Arqueólogos examinam Muro das Lamentações após queda de pedra

Arqueólogos examinam Muro das Lamentações após queda de pedra

Uma enorme pedra que caiu do Muro Ocidental de Jerusalém, quase sem um adorador, foi removida quarta-feira, quando especialistas tomaram o incidente como um sinal de cima para examinar a estabilidade da estrutura antiga. 

Dois milênios depois que milhares de operários o colocaram no lugar, a pedra caída foi içada por um operador de guindaste despretensioso chamado Yossi. 

Cerca de um metro de altura e largura e pesando aproximadamente 400 kg, a pedra caiu em uma plataforma de oração na segunda-feira. Na quarta-feira, o guindaste gentilmente colocou a pedra sobre duas tábuas de madeira em uma clareira zoneada próxima. Três pedras menores que se separaram da pedra quando ela se soltou também foram movidas. 

Nem profissionais da Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) nem rabis da administração do Muro das Lamentações se lembraram de tal ocorrência. Ocorreu em uma parte menos visitada da muralha, onde homens e mulheres podem orar juntos, contrariamente à prática judaica ortodoxa na praça principal próxima ao local sagrado. Os crentes ofereciam interpretações do que consideravam um sinal divino, com teorias que iam do descontentamento à legislação parlamentar recente a insinuações de redenção iminente. 

“Ninguém pode compreender o raciocínio divino, mas somos ordenados a ser despertados”, disse o ativista judeu ultra-ortodoxo Shimshon Elboim no local. A muralha, localizada na Jerusalém Oriental anexada por Israel, é o local mais sagrado onde os judeus podem rezar. Eles o reverenciam como os restos de uma parede de suporte de seu segundo templo bíblico, destruído pelos romanos em 70 dC. 

Existem milhões de visitas por ano. 

Imediatamente acima está o santuário do ponto de fulgor conhecido pelos judeus como o Monte do Templo, o mais sagrado do judaísmo, reverenciado como o local onde os dois templos judaicos bíblicos se encontravam. Para os muçulmanos, é o complexo de Haram al-Sharif, o terceiro mais sagrado do Islã depois de Meca e Medina, e lar da mesquita Al-Aqsa e da Cúpula da Rocha. 
Resultado de imagem para pedra cai no muro das lamentações
– ‘Despertar’ – Para Amit Reem, o arqueólogo do distrito de Jerusalém para o IAA, o raro incidente foi “um alerta” para inspecionar as muitas antiguidades e sítios arqueológicos na Cidade Velha de Jerusalém. Para avaliar a condição da parede, o IAA foi criado para construir andaimes através dele, com equipes de profissionais usando radar, ultra-som e lasers para examinar “toda e qualquer pedra”, disse Reem.



Os especialistas poderiam então entender por que a pedra – na verdade, uma parte de um dos enormes blocos de pedra da parede – se quebrou e ofereceu soluções para evitar ocorrências futuras. “Achamos que a razão é uma razão natural

 – talvez a água que se infiltrou na pedra, talvez raízes de plantas que cresceram na pedra”, disse o arqueólogo. O fato de tais ocorrências serem tão raras foi um testemunho do “genial método de construção” de Herodes, de acordo com Reem. 

O governante da era romana mandou construir as muralhas para expandir a superfície do monte sobre o qual ele construiu o suntuoso segundo templo judeu, disse ele. Ele usou calcário extraído do que é atualmente o norte de Jerusalém, com pedreiros meticulosamente cortando cada bloco “com precisão milimétrica” ​​para se encaixar em fileiras justas, antes de serem rolados para o canteiro de obras. 



Os blocos de pedra, pesando até centenas de toneladas cada e até quatro metros de profundidade, foram colocados sem materiais de ligação. Os especialistas não sabem ao certo como foram posicionados, embora talvez por guindastes ou rampas de terra. 

Cada fileira de blocos foi ligeiramente recuada em relação à anterior, criando uma estrutura de pirâmide subtil pouco visível a partir da frente, mas que proporcionou estabilidade. Yossi Algrabli, dono de uma empresa de guindastes que veio com seu funcionário mais confiável para levantar a pedra, elogiou a obra de Herodes. “Você vê a santidade aqui”, disse ele, enquanto segurava o controle remoto do enorme guindaste. “Sempre que venho aqui, meu coração se derrete.”


       Blog Coisas Judaicas:Tomamos o Muro das Lamentações por óbvio?
Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

[Fechar]

Receba gratuitamente o melhor conteúdo do Coisas Judaicas no seu e-mail e fique sempre atualizado.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner