Portela contará na Avenida as saga dos judeus imigrantes de Pernambuco - Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog judaico

Post Top Ad

 Portela contará na Avenida as saga dos judeus imigrantes de Pernambuco

Portela contará na Avenida as saga dos judeus imigrantes de Pernambuco

Share This
 Portela contará na Avenida as saga dos judeus imigrantes de Pernambuco

Portela leva para a Sapucaí enredo inspirado em livro de escritor pernambucano.

Obra usada pela escola de samba retrata a trajetória de imigrante judeus que, após serem expulsos do Recife, ajudaram a construir a cidade de Nova York.

Quando o Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela entrar na Marquês de Sapucaí, na noite de 12 de fevereiro, levará para a avenida um pouco de Pernambuco. O enredo com o qual a escola de samba carioca desfilará no Carnaval 2018 tem como inspiração o livro "Caminhos cruzados: A vitoriosa saga dos judeus do Recife - da Espanha à fundação de Nova York", do escritor pernambucano Paulo Carneiro. A obra narra a trajetória dos imigrantes judeus que passaram pelo Estado e, após a expulsão holandesa, no século 17, foram parar nos Estados Unidos, ajudando a construir uma das maiores metrópoles do mundo. 

O autor, que não vive no Recife há mais de duas décadas, revela que o livro - lançado em 2015 - surgiu com a proposta de provar que a presença de judeus pernambucanos na fundação da Big Apple não se trata apenas de uma lenda. Ao longo de suas 164 páginas, a publicação traça os passos de um povo até seu desembarque na colônia de Nova Amsterdã, atual Nova York, no dia 7 de setembro de 1654. 

Ao pesquisar sobre o assunto durante mais de um ano, Carneiro acabou descobrindo uma ligação pessoal com esses personagens: ele é descendente de cristãos-novos, judeus que se converteram ao catolicismo e, por isso, permaneceram no Brasil. 

Essa saga acabou chamando a atenção da carnavalesca Rosa Magalhães, que assumiu o lugar de Paulo Barros na Portela, logo após a escola conquistar o primeiro lugar no Carnaval do ano passado. Ela ganhou o livro de Carneiro de um amigo e ficou encantada com a história. O anúncio de que seu texto seria tema de um desfile carnavalesco foi uma surpresa para o jornalista. "Não esperava que isso acontecesse. Meu livro não é nenhum best-seller e o tema não costuma ser tão abordado", confessa.

Com base nas informações apresentadas pelo autor, Rosa definiu o enredo da águia azul e branca para 2018: "De repente de lá pra cá e dirrepente daqui pra lá". "É um fato histórico pouco conhecido, mas muito interessante. É uma história com início, meio e fim, e que possibilita boas fantasias e alegorias", afirma Fábio Pavão, que integra a comissão de Carnaval da agremiação. Buscando uma abordagem contemporânea, a carnavalesca propôs falar também da atual crise migratória que ocorre na Europa e em outras partes do mundo.
"A intenção é mostrar como o passado pode nos apontar coisas sobre o presente e o futuro. Há uma mensagem forte contra a xenofobia e a favor da paz entre os povos", comenta Fábio. O samba-enredo escolhido, composto por Samir Trindade, reforça o recado: "É legado, é união, é presente, igualdade. É 'Noviórque' pedestal da liberdade". 

Este ano, a escola entra no sambódromo com seis carros alegóricos e 3.400 pessoas. "O primeiro setor explora as paisagens do Nordeste a partir da visão dos artistas holandeses. No terceiro carro, retratamos o Recife do período holandês, mostrando como era uma cidade aberta às diferentes culturais", detalha. 

Um dos carros preparados reproduz um navio pirata. A alegoria representa o momento em que os judeus, após a expulsão de Pernambuco, partem para a Holanda, mas são atacados por uma embarcação espanhola. "Acredito que, com essa música, o tema e tudo mais que estamos preparando, a Portela tem todas as chances de levar o bicampeonato consecutivo", assegura. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

Post Bottom Ad

Pages

Real Time Web Analytics