Header Ads

  • Breaking News

    Torres do Congresso terão projeção para relembrar o Holocausto

    Judeus na rampa de seleção em Auschwitz, em maio de 1944 Bundesarchiv, Bild 183-N0827-318 / CC-BY-SA 3.0 Para propósitos de documentação, o Arquivo Federal Alemão (Bundesarchiv) muitas vezes conservava as legendas originais de imagem, que podem ser erróneas, tendenciosas, obsoletas ou politicamente extremas. KZ Auschwitz, Ankunft ungarischer Juden
    Judeus na rampa de seleção em Auschwitz, em maio de 1944 Bundesarchiv,
    Bild  Auschwitz, Ankunft ungarischer Juden
    Nesta quarta-feira (11), o edifício do Congresso Nacional terá suas duas torres iluminadas com a frase “Holocausto Nunca Mais”. 
    A iniciativa é do Museu do Holocausto de Curitiba e da Confederação Israelita do Brasil (Conib) e conta com o apoio do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). O Senado cedeu a utilização do espaço após autorização do presidente da Casa, Eunício Oliveira, e da diretora-geral, Ilana Trombka.
    — A ideia é relembrar essa tragédia histórica que tanta dor causou — disse Luiz Carlos Creutz, assessor legislativo do senador, que afirmou tratar-se de uma iniciativa cultural.
    O Holocausto é como ficou conhecido o genocídio de cerca de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial, por meio de um programa sistemático de extermínio étnico, patrocinado pelo estado nazista, liderado pelo ditador Adolph Hitler e pelo Partido Nazista Alemão. O assassinato em massa de judeus não ocorreu só na Alemanha, mas nos países que apoiaram o Eixo e nos territórios ocupados pelo Terceiro Reich durante a guerra.
    Luiz Carlos diz que a projeção tem objetivo de despertar o interesse de quem quiser conhecer a história e o que motivou o Holocausto, de modo que busquem meios para se informar melhor sobre essa tragédia. Ele lembra que, além dos judeus, outras minorias como ciganos e imigrantes também foram perseguidos. Observou ainda que não há intenção de chocar com imagens fortes, seguindo a proposta da exposição Shoá – o Holocausto: como foi humanamente possível?, que está na Câmara e apresenta depoimentos sobre a experiência de judeus que sobreviveram.

    Exposição na Câmara

    A exposição Shoá — o Holocausto: como foi humanamente possível? pode ser visitada até esta quarta-feira (11) no corredor de acesso ao Plenário Ulysses Guimarães. O objetivo é estimular a reflexão sobre o extermínio de judeus durante a Segunda Guerra. A mostra, organizada pelo departamento de Exposições Itinerantes do Yad Vashem (Centro Mundial de Lembrança do Holocausto), em Jerusalém, Israel, tem curadoria de Rinat Harris-Pavis e consultoria de Avraham Milgram, tendo sido exposta na Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015.
    Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

    Nenhum comentário

    Deixe sua opinião

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Web Statistics