Presidente da Síria envia mensagem secreta para governo de Israel - Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog judaico

Post Top Ad

 Presidente da Síria envia mensagem secreta para governo de Israel

Presidente da Síria envia mensagem secreta para governo de Israel

Share This
 Presidente da Síria envia mensagem secreta para governo de Israel

Eugenio Goussinsky

A mensagem secreta enviada, segundo o site Debka, pelo presidente da Síria, Bashar al-Assad, para o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, no início desta semana, mostra que, no cenário político do Oriente Médio, alguns interesses estão sendo reformulados. Para a Síria, a animosidade histórica com Israel, principalmente por causa das estratégicas colinas de Golã, deixou de ser prioridade momentânea. 

O maior objetivo de Assad, agora, é se manter no poder em meio a uma guerra interna sangrenta e sem perspectivas de se encerrar. Na mensagem, divulgada pelo site, especializado em estratégia e segurança, Assad mostra interesse em tranquilizar Israel em relação a possíveis movimentações do grupo Hezbollah nas fronteiras sírias. A nota elaborada pelo presidente sírio, segundo o site, foi entregue por um intermediário europeu. 

E diz o seguinte: “A guerra não é o que eu estou procurando. Tudo o que quero agora é concentrar-me na reunificação da Síria e na reconstrução das ruínas da guerra”. Assad ainda completou, em referência ao Hezbollah: “Somos uma nação soberana. Não devemos entregar nossas fronteiras ao controle de outras forças além das sírias”. Coincidência ou não, o texto foi enviado poucos dias depois de Netanyahu conversar com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, o maior protetor do governo Assad, expondo seu descontentamento em relação à possibilidade de o Hezbollah ameaçar Israel a partir da Síria. 

O primeiro-ministro alertou Putin, na ocasião, informando que seu país não toleraria a presença do Hezbollah ou de tropas do Irã nas fronteiras com Israel. O presidente do Líbano, Michel Aoun, que também necessita conviver internamente com o Hezbollah, foi outro governante que tomou iniciativa semelhante à do presidente sírio. Não se sabe se a Síria tinha conhecimento da iniciativa do governo libanês. A mensagem secreta de Aoun foi assinada pelo seu genro, Gebran Bassil, ministro das Relações Exteriores libanês. E também teve como objetivo tranquilizar Netanyahu. 

O texto, enviado dias depois da conversa do israelense com Putin, diz: se o presidente libanês acreditasse que as operações do Hezbollah não servissem aos interesses nacionais e de segurança do país, ele não hesitaria em afirmar isso claramente. Foi mais um recado direto confirmando que as possíveis movimentações do Hezbollah contra Israel já não estariam recebendo o mesmo apoio de outrora. 

A sequência de mensagens secretas remete a uma época em que o Estado de Israel ainda estava para ser criado, em 1947, e sua existência permanecia ameaçada. Foi quando a então representante da Agência Judaica, Golda Meir, se reuniu secretamente, e por duas vezes, com o rei Abdullah I, da então Transjordânia, hoje Jordânia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

Post Bottom Ad

Pages

Real Time Web Analytics