Header Ads

  • Breaking News

    O líder sênior da Al -Qaeda quer matar judeus, americanos sobre Jerusalém

    O líder sênior da Qaeda quer matar judeus, americanos sobre Jerusalém

    Um líder sênior da Al-Qaeda pediu aos muçulmanos “em todos os lugares” para se levantar e matar judeus e americanos em resposta à decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel. 

    Em um vídeo lançado segunda-feira, Khalid Batarfi disse que a decisão de Trump era “uma declaração de uma nova guerra dos judeus-cruzados” e todos os muçulmanos tinham o dever de “liberar” a cidade sagrada, informou o grupo de monitoramento do SITE Intelligence. 

    “Nenhum muçulmano tem o direito de ceder Jerusalém, não importa o que aconteça”, disse Batarfi, um dos principais comandantes do poderoso grupo de Yemen. “Somente um traidor desistiria ou o entregaria”. “Deixe-os (muçulmanos) subir e atacar os judeus e os americanos em todos os lugares”, disse ele, no vídeo de 18 minutos intitulado “Nosso dever para a nossa Jerusalém”. 

    Rompendo com décadas da política dos EUA, Trump, em 6 de dezembro, disse que sua administração reconheceria Jerusalém como a capital de Israel e levaria sua embaixada de Tel Aviv para a cidade. Na segunda-feira, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, comprometeu-se a mudar a embaixada até o final de 2019, em um discurso no parlamento de Israel, que viu os legisladores árabes terem expulso depois de gritarem em protesto. Jerusalém é a terceira cidade mais sagrada dos muçulmanos e a primeira cidade sagrada para os judeus. 

    A decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém desencadeou protestos em todo o mundo muçulmano e também foi criticada por vários aliados dos EUA. No vídeo, o Batarfi demitiu os protestos dos aliados dos EUA como não genuínos e “nada além de pó jogado nos olhos”.

    Nenhum comentário

    Deixe sua opinião

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Web Statistics