Asseret Yemê Teshuvá

Asseret Yemê TeshuváO Jejum de Guedalyá sempre ocorre um dia após Rosh Hashaná, em lembrança ao assassinato do governador da Terra de Israel e à dispersão dos judeus remanescentes (no ano 3339 após a Criação).
Um dos shabat mais importantes do ano é chamado Shabat (Te)Shuvá, (Retorno), é o Shabat entre Rosh Hashaná e Yom Kipur, quando lemos a Haftará Shuvá Yisrael (Retorna, Ó Israel). Até a chegada da véspera de Yom Kipur, o dia no qual nosso destino é selado para o ano todo.
Como podemos adquirir a grande virtude de temor a D'us? Pensando constantemente na majestade Divina e Seu poder ilimitado e, ao mesmo tempo, reconhecendo nossa insignificância e limitação de poderes. Muitas pessoas perdem a cabeça por causa do sucesso e do poder. 
Frequentemente, esquecem que algum dia terão de prestar contas ao Criador e responder por seus atos perante o Supremo Rei dos reis.

Achamos que somos grandes arquitetos: podemos construir pontes imensas, arranha-céus altíssimos. Mas o que é isto comparado com o Arquiteto de todo o Universo? Acreditamos ser grandes engenheiros: podemos fazer uma máquina capaz de fornecer luz para toda uma cidade! Mas o que é isto perante a criação do Sol, que fornece luz, calor e energia para o mundo inteiro? Julgamos ser grandes químicos: podemos fazer coisas impressionantes em nossos laboratórios! Mas, como disse certa vez um grande cientista, uma folha de capim nunca poderá ser igualada.
D'us criou todo o Universo e o homem para um determinado propósito. A finalidade é que o ser humano reconheça que D'us é o Criador e o Mestre. O temor a D'us é a base da vida, é o primeiro passo para um caminho correto.
Os três pilares
Durante os dias entre Rosh hashaná e Yom Kipur devemos fortalecer e aumentar em três pilares: Teshuvá (retorno), Tefilá (ligação) e Tsedacá (justiça) e praticá-los o ano todo.
Teshuvá/retorno
Um judeu é essencialmente bom e seu mais profundo desejo é praticar o bem. Porém, devido a várias circunstâncias, completa ou parcialmente fora de seu controle, ele erra. Este é o conceito judaico de Teshuvá - um retorno a sua essência, às raizes judaicas.
Tefilá/ligação
Tefilá significa nossa conexão, nossa ligação com D'us; e isto é importante para todos e em todas as ocasiões. Todo judeu tem uma alma ligada a D'us. Entretanto, os laços que atam a alma ao Todo Poderoso podem se enfraquecer. Para corrigir esta falha há durante o dia ocasiões específicas para a Tefilá, para renovar e tornar mais forte este elo. O conceito da Tefilá, o desejo de chegar mais perto de D'us, existe mesmo para aqueles que não necessitam de nada material.
Tsedacá/justiça
Fazer tsedacá, justiça, exige do judeu o cumprimento deste ato por dois motivos: primeiro, porque não está dando o que é seu e sim o que lhe foi confiado por D'us para dar aos outros; segundo, uma vez que todos dependem do Todo Poderoso para prover suas necessidades - embora D'us certamente não tenha obrigações para com ninguém - somos obrigados a retribuir "medida por medida" e dar aos outros, mesmo sem dever nada a ninguém e isto é superior a chessed, bondade: é um ato de justiça.
Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

[Fechar]

Receba gratuitamente o melhor conteúdo do Coisas Judaicas no seu e-mail e fique sempre atualizado.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner