O oito essencial: Uma visão mais profunda

O oito essencial: Uma visão mais profunda
As Oito Vestimentas Sacerdotais Correspondem aos Oito Componentes dos querubim
O principal assunto desta porção semanal da Torá são as vestimentas sacerdotais usadas pelos Cohanim (sacerdotes) em seu serviço no Templo Sagrado de Jerusalém e no Tabernáculo. Um Cohen (sacerdote simples) usava quatro vestimentas sacerdotais, enquanto o Cohen Gadol (Sumo Sacerdote) usava oito vestimentas sacerdotais. Estas oito vestimentas correspondem aos oito componentes da imagem completa do Templo, os querubim, anjos.
Cada anjo tinha quatro elementos:
  • Uma face
  • Um corpo
  • Asa direita
  • Asa esquerda
Juntos, os dois querubim somavam oito componentes.
Da mesma forma, as oito vestimentas sacerdotais também se dividiam em quatro mais quatro:
  1. As quatro vestimentas brancas dos Cohanim – Estas quatro vestimentas correspondem a um querub e às quatro letras (yud, kei, vav, kei) do Nome Essencial de D’us, Havaya. Elas representam uma dimensão relativamente masculina.

  2. As quatro vestimentas douradas do Cohen Gadol – Estas quatro vestimentas são usadas juntamente com as quatro vestimentas brancas dos Cohanim. Elas correspondem ao dois querubim unidos e às quatro letras (alef, dalet, nun, yud) do Nome de D’us, Adnut. Elas representam uma dimensão relativamente feminina.

O Poder Reparador das Oito Vestimentas Sacerdotais

Cada uma das oito vestimentas sacerdotais tinha um especial poder reparador para cada pecado em particular de Israel:
VestimentasNome da VestimentaNome em HebraicoPoder Reparador
Quatro vestimentas brancas dos Cohanimchapéumitznefetarrogância
cinta larga (da cintura ao coraçãoavnetluxúria
camisakutonet
(mesma palavra que a camisa de Yossef usada por seu irmão como evidência de sua “morte”)
assassinato
calçasmichnasayimadultério
Quatro vestimentas douradas do
Cohen Gadol
lâmina dourada na frontetzitzorgulho
mantome'ildifamação
placa peitoralchosehen mishpatjulgamento corrupto
aventalefodidolatria

A porção da Torá desta semana, Tetsavê, começa, na verdade, com D’us ordenando Moshê a preparar azeite de oliva puro para ser usado na menorá (o candelabro de sete braços que era aceso diariamente no Templo Sagrado) e continua com a descrição das vestimentas sacerdotais. Esta justaposição sugere uma íntima conexão entre o azeite de oliva e as oito vestimentas.
A palavra hebraica para “óleo” é shemen, que é a raiz de “oito” em hebraico, shmone.
Vamos primeiro explorar a conexão essencial entre o óleo e o número oito.

O número sete representa a natureza. Oito é sobrenatural. Ele representa o ein sof, “infinito”. O valor numérico do Nome Essencial de D’us, Havaya, é 26, que pode ser reduzido a 8 (2 mais 6). Assim, oito é a essência numérica de Havaya, o Nome ligado aos milagres.
A palavra shemen também significa “gordura”. Se a perfeição da natureza é sete, o óleo (gordura) é mais que o estado natural do ser humano. Existiram grandes rabinos e tsadikim que se tornaram fisicamente gordos apenas pelo grande prazer Divino de servir a D’us e experimentar a revelação sobrenatural de D’us no mundo. (Isto pode ser chamado de obesidade santificada).
O primeiro versículo de nossa porção da Torá (Êxodo 27:20) tem 15 palavras:

Ve'ata te'tzveh et bnei Yisrael ve'yikchu ei'lecha shemen zayit zach katit lama'or la'alot ner tamid.

“E tu ordenarás aos filhos de Israel e eles lhe trarão óleo puro de olivas, esmagadas para se tornarem uma luz, para acenderem uma luz eterna”.
A oitava palavra, tanto a partir do início quanto a partir do final do versículo (em hebraico), é a palavra shemen, “óleo”.
234567
"Ve'atate'tsavêetbneiYisraelve'yikchuei'lecha

8
shemen
7654321
zayitzachkatitlama'orla'alotnertamid



A frase do versículo acima, "shemen zayit zach" (“óleo de oliva puro”) também gira em torno do oito. Existem 8 letras na frase shemen zayit zach (soletrada, em Hebraico: shin-mem-nun, zayin-yud-tav, zayin-kaf) que se dividem em 3, 3 e 2. Quando 8 é dividido desta forma, o produto de seus componentes (3 vezes 3, vezes 2 = 18) é máximo. Esta é uma forma ótima de dividir um número.
Quando cada letra da palavra shemen e zayit é soletrada letra por letra por extenso, novamente temos dois conjuntos de oito letras que se dividem em 3, 3, e 2:
Shemen é soletrada:shinmemNun
Soletrada por extenso:shin-yud-nunmem-memnun-vav-nun

Zayit é soletrada:zayinyudTav
Soletrada por extenso:zayin-yud-nunyud-vav-dalettav-vav



Os Sábios (Midrash) começam a explicação da porção da Torá desta semana com o versículo de Yirmiyáhu 11:16 que define as propriedades da azeitona e explica por que o povo Judeu é comparado ao óleo de oliva. Esta frase também tem 8 letras que se dividem em 2, 3 e 3:
"Zayit ra'anan (2), yafe peri to'ar (3), kará Hashem shim'cha (3) – Tranquila oliveira, cujo fruto é de bela aparência, tem D’us em seu nome”.

Gordura é Vestimenta

Em Devarim 32:15, Israel é criticado por ter se tornado “gordo, espesso e coberto”. Nossos Sábios dizem que estes três adjetivos correspondem às três gerações que precedem a revelação de Mashiach.
Do Ba’al Shem Tov aprendemos que tudo tem duas manifestações. Para cada interpretação negativa também há uma interpretação positiva.
O Lubavitcher Rebe explica ainda que as três interpretações positivas dos adjetivos acima são:
  1. Gordura – favorecimento pelo prazer nos mistérios da Torá
  2. Espesso – favorecimento pelas boas ações
  3. Coberto – revelação ao mundo dos segredos que estavam antes cobertos. De acordo com o Lubavitcher Rebe, este adjetivo se refere especificamente à geração final antes da revelação do Mashiach
Dos adjetivos acima aprendemos que gordura é uma cobertura — vestimenta.

O Povo Judeu Assemelha-se ao Óleo de Oliva

Nossos Sábios dizem que as cinco descrições do óleo de oliva no primeiro versículo desta porção da Torá ("Shemen zayit zach katit lama'or — Puro óleo de oliva, esmagadas para se tornarem uma luz") também descrevem o povo Judeu:
DescriçãoPropriedades do ÓleoPropriedade Correspondente do Povo Judeu
1Shemen (Óleo)Sobe à superfície e a cobre – cremeQuando o povo Judeu procura dentro dos segredos da Torá (óleo) eles produzem coberturas (vestimentas).
2Zayit (Oliva e árvore)Árvores não deixam as folhas caíremEternidade do povo Judeu
3Zach (Puro)Óleo não se mistura com outras substânciasO povo Judeu não se assimilará totalmente
Estas primeiras três descrições correspondem aos oito elementos do Cohen Gadol. Em particular, a classe sacerdotal, e suas restrições quanto à assimilação com outros Judeus, dá poder total ao povo Judeu para não se assimilar.
4Katit (Moído)A oliva precisa ser esmagada para a extração do óleo.Às vezes, o povo Judeu precisa resistir às misérias do exílio para verdadeiramente retornar a D’us.
5Lama’or (Tornar-se uma luz)É a moagem que produz o óleo que acende as lâmpadas.Da moagem ao retorno a D’us, o povo Judeu se torna a fonte de luz para iluminar o mundo inteiro, inclusive aqueles que inicialmente os esmagaram.

A Conexão

Oito é o segredo da conexão do óleo de oliva puro com as vestimentas sacerdotais. Quando meditamos sobre o óleo de oliva e nos conectamos com sua energia, criamos as oito vestimentas do Cohen Gadol que irradia sua energia ao povo Judeu para que eles possam iluminar o mundo.

Leia também:  Feriados Judaicos
Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

[Fechar]

Receba gratuitamente o melhor conteúdo do Coisas Judaicas no seu e-mail e fique sempre atualizado.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner