Crianças não nascem racistas

Crianças não nascem racistasMenino corta cabelo igual a amigo para tentar enganar a professora

Jax e Reddy comemoram na barbearia após o corte de cabelo Foto: Debbie Weldon/A.

Para promover uma 'pegadinha' na escola, um menino de cinco anos pediu à mãe que cortasse seu cabelo igual ao do amigo - no olhar do menininho, esta era a única diferença entre os dois, e a professora agora não poderia mais distingui-los. 

Publicada pela mãe dele nas redes sociais, a história, que já ultrapassou 135 mil curtidas e 75 mil compartilhamentos, chamou a atenção por um detalhe que o sábio Jax ignorou: ele é branco e seu amigo, negro. As informações são da agência de notícias "Associated Press".

“Ele disse que mal podia esperar para ir para a escola na segunda-feira com o seu novo cabelo como o de Reddy, de forma que a professora não fosse conseguir distingui-los. Ele pensou que seria hilário confundir a professora com o mesmo corte de cabelo”, contou Lydia Stith, mãe de Jax, na publicação.
Crianças não nascem racistas
Esta manhã, o jax e eu estávamos a discutir o seu cabelo selvagem. Disse-lhe que precisava de cortar o cabelo este fim-de-semana. Ele disse que queria a cabeça rapada, para que pudesse parecer o seu amigo reddy. Ele disse que não podia esperar para ir à escola na segunda-feira com o cabelo como o reddy, para que o professor não fosse capaz de os separar. Ele achou que seria hilariante confundir o professor com o mesmo corte de cabelo.

Aqui está uma foto do jax e do reddy do programa de natal deles. Tenho a certeza que todos vêem a semelhança.


Se isto não é prova de que o ódio e o preconceito é algo que é ensinado não sei o que é. A única diferença que o jax vê nos dois é o cabelo deles.
Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião