Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber

1 – Hebraico é o idioma sagrado

O hebraico é tradicionalmente mencionado como Lashon Hakodesh (O Idioma Sagrado). Por quê? Maimônides diz que é porque o idioma não tem palavras para descrever palavras obscenas e partes privadas do corpo. Nachmanides, porém, diz que é porque esta é a linguagem que D'us usou para comunicar Sua vontade por meio dos profetas.

2 – Hebraico é a linguagem da Bíblia – Quase

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
A grande maioria da Bíblia Hebraica (Tanach) está escrita em hebraico. (Alguns dos últimos  livros da Bíblia,  Daniel e Ezra, contêm importantes partes em aramaico, a língua falada pelo povo judeu durante seu exílio na Babilônia.)

3 – Você pode dizer “sim” em hebraico?

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
O hebraico evoluiu no decorrer do tempo. No hebraico moderno, (Ivrit) ló é “não” e Kén é “sim”. No hebraico mishnaico (que era usado há cerca de 2.000 anos), a palavra para “sim” era hen. E voltando à Bíblia Hebraica, não parece que ali havia qualquer palavra para “sim”. Em seu contexto bíblico, Ken significa “perfeito” ou “completo”, pois como não há paz, nenhuma é completa e nenhuma pode ter conteúdo.

4 – Shalom significa mais do que apenas Paz em hebraico

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
Talvez a palavra mais bem conhecida em hebraico hoje seja shalom, que significa paz. Porém, a palavra significa muito mais que isso. Pode ser usada pra “alô” e “até logo” e tem também outros significados. Uma forma ligeiramente modificada, shalem, significa “perfeito” ou “completo’, pois desde que não haja paz, ninguém está completo e ninguém pode estar FELIZ.

5 – Sotaques Hebraicos Importam

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
Voltando aos tempos antigos, sempre tem havido dialetos variados do hebraico. Na verdade, a Bíblia relata que o povo de EFraim não podia dizer o “sh” na palavra shibolet (feixe), dizendo em seu lugar “sibolet”. Assim, numa época em que Efraim estava em guerra com o restante de Israel, aquele que não podia pronunciar a palavra era identificado como um efraimita.1 Nos séculos mais recentes, algumas comunidades judaicas em Lita (Lituânia Judaica) também não podiam dizer “h” e portanto se referiam a “Sabos” (Shabat). “Smuel” (Shmuel), etc.
E esta é apenas uma pequena diferença que deixa de lado algumas poucas comunidades. Há muitas mais trocando diferenças que tornam a mesma palavra quase irreconhecível. Por exemplo, um sefaradita pode se referir ao feriado de demanda-CASACO, um askenazita pode se referir a DOENTE-beijo ou beijo-DEMANDA (há muitos sub-dialetos em askenazi e sefaradi). No entanto, sob a superfície dessas diferenças fáceis de identificar, é a mesma palavra e a linguagem escrita é idêntica.

6 – Uma Palavra Hebraica = 5 Palavras Inglesas

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
Palavras hebraicas são formadas por palavras radicais com 2 ou 3 letras às quais prefixos e sufixos podem ser adicionados. Assim, uma palavra hebraica com vários prefixos e sufixos podem igualmente transmitir aquilo que 5 palavras em inglês iriam transmitir. Por exemplo, Veiotsihanu ignifica “e ele nos tirou”. Por este motivo, como qualquer tradutor hebraico-inglês pode lhe dizer, várias centenas de palavras em hebraico com frequência se transformam em milhares quando traduzidas para o inglês.

7. Hebrew Is the Language of Prayer

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
A prece é uma grande parte da vida judaica. Rezamos três vezes num dia regular, quatro vezes no Shabat e feriados, e cinco vezes em Yom Kipur. A parte principal dessas preces é em hebraico. É por isso que crianças judias com frequência são ensinadas a ler em hebraico antes mesmo de poderem entender o idioma (note que os sábios nos aconselham a ensinar compreensão em hebraico primeiro).

8 – As vogais hebraicas

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
As 22 letras do alfabeto hebraico são todas consoantes. Assim, o leitor faz uso de um sistema de pingos e pontinhos (chamados nekudot), que cercam as letras e fornecem a necessária vocalização.
Essas nekudot são um padrão no livro de preces e outros textos básicos. Porém, nem a Torá nem o Talmud (nem a maior parte da literatura hebraica) tem nekudot. Então como são entendidas? É como andar de bicicleta sem rodas de treinamento. Você precisa apenas se acostumar.

9 – O Mais Notável (Quase) Renascimento do Hebraico

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
No final do Século 19, líderes sionistas decidiram “reviver” o idioma hebraico (que não tinha sido usado comumente na fala diária durante mais de 1.000 anos) para tornar-se o idioma oficial na Terra de Israel. Para fazê-lo, eles pesquisaram a Bíblia e o Talmud para precedentes enquanto procuravam encontrar palavras para popularizar sua nova linguagem. Eles conseguiram criar o Hebraico Moderno, um feito sem igual na história da civilização. No entanto, o idioma é bastante diferente do Hebraico Bíblico em sintaxe e pronúncia (que é um híbrido simplificado de askenazita e sefaradita), e muitos afirmam que o novo idioma não é o mesmo que Lashon Hakodesh, o Idioma Sagrado.

10 – Hebraico é o Idioma da Criação

Dez fatos sobre o idioma hebraico que todo judeu deveria saber
Lemos em Bereshit 1 que D'us falou 10 pronunciamentos e criou o mundo. Esses foram ditos em hebraico. Assim, as letras e palavras do idioma hebraico são os conduítes através dos quais a pura energia Divina foi canalizada em todo aspecto da criação que vemos hoje. Até agora, dizem os cabalistas, D'us recria constantemente o mundo de novo, e cada criação recebe sua vitalidade através de seu nome hebraico.