Do Éden ao Divã

Do Éden ao DivãReza a lenda que a pior pessoa para quem você pode contar uma piada de judeu é exatamente um judeu, pois ele sempre dirá que já a conhece e que além disso sabe contá-la muito melhor do que você. Mas até mesmo os judeus terão o que descobrir com o relançamento do livro Do Éden ao Divã – Humor Judaico (Companhia das Letras), publicado pela primeira vez em 1990.
Organizado pelo escritor gaúcho Moacyr Scliar (1937 – 2011), pelo poeta e tradutor argentino Eliahu Toker (1934 – 2010) e pela escritora Patricia Finzi, ex-proprietária da editora Shalom, que lançou a primeira edição, o volume é uma antologia de piadas e cartuns sobre o povo hebreu.
Além de evitar que esse legado se perca na tradição oral com o passar das gerações, o livro conta com textos que o situa do ponto de vista histórico e geográfico. Esse rico material de apoio é um diferencial em relação às inúmeras compilações de piadas judaicas disponíveis no mercado.
O relançamento será marcado com uma mesa-redonda nesta segunda-feira (27/11), às 19h30min, na Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80), em Porto Alegre, com as presenças de Abrão Slavutzky, Leniza Kautz Menda, Cíntia Moscovich e participação especial de Patricia Finzi. A mediação será da jornalista de Zero Hora Cláudia Laitano. O evento, que integra a programação dos 80 anos de nascimento de Scliar, ainda contará com uma atração de stand-up comedy com Jairo Trombka e Alexandre Shapiro, que contarão piadas do livro. A entrada é franca.

Negreiros / Reprodução
Embora o humor judaico seja associado principalmente ao tipo de piada melancólica que remete à vida nos shtetls, as comunidades judaicas do Leste Europeu, essa verve cômica sofreu mutações ao longo do tempo. Muita coisa separa o senso de humor contido de Kafka e o sarcasmo de Woody Allen. Patricia avalia que o humor judaico faz parte da milenar tradição cultural judaica:
– É o único humor de um povo que ri de si mesmo, e não de outros povos.  É o humor da autocrítica. Não perde atualidade no que se refere a temas importantes da vida cotidiana como  família, antissemitismo, comida, negócios, riqueza e pobreza, ingenuidade e inteligência.
Patricia lembra que a literatura de Scliar está impregnada de humor desde o início:
– Quando lhe propus compilar um livro sobre humor judaico desde a época bíblica até os anos 1990, ele achou impossível. Dois minutos depois, estava contando e criando piadas.

Redi / Reprodução
Para Abrão Slavutzky, psicanalista e autor do livro Humor É Coisa Séria (Arquipélago), a piada é também uma espécie de crônica de uma época:
– Não sei se daqui a cem anos contaremos histórias da idishe mame. Hoje, as mães judias têm profissão e não ficam o tempo todo cuidando do filho.
No final das contas, o chiste é também uma maneira de tratar dos assuntos mais espinhosos da existência, como a própria finitude. Perseguições, pobreza e ironia em relação a Deus são temas presentes no humor judaico. Slavutzky tem uma metáfora culinária para explicar:
– Quando pegamos uma panela quente, geralmente utilizamos uma toalha ou um agarrador para não nos queimarmos. O humor é justamente essa toalha ou agarrador, pois a realidade é traumática, sofrida, difícil.

Do Éden ao Divã


Reprodução / Reprodução
Capa do livro
Organização de Moacyr Scliar, Patricia Finzi e Eliahu Toker. Companhia das Letras, 248 páginas, R$ 59,90 (livro) e R$ 39,90 (e-book). Lançamento nesta segunda-feira (27), às 19h30min, na Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country (Av. Túlio de Rose, 80).

Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

[Fechar]

Receba gratuitamente o melhor conteúdo do Coisas Judaicas no seu e-mail e fique sempre atualizado.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner