O que é a caligrafia de Rashi e de onde veio?

O que é a caligrafia de Rashi e de onde veio?Por Yehuda Shurpin

Pergunta:

Eu vi as letras hebraicas impressas no padrão "quadrado" e "na caligrafia de Rashi”. Você pode explicar as origens da escrita de Rashi? É uma caligrafia exclusiva?

Resposta:

Rashi é um acrônimo de Rabi Shlomo Yitzchaki (1040–1105 EC), cujo comentário, sem exagero, é considerado o principal comentário bíblico até hoje. A grande maioria das Bíblias judaicas são impressas em conjunto com o comentário clássico de Rashi, que geralmente é impresso em uma letra script diferente. Rashi, no entanto, nunca escreveu neste script.
Antes de entrar nas origens dessa caligrafia e de onde obteve o nome, deve-se apontar que, exceto as letras א ב צ ש, a caligrafia de Rashi é muito parecida com as fontes convencionais usadas na impressão hebraica:

A Imprensa

Até o século 15, os escribas judeus escreveram meticulosamente cada cópia da Torá, os comentários e outros manuscritos. Com a invenção da imprensa por Johannes Gutenberg em torno de 1439, "o Povo do Livro" começou a tirar vantagem dessa inovação para disseminar obras judaicas.
Não está claro qual o trabalho hebraico que pode reivindicar o título de ter sido o primeiro livro judaico impresso, já que muitas das primeiras obras judaicas foram impressas sem data. No entanto, o primeiro trabalho judaico impresso com uma data é o comentário de Rashi sobre o Pentateuco, publicado em 5 de fevereiro de 1475, em Reggio, Calabria, por um juiz sefardita chamado Abraham Garton. (Esta não foi a primeira edição impressa do comentário de Rashi, entre 1469 e 1472, três irmãos, Obadiah, Menashe e Benjamin de Roma, eram conhecidos por terem impresso uma edição de Rashi, mas sem data.1) O que é único sobre a edição 1475 de Rashi é que a impressora criou e usou um novo tipo de letra com base na escrita sefaradi semi-cursiva existente.
Enquanto as primeiras edições do comentário de Rashi foram impressas como um trabalho separado sem o texto bíblico atual, mais tarde, esse tipo de letra foi adotado por outras impressoras quando imprimiram obras como o Mikraot Guedolot, uma edição da Torá que inclui vários comentários, como Rashi. Para distinguir entre o texto bíblico e os comentários, o texto bíblico foi impresso no tipo de letra comum quadrado, enquanto os comentários foram impressos no que é hoje conhecido como a Escrita Rashi.
Embora não esteja claro quem realmente cunhou o termo "Escrita Rashi", o termo evoluiu a partir do fato de que o comentário de Rashi - impresso em "letras de Rashi" - não é apenas o comentário mais proeminente, é muitas vezes impresso como o único comentário dentro da Torá.

Razões para usar a letra Rashi

Além de usar o tipo de letra Rashi como meio de diferenciação entre os textos, existem várias razões pelas quais as impressoras optaram por usar essa letra:
• A Escrita Rashi era um tipo de letra mais compacta, o que permitia que mais palavras coubessem em uma página. Numa época em que papel e impressão eram muito caros, muitos optaram por usar a Escrita Rashi para outras obras hebraicas.
• O tipo de letra Rashi foi considerado como contendo um "menor grau de santidade", então alguns optaram por usá-la para escritos rabínicos.
• O tipo de letra quadrado comum usado na impressão se assemelha às letras em um rolo da Torá, e não se deve usar a letra da Torá para qualquer outra coisa que não seja no pergaminho do rolo da Torá e outros artigos sagrados. Como a Escrita Rashi é bastante diferente da escrita da Torá, alguns a preferiram.2
No entanto, o Lubavitcher Rebe encorajou fortemente o uso do tipo de letra quadrada comum para que esses vários comentários e pensamentos da Torá se tornassem acessíveis ao maio número de pessoas possível.3

Pensamentos finais sobre aprender Rashi

Seria negligente de minha parte se ao discutir o comentário de Rashi eu não mencionasse que o Rebe anterior, o rabino Yosef Yitzchak Schneersohn, foi quem instituiu que cada pessoa aprenda, como parte de seu estudo diário, uma parte da porção semanal da Torá juntamente com o comentário de Rashi . Cada porção da Torá é dividida em sete partes, correspondendo aos sete dias da semana. Assim, no domingo, aprenderia desde o início até "Sheini", a segunda aliá e na segunda-feira até "Shelishi", a terceira aliá e assim por diante etc.
A explicação de Rashi sobre a Torá é uma parte indispensável ao estudo diário de Torá de uma pessoa. Seus comentários possuem a habilidade única de tanto esclarecer o significado “simples” do texto de forma que mesmo uma criança brilhante de cinco anos possa entender, e ao mesmo tempo, fornece a fonte sobre a qual a maioria dos outros comentários clássicos se basearam. Eles também serviram como fundamento para alguns dos mais profundos discursos jurídicos e místicos obtidos dali propiciando a criação de “super Comentários” próprios.
Dada a primazia do comentário de Rashi, é apropriado que a escrita geralmente usada para traçar comentários rabínicos à Torá tornou-se universalmente conhecida como a Escrita Rashi.

NOTAS
1.
“Rashi: Commentary and Plain Meaning,” University of Pennsylvania Libraries, Judaica Online Exhibitions(accessed June 28, 2017).
2.
Maguen Avraham, Orech Chaim 334:17; veja também Igrot Kodesh, vol. 18, p. 177, e Shulchan Menachem, vol. 5, p. 214, e fn. 13.
3.
Veja Torat Menachem 5749, vol. 3, p. 101, citado em Shulchan Menachem, vol. 5, p. 215.
Share on Google Plus

About Coisas Judaicas

No Coisas Judaicas, fazemos de tudo para manter nossos amigos e visitantes bem informados. Todo mês, mais de 45 mil visitantes do mundo inteiro procuram nosso Blog para ler sobre:Judaísmo, Israel e o mundo judaico. É a nossa missão

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

[Fechar]

Receba gratuitamente o melhor conteúdo do Coisas Judaicas no seu e-mail e fique sempre atualizado.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner