20 de mai. de 2018

Israel aceitará solução pacífica do conflito com uma condição

Israel aceitará solução pacífica do conflito com uma condiçãoIsrael descarta a possibilidade de solução pacífica do conflito, caso a Palestina se recuse a reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, declarou o ministro para Jerusalém e Assuntos da Diáspora de Israel, Zeev Elkin.
"Não haverá solução pacífica que não compreenda Jerusalém como capital israelense […] nenhum governo de Israel a permitirá", afirmou Elkin em entrevista ao jornal Investiya.
De acordo com ele, a transferência da embaixada norte-americana a Jerusalém deve aumentar as possibilidades de solução pacífica, por obrigar a Palestina a perceber que Israel não vai renunciar seus direitos a Jerusalém. 

No dia 14 de maio, os EUA inauguraram embaixada em Jerusalém, agravando maciços protestos palestinos na Faixa de Gaza. A decisão sobre a transferência foi anunciada pelo presidente norte-americano, Donad Trump, ainda em 6 de dezembro do ano passado. 
A decisão dos EUA provocou fortes críticas por parte da comunidade internacional, contudo, vários países, como a Guatemala, Honduras e Paraguai apoiaram a iniciativa dos EUA e resolveram seguir exemplo.
Israel considera Jerusalém como sua capital "única e indivisível", incluindo zonas adjacentes orientais e o centro histórico da cidade. 
A comunidade internacional vê o assunto como um dos problemas principais do conflito no Oriente Médio que deverá ser resolvido através de um acordo com os palestinos que reivindicam a parte oriental da cidade sagrada.  

SHARE THIS

Author:

O Coisas Judaicas cobre uma das partes mais complicadas e controversas do mundo, o Estado de Israel. Determinado a manter os leitores totalmente informados e capacitá-los a formar e desenvolver suas próprias opiniões, o Blog existe de 2005 e sempre procuramos dar a nossos leitores noticias e opiniões avalizadas. Sobre Israel, a região e o mundo judaico.

0 coment rios:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos