Header Ads

  • Breaking News

    5 startups que vão revolucionar o modo como comemos

    5 startups que vão revolucionar o modo como comemos

    Israel está preparando um grande banquete de tecnologia aplicada a alimentos, o que tem deixado os políticos, investidores e industrialistas com água na boca.
    Seguindo a tradição de antigos processos como o de retirada da cafeína e a liofilização, a tecnologia de alimentos atua hoje na engenharia de tecidos, na pesquisa de células-tronco, na microbiologia e na nanotecnologia. Dada a experiência israelense nessas áreas, é natural que os investidores e industriais que integram a multibilionária indústria de tecnologia de alimentos estejam atentando-se aos rumos da tecnologia na nação das startups.
    Os sinais desta tendência incluem a construção de um enorme centro de inovação e pesquisa de alimentos na Alta Galileia e o estabelecimento da The Kitchen FoodTech Hub, em Ashdod e FoodLab Capital, em Rishpon, visando investir em startups israelenses voltadas à tecnologia de alimentos.
    “Nomes extremamente fortes estão chegando a Israel à procura de inovação aplicada à tecnologia de alimentos”, diz Michal Neeman, CEO da Lumeega, que promove o desenvolvimento de negócios na indústria alimentar e da tecnologia de alimentos em Israel. Ela acompanhará a delegação israelense a Milão, juntamente com funcionários do Instituto de Exportação Israelense (Israel Export Institute) e do Ministério da Economia.
    Abaixo um breve resumo das 5 startups israelenses que têm revolucionado o segmento de tecnologia aplicada a alimentos.
    Neste mês, a Hargol, antiga Steak TzarTzar, vai começar a exportar proteína em pó a base de gafanhoto para a América do Norte. Em dezembro, a premiada empresa foi a primeira do mundo a inaugurar a criação de gafanhotos em escala comercial, em Israel, e está fechando uma rodada de financiamento (com investidores de Israel, Singapura e EUA), elevando seu investimento total a $1 milhão. Em 7 de maio, a Hargol ganhou o desafio TLV Startup Challenge na categoria ag-tech/food-tech, e se apresentará na Conferência de Ideias Alltech One para 4.000 líderes da agricultura e do ramo alimentício em Kentucky, no final deste mês.
    5 startups que vão revolucionar o modo como comemos

    Flying Spark planeja construir uma instalação em Israel para a criação de larva de mosca de forma econômica, e transformá-las em proteína em pó. O processo de captação de recursos esta em andamento, e a startup enviou amostras para fabricantes do México, Japão e Europa interessados no negócio.
    DouxMatok possui tecnologia para acentuar a doçura do açúcar, possibilitando aos fabricantes usar menos açúcar em alimentos e bebidas sem abrir mão do sabor característico. A empresa está passando por uma rodada de financiamento Série A de $7.5 milhões, saindo a frente em um mercado internacional com previsão para meados de 2018.
    Outra startup de carne limpa, denominada Meat the Future, em breve irá comercializar a tecnologia desenvolvida no laboratório de engenharia de tecidos do Prof. Shulamit Levenberg, no Instituto Israelita de Tecnologia Technion (Technion-Israel Institute of Technology). O objetivo é criar bife a partir de algumas células de vaca usando um biorreator.
    Inspecto construiu um protótipo de scanner portátil e um aplicativo de “compra inteligente” para auxiliar produtores e consumidores na detecção de resíduos de pesticidas nos alimentos. A Inspecto, graduada dos aceleradores 8200 EISP e MassChallenge, foi considerada uma dos dois vencedores da recente comissão econômica da ONU para o Prêmio Europeu de Metas de Desenvolvimento Sustentável Ideas4Change.
    Fonte: Israel 21c

    Nenhum comentário

    Deixe sua opinião

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Loading...
    Web Statistics