Header Ads

  • Breaking News

    Hamas acusa Israel de liquidar um dos seus membros na Tunísia

    O grupo  palestino Hamas anunciou, este sábado, que um engenheiro tunisino morto recentemente era um dos seus dirigentes e acusou Israel de o ter assassinado, prometendo vingança.

    "Mohamed Zaouari foi morto por Israel", afirmaram à agência noticiosa France-Presse (AFP) as brigadas Ezzedine al-Qassam, braço armado do Hamas.

    "O assassinato de Zaouari em Tunes é uma agressão contra a resistência das brigadas al-Qassam, e o inimigo deve saber que o sangue dos dirigentes não vai correr em vão", indica o movimento em comunicado.

    O engenheiro era um importante responsável no aperfeiçoamento de 'drones' e tentou introduzir-se em Israel em 2014, precisou o Hamas, acrescentando que trabalhava há dez anos para a "resistência".
    O Hamas que controla a Faixa de Gaza anunciou um dia de luto, enquanto o partido islamita tunisino Ennahdha apelou às autoridades para investigarem o assassinato, que na sua perspetiva ameaça a "estabilidade" do país.

    O engenheiro, de 49 anos, foi morto a tiro na quinta-feira em Sfax (leste), a segunda cidade da Tunísia, quando se encontrava num automóvel frente à sua residência.
    O Ministério do Interior tunisino anunciou que pelo menos cinco suspeitos foram detidos, em Sfax e ainda em Tunes e Djerba (sudeste). Foram apreendidos quatro veículos e duas pistolas com silenciadores.

    De acordo com a autópsia, o homem foi crivado por 20 balas, afirmou à rádio privada Mosaïque FM Mourad Turki, um representante do procurador-geral.
    As autoridades israelitas não reagiram às acusações do Hamas, mas no passado o Estado judaico assassinou diversos membros de grupos ativistas, em particular da Organização de Libertação da Palestina (OLP) e, designadamente, na Tunísia.


    Nenhum comentário

    Deixe sua opinião

    Post Top Ad

    Post Bottom Ad

    Loading...
    Web Statistics