Hamas muda de postura com Israel - Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog judaico

Post Top Ad

Hamas muda de postura  com Israel

Hamas muda de postura com Israel

Share This
Hamas muda de postura  com IsraelPor Nidal al-Mughrabi e Tom Finn

GAZA/DOHA (Reuters) - O grupo palestino islâmico Hamas descartou nesta segunda-feira seu antigo pedido de destruição de Israel, mas disse que ainda rejeita o direito de existência do país e apoia “esforços armados” contra ele.

Em documento político apresentado em Doha pelo líder Khaled Meshaal, o Hamas também informou que irá acabar sua associação com a Irmandade Muçulmana, em atitude aparentemente com objetivo de melhorar os laços com Estados do Golfo Árabe e Egito, que veem a Irmandade como um grupo terrorista.

Israel respondeu ao anúncio acusando o Hamas de tentar “enganar o mundo”, enquanto o principal rival político palestino do grupo, a facção Fatah do presidente Mahmoud Abbas, também reagiu friamente à mudança política.

A publicação do documento político acontece dois dias antes da viagem programada de Abbas a Washington e dias após o presidente Donald Trump dizer à Reuters que pode viajar a Israel neste mês e que não vê razão para não haver paz entre Israel e os palestinos.

“Não queremos dissolver nossos princípios, mas queremos estar abertos. 

Esperamos que (este documento) possa marcar uma mudança na postura dos Estados europeus em nossa direção”, disse Meshaal a repórteres.
O Hamas, que contrala a Faixa de Gaza desde 2007, informou em documento que concorda com um Estado Palestino transitório com as fronteiras de 1967, quando Israel capturou Gaza, a Cisjordânia e Jerusalém Oriental em uma guerra com Estados árabes. Israel se retirou de Gaza em 2005.

“O Hamas defende a liberação de toda a Palestina, mas está pronto para apoiar o Estado nas fronteiras de 1967 sem reconhecer Israel ou ceder quaisquer direitos”, disse Meshaal, em uma mudança que leva o Hamas para linha mais próxima à posição do Fatah.

Israel informou que o documento tem objetivo de enganar o mundo de que o Hamas está se tornando mais moderado.

“O Hamas está tentando enganar o mundo, mas não irá conseguir”, disse David Keyes, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. “Eles cavaram túneis de terror e lançaram milhares e milhares de mísseis contra civis israelenses. Este é o verdadeiro Hamas.”

Fundado em 1987 como uma ramificação da Irmandade Muçulmana, movimento egípcio islâmico banido, o Hamas lutou três guerras com Israel desde 2007 e realizou centenas de ataques armados em Israel e territórios ocupados por Israel.

Muitos países ocidentais classificam o Hamas como um grupo terrorista por não renunciar à violência, não reconhecer o direito de existência de Israel ou por não aceitar acordos de paz internos existentes entre Israel e palestinos.
Meshaal disse que a luta do Hamas não é contra o judaísmo como uma religião, mas contra o que chamou de “agressores sionistas”.
(Reportagem adicional de Maayan Lubell, em Jerusalém, e Ali Sawafta, em Ramallah)



Um comentário:

  1. Israel está pagando um preço alto por não ter expulsado toda a população árabe de seu território. Fazer acordos com inimigos é isso que dá.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião

Post Bottom Ad

Pages

Real Time Web Analytics