Tazria-Metzorá

www.coisasjudaicas.com

בס''ד

לעילוי נשמת

מזל בת אסתר  נאצר ז''ל נלב''ע ה' סיון תשמ''א
חיים בן שפיאה נאצר ז''ל נלב''ע י''ז שבט תשס''ב
אסתר בת אולגה שמאע ז''ל נלב''ע י''א כסלו תשנ''ה
מרדכי בן שרה הכהן דואק ז''ל נלב''ע כ''ו תמוז
גרשום בן עקיבא רבינוביץ ז''ל ב' אלול

Seguindo a ordem da criação quando o ser humano foi criado depois dos animais, a Parashá anterior nos ensinou sinais de pureza animal e a nossa Parashá nos ensina conceitos básicos de pureza familiar.  

A Parashá nos conta que toda mulher que tem a alegria de se tornar mãe de um filho tem que passar por um pequeno procedimento de purificação, um "detox espiritual" antes de voltar à vida conjugal


Esse “detox” começa com uma etapa de cinco dias a partir do início do sangramento no parto e pode ser​ chamada de dias "não limpos" (mesmo tendo o sangramento terminado antes dos cinco dias)

Se o fluxo de sangue já parou, no quinto dia ela faz um "hefssek Tahará" (Todos os detalhes de "como" fazer isso podem ser encontrados na nossa página de "Tahará [casadas]"  https://ongtora.com/mikve/ e vale a pena também ler a página  https://ongtora.com/mikve/midot/)

Depois do Hefssek Tahará ela conta sete dias limpos (fazendo uma verificação todo dia para ver se eles ainda estão limpos de verdade) e no final do sétimo dia limpo ela mergulha no Mikve. Depois disso ela volta à vida conjugal


Se ela teve a alegria de se tornar mãe de uma filha ela também conta cinco dias a partir do começo do sangramento do parto e sete dias limpos mas só vai para o Mikve dois dias depois disso para completar catorze dias a partir do parto.

No oitavo dia do parto de um filho, se o recém nascido estiver saudável é feito o "Brit Milá" mesmo se for Shabat.

A palavra "Tazria" (semear) é usada na nossa Parashá para a mulher que dá a luz, nos indicando que mesmo ela tendo um aborto que não tem nenhuma consistência humana e se parece com um sêmen, mesmo assim é considerado que ela teve um filho em relação às leis de pureza familiar


e não só isso, mas filhos verdadeiros que também vão ressuscitar na ressurreição dos mortos, como escreveu o Rav Moshe Feinstein à um aluno que lhe comunicou o fato de sua mãe ter tido vários abortos :-"Em breve quando for a vontade Divina de os mortos ressuscitarem você terá irmãos Tzadikim que nunca na vida provaram o gosto de um pecado" (igueret Moshe).

Então, se você teve um aborto, você também é mãe e no futuro vai ter orgulho do seu filho (ou filha) , e que isso aconteça já em breve em nossos dias !

Parashat Metzorá :

A Torá nos conta sobre manchas que poderiam aparecer nas paredes das casas, nas roupas e nas pessoas.


Essa mancha é chamada de "Nega Tzaraat" , a pessoa portadora dela é chamada de "Metzorá" .

Isso foi traduzido muitas vezes como lepra, doença causada pelo Mycobacterium leprae, mas é um verdadeiro erro de tradução como veremos a seguir:

Em primeiro lugar devemos nos lembrar que a Torá deu permissão ao médico para curar. Essa permissão não é somente uma autorização mas sim uma ajuda Divina que é dada ao médico para que ele possa curar

Pela Torá a pessoa que está doente e não vai ao médico está fazendo um atentado contra a própria vida e se ele falece em consequência disso é considerado suicida.

No caso dessa mancha , a “nega tzaraat”, a Torá pede para procurar um Cohen e não um médico, nos revelando que a nega tzaraat não é uma doença mas sim uma manifestação espiritual que não aparece por contágio e não desaparece por meio de medicação

Don Itzhak Abarbanel foi o grande Tzadik que encorajou os judeus espanhóis na época da inquisição a deixarem a Espanha e não fazerem idolatria .


Ele nos explicou que a "Tzaraat" não é uma doença física mas sim uma "praga" mandada dos céus que aparecia de uma maneira sobrenatural e sua cura era por meio de um ritual espiritual como ele explica detalhadamente:

1- O Cohen começa a purificação do "Metzorá" com o abate de um pássaro​ em um pote de barro , nos mostrando que o ser humano é como um pote de barro nas mãos do seu artesão que vai modelando ele de acordo com a sua vontade.


E também nos indicando que a Tzaraat vem de Hashem para melhorar nossa forma, para melhorar nosso caráter

2- Dentro desse pote de barro onde é feito o abate do pássaro é colocada água de fonte (em hebraico "águas vivas") representando a Torá que é comparada a água da fonte que desce dos lugares altos para os lugares baixos e está no coração de cada um de nós


e por não termos guardado ela da maneira correta morre o pássaro abatido, daqui vemos que a nega tzaraat aparece por meio de nossas ações e não por contágio

3- Um pássaro vivo é mergulhado (mas continua vivo) no sangue do pássaro​ morto , nos ensinando que a "Tzaraat" por natureza não é doença e nem é contagiosa (como no caso da lepra) mas sim um decreto Divino ligado ao comportamento errado daquela pessoa representado pelo pássaro morto.

4- A cura da  "nega tzaraat" não acontece de maneira natural mas sim de maneira milagrosa, e por isso o "Metzorá" que é o portador da “nega tzaraat” vai para o Cohen (o sacerdote) e não para o médico.

5- A "Tzaraat" da roupa e da casa é a mesma que a das pessoas e ela não tem nenhum vínculo à doenças do corpo humano, o fato de que a mesma Tzaraat pode aparecer em paredes (mineral) e em roupas (vegetal e animal) nos obriga a ver a Tzaraat como expressão​ sobrenatural, milagrosa.

Conclusão: depois dessa explicação tão detalhada do don Itzhak Abarbanel vemos que o certo é transcrever a palavra Tzaraat e não pegar uma tradução errada que a fonte dela é aquela mesma idolatria que por causa dela don Itzhak Abarbanel teve que sair da Espanha com seiscentos mil judeus na inquisição !

A "Tzaraat" era um decreto Divino que afetava principalmente pessoas que causavam intrigas entre marido e mulher ou entre uma pessoa e outra, pessoas que causavam separações, por isso o Metzorá era separado do acampamento (por que causou separações) e depois sua purificação envolvia dois passarinhos que tem a característica de piar na casa de um e na casa de outro representando o “leva e trás" que ele fazia.  

O lado bom da coisa ruim

Mas nem sempre a Tzaraat era um decreto Divino para corrigir a personalidade da pessoa (enriquecê-la espiritualmente), de vez em quando a Tzaraat era um decreto Divino para enriquecer a pessoa materialmente


O Midrash nos conta em nome de Rabi Shimon Bar Yohái que quando os povos de Canaã ouviram que o povo de Israel estava se preparando para vir conquistá-la, se prepararam para nos "receber", e entre outras estratégias de guerra esconderam dentro das paredes e debaixo do piso das casas todos os seus tesouros.

Depois, quando fugiram, muitos esqueceram esses tesouros na hora da fuga, ou não tiveram tempo de pegar esses tesouros, que continuaram escondidos nas paredes​.

Conta o Midrash que o bom D'us disse :- Prometi para o povo de Israel casas repletas com tudo de bom, e quem vai avisar eles sobre os tesouros que eles têm em casa?

Portanto, continua o Midrash, quando aparecerem sinais de “nega tazaraat, a pessoa vai ser obrigada a demolir a casa e aí ele encontra os tesouros escondidos!

Então a Tzaraat, e sua consequência, a destruição da casa, eram uma grande alegria para eles porque dessa maneira eles encontravam fortunas escondidas.

Daqui aprendemos um ensinamento básico para todos os acontecimentos de nossa​ vida: Quando temos "tzarot"(sofrimentos​) e achamos que estamos passando por uma fase ruim e que D'us esqueceu só de nós, temos que nos lembrar que por causa dessas "tzarot" vamos descobrir tesouros de todos os tipos​ que não descobriríamos a não ser por meio (no mérito) dessas tzarot,


como disse o rei David no Tehilim:- "de noite dormimos chorando e de manhã acordamos cantando".

Ou seja, a mesma coisa que causou para nós dormir chorando, ela própia vai nos fazer acordar cantando!


E não se trata de ganhar experiência com as "tzarot" mas sim tesouros verdadeiros! Ou seja, depois que a "casa quebra" ficamos ricos de verdade!

E principalmente agora que já passamos por todos os sofrimentos​ já está na hora de Mashiach chegar e vermos com nossos próprios olhos que nunca existiram sofrimentos, mas tudo era a bondade Divina oculta e que agora chegou a hora de ela se revelar, em breve em nossos dias



🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷
 

Agradecemos imensamente à Fernanda e Elias Messer que por meio da sua empresa Line Life apóiam a  nossa ONG TORÁ

Nossos agradecimentos também à querida família Nasser, às famílias Gueler e Rabinovich, à empresa Neeman despachantes aduaneiros à Francis e Fábio Grossmann (grupo Facislito) ,à Roger Ades e família, à querida família Guttmann, e à família Worcman grupo  hotel Rojas


À Família Grinszpan, à Samy Sarfatis Metta , à Paola Yael e  Lígia Marie,

à empresa Adar Tecidos , à nossas voluntárias e à todos vocês que lêem a nossa Parashá.


Que Hashem dê à eles e à todos vocês muito sucesso, muita saúde, muito dinheiro e felicidades judaicas de toda a família!
 

🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷
 

Para o horário das velas de Shabat acesse ao site

http://pt.chabad.org/calendar/ zmanim_cdo/aid/900177/jewish/H orrio-Halchico.htm e escreva o nome da sua cidade

 

🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷


Nosso projeto ONG TORÁ ISRAEL continua precisando de um apoio especial


Nosso novo e-mail é ongtoraisrael@yahoo.com.br 


Receba-o com carinho, e mesmo se você não puder doar alguma coisa responda o e-mail com um Yashar Coach para a Edna, nossa voluntária que está dedicando à esse projeto de corpo e alma


Nossos agradecimentos à Yehuda e Laura Carmi que já apoiam esse projeto!

Se você também quiser ter o mérito de participar, entre em contato diretamente com a nossa voluntária que está cuidando dele  Full time.


Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião