Substituição de importações turcas pela Rússia beneficia Israel - Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog judaico

Post Top Ad

Substituição de importações turcas pela Rússia beneficia Israel

Substituição de importações turcas pela Rússia beneficia Israel

Share This
Na sequência do ataque ao bombardeiro SU-24, o Ministério da Agricultura russo anunciou o fim das importações de legumes e outros vegetais da Turquia. 
Israel deverá ser um dos fornecedores beneficiados pela medida.

Depois de o presidente russo Vladimir Putin ter anunciado o fim da cooperação russo-turca no domínio da segurança, e de ter pedido aos turistas russos que evitem visitar a Turquia, o ministro russo da Agricultura, Alexander Tkachev, anunciou ontem que as importações de vegetais provenientes da Turquia seriam recusadas.

O ministro russo reconheceu, por outro lado, segundo citação do diário israelense Yeditoh Aaronot, que a suspensão de importações provenientes da Turquia vai criar um problema à Rússia: "Os legumes turcos correspondem a 20 por cento do total de importações de legumes. A importação de legumes será substituída pelos do Irã, Marrocos, Israel, Azerbaijão, Uzbequistão". O ministro manifestou especial empenho em conseguir uma alternativa ao fornecimento de 360.000 toneladas de tomates da Turquia.

Além disso, a Rússia importa cerca de 250.000 toneladas de citrinos da Turquia, que o ministro agora espera possam ser obtidos na África do Sul, Marrocos, China, Argentina, Israel, Abcásia e Geórgia.

O pretexto invocado por Tkachev para suspender as importações da Turquia foi, o de "violação das normas sanitárias". Adnan Dalgahran, da Associação de Exportadores Turcos, confirmou ao diário turco Sabah que as alfândegas russas estavam a recusando importações turcas, invocando diversos pretextos.

As sanções russas são de aplicação mais difícil para a própria Rússia por se seguirem a sanções idênticas, de parte a parte, entre a Rússia e os países ocidentais, que desse modo retaliaram contra a anexação da Crimeia e a ingerência da Rússia na Ucrânia oriental.

Por outro lado, a mídia israelense estão a festejar com especial atenção a oportunidade que se abre à agricultura do país, ela própria atingida com alguma severidade, quer pela recente legislação europeia obrigando a identificar como tais os produtos dos colonatos, quer pela campanha BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções). O Yediotoh Aaronot considera, assim, que Israel "será provavelmente o maior beneficiário da nova política russa".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

Post Bottom Ad

Pages

Real Time Web Analytics