ele já tinha criado o tribunal Divino que fiscaliza nossas ações usando a Torá como referencial  

e por mais que D'us seja a essência do bem, ele não pode ser tirano com esse tribunal e obrigá-los a mudar um decreto à nosso favor sem um motivo que justifique isso.

Rezando por nós próprios

Sendo assim, como conseguimos por meio das nossas rezas anular os decretos do tribunal Divino?

Rabi Yossef Albo que viveu na Espanha no ano de 1400 nos explica que quando nos arrependemos do que fizemos e rezamos, nos tornamos pessoas melhores e aquele decreto que tinha sido feito para uma pessoa pior perde o efeito porque essa pessoa pior deixou de existir, e para a pessoa melhor que você ficou agora é feito um decreto melhor.

Rezando por outras pessoas

O Baal Shem Tov tinha um mestre que descia do céu para ensinar à ele Torá. Esse mestre era o profeta Ahia Hashiloni que viveu na época do Rei Salomão e foi posteriormente o mestre de Eliahu Hanavi.

Disse o Baal Shem Tov que o profeta Ahia revelou para ele que a Sefirá chamada  Malchut é chamada de din, decreto rígido, e a raíz dos dinim é a sefirá chamada Bina.

Por meio da reza elevamos o "din" até a biná e lá adoçamos ele, ou seja, mudamos o DNA dele na sua fonte e transformamos ele em bondade.

Quando rezamos por outra pessoa ligamos ela a essa raiz espiritual, à Biná, e lá ela já é outra pessoa.

Então vamos aproveitar o Rosh Hashaná e rezar bastante para que nós e todos os que estão ligados à nós tenhamos um ano bom e doce e que Mashiach chegue já!


Rosh Hashaná 5779
Comemoramos Rosh Hashaná dois dias em seguida, 1 e 2 de Tishrêi
Rosh Hashaná este ano inicia-se antes do pôr-do-sol deste domingo, (9/9) continuando na segunda (10/9) e na terça-feira (11/9) (terminando somente na terça-feira à noite (11/9)
A festa de Rosh Hashaná é chamada de Yom Tov em relação às leis dela


Os trabalhos proibidos no Shabat também são proibidos em Rosh Hashaná, com exceção de carregar objetos permitidos de um domínio público para um domínio privado e vice versa
Também é permitido cozinhar para as refeições do mesmo dia. Essas duas coisas são permitidas quando o Yom Tov não cai no Shabat
É proibido criar fogo em Yom Tov riscando um fósforo ou acendendo um isqueiro, e também é proibido apagar o fogo no Yom Tov
Somente é permitido passar o fogo de uma chama previamente acesa tomando cuidado de não apagá-la posteriormente. (Você pode usar para isso um espetinho de madeira e depois apoiá-lo aceso em um cinzeiro para ele apagar sozinho)
Por isso deixamos uma vela de 48 horas ou um fogo aceso antes do pôr-do-sol da véspera de Rosh Hashaná, para que as velas da segunda noite de Rosh Hashaná possam ser acesas, e também para acender com ela o gás para preparar a comida. (O gás que foi aceso não pode ser apagado no Yom Tov).
Não podemos colar velas no Yom Tov, por isso é bom comprar velas de rechaud para Rosh Hashná
Primeira Noite de Rosh Hashaná – domingo, 9/9
Velas de Rosh Hashaná
Em primeiro lugar acenda a vela de 48 horas porque dela você pode passar o fogo para outras velas durante os dois dias do Yom Tov como vimos anteriormente
Acendemos as velas do primeiro dia de Rosh Hashaná 18 minutos antes do pôr do Sol
Depois do pôr do sol você pode acender as velas usando o fogo previamente aceso como vimos anteriormente


Segunda Noite de Rosh Hashaná – segunda-feira, 10/9
Na segunda noite de Rosh Hashaná uma fruta da nova estação que ainda não foi provada deve ser colocada sobre a mesa no horário do acendimento das velas e do kidush.
O acendimento das velas da segunda noite de Rosh Hashaná deve ser feito uma hora depois do pôr do sol por meio da chama previamente acesa, pode ser também depois desse horário mas não antes
(Para saber exatamente quando é o pôr do sol acesse ao site do instituto meteorológico antes do primeiro dia de Rosh Hashaná)

O Aniversário do Universo

Rosh Hashaná, considerado o aniversário do Universo, é na realidade o sexto dia da Criação, quando D’us criou o primeiro homem, Adam – o propósito de toda a Criação.

O primeiro ato de Adam foi proclamar D’us como Rei do Universo. Por isso, a cada Rosh Hashaná coroamos o Todo Poderoso como Rei do mundo, reafirmando nosso compromisso de servi-Lo apropriadamente.


Assim como D’us completou a Criação no primeiro Rosh Hashaná, a cada Rosh Hashaná Ele reavalia a qualidade do nosso relacionamento com Ele, assumindo uma vez mais o sustento do mundo. Nisto se constitui o julgamento de Rosh Hashaná.
Nossos sábios explicam que em Rosh Hashaná somos julgados por D’us.

Se merecedores, D’us nos inscreverá no Livro da Vida. Dez dias depois, em Yom Kipur, o Livro é selado.


Pelo arrependimento sincero, preces e práticas de caridade, podemos suavizar bastante o nosso julgamento
Véspera de Rosh Hashaná –
Neste dia distribui-se Tzedacá aos pobres para que possam comprar o necessário para Yom Tov.


• Hatarat Nedarim (anulação de promessas) é realizada na sinagoga após Shacharit (a Prece Matinal), perante um tribunal de dez homens.


• Entre as compras feitas para Rosh Hashaná deve-se incluir uma fruta da nova estação que ainda não foi provada, para poder falar a bênção de Shehecheyánu no acendimento das velas e no kidush da segunda noite

Hatarat Nedarim –


A cerimônia de Hatarat Nedarim anula qualquer promessa não cumprida por esquecimento ou força maior.


É realizada antes de Rosh Hashaná para que o ano novo reinicie sem conexão com qualquer falha do passado.

Leis e costumes de Rosh Hashaná


• Em Rosh Hashaná os Tefilin não são colocados.
A principal Mitzvá de Rosh Hashaná é ouvir o toque do Shofar. De acordo com a Torá deve-se ouvir pelo menos trinta toques. Porém é costume ouvir cem toques, trinta após a leitura da Torá e o restante durante e após o término das orações.

• Deve-se prestar atenção especial às bênçãos antes do toque do shofar e responder amên.


• Ao ouvir o toque do shofar, a pessoa deve ser despertada para retornar a D’us e proclamá-Lo como Rei do Universo.


• A partir do momento em que as bênçãos do shofar são recitadas até os últimos toques (no final do serviço religioso), os presentes devem permanecer em completo silêncio, sem conversar.


• Ao retornar da sinagoga, recita-se o kidush da noite de Rosh Hashaná


• Costuma-se usar chalot redondas em Rosh Hashaná simbolizando, entre outras razões, a coroação de D’us neste dia. Expressa-se também a esperança de que o ano novo seja perfeito e traga o melhor de tudo para cada um.


• Distribui-se um pedaço da chalá para cada participante, mergulhando-o no mel antes de comer. Isto é feito em todas as refeições da Festa. Antes de ingerir a chalá, pronuncia-se a bênção “Hamôtsi” .


• Na primeira noite de Rosh Hashaná, antes de iniciar a refeição, mergulha-se uma maçã doce no mel. Recita-se a bênção da fruta e um pedimos à D’eus nos nos dar um ano bom e dôce.


• Em Rosh Hashaná costuma-se comer coisas que simbolizam doçura, bênção e fartura.


Portanto, vinho doce ou bebidas doces, peixe e carne gorda fazem parte desta refeição. (Não se come nada temperado com vinagre ou raiz forte para não termos um ano amargo. Nozes também não.)


• Serve-se cabeça de peixe ou carneiro (na prática, a língua é utilizada) para representar o desejo de ser “cabeça”, sobressaindo-se com justiça e servindo de exemplo para todos.


• Tsimes, um prato de cenouras doces, também é servido. A palavra yidish para cenouras é meren, que também significa acrescentar. Assim, tsimes representa o desejo de possuir mais méritos que falhas


• Outros alimentos especiais são: alho-poró, acelga, tâmara, abóbora-moranga, feijão fradinho e romã.


• O bolo de mel é também uma sobremesa tradicional durante esta época


• Na conclusão da refeição, recita-se a Bênção de Graças (Bircat Hamazon), encontrada no Sidur (Livro de Rezas). Acrescenta-se o parágrafo Yaalê Veyavô, lembrando a data de Rosh Hashaná (Yom Hazicaron).
Em Rosh Hashaná à tarde, logo após Minchá (a Prece Vespertina), é costume ir até um lago ou poço onde haja peixes, para recitar a prece de Tashlich e invocar a mercê Divina. Esta oração encontra-se no Machzor (Livro de Rezas) de Rosh Hashaná. A palavra tashlich advém do versículo: “Tu jogarás (tashlich) seus pecados
nas profundezas do mar.” A água simboliza bondade; e os peixes, com seus olhos sempre abertos, representam a vigilância constante da Divina Providência

No final do segundo dia de Rosh Hashaná recita-se a havdalá encontrada no Sidur, sem acender a vela trançada e sem cheirar as especiariasAcesse o Link abaixo e veja a brachá para os alimentos simbolicos de Rosh Hashaná

Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

[Fechar]

Receba gratuitamente o melhor conteúdo do Coisas Judaicas no seu e-mail e fique sempre atualizado.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner