Premiê Manuel Valls faz homenagem aos judeus franceses

Judeus franceses manifestam neste sábado (10/01) perto da mercearia judaica atacada por radical islâmico.
REUTERS/Youssef Boudlal
Milhares de pessoas se reuniram na noite deste sábado (10) nos arredores da mercearia judaica onde cinco pessoas morreram no dia anterior durante um ataque de um terrorista islâmico. O primeiro-ministro francês foi ao local pedir para a comunidade judaica não ter medo de viver no país.

Durante a cerimônia organizada pela União dos Estudantes Judeus da França, foram lidos em voz alta os nomes das quatro vítimas do terrorista Amedy Coulybaly que acabou sendo morto pela polícia durante a operação.

O primeiro-ministro Manuel Valls fez uma aparição surpresa e fez questão de confortar a comunidade com mensagens de solidariedade. "Se estamos aqui esta noite é para dizer mais uma vez que o antissemitismo atingiu nosso país", declarou. "Atacar os judeus na França é atacar o que é mais fundamental no nosso país, quer dizer, a convivência mútua", acrescentou.

"Sou consciente de que os judeus franceses vivem com medo há muito tempo, e várias vezes lembrei que sem os judeus, a França não seria a França", disse.
"Não tenham medo de ser jornalistas, não tenham medo de ser judeus", insistiu o premiê, em referência às vítimas do jornal satírico Charlie Hebdo e também aos mortos da mercearia kosher que vende produtos para a comunidade judaica.
Premiê israelense quer judeus franceses em Israel
As declarações de Manuel Valls foram feitas após o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netaniahu, sugerir aos judeus franceses que imigrem para Israel. "A todos os judeus da França, a todos os judeus da Europa, eu digo: Israel não é somente o lugar para onde vocês se dirigem na ora de rezar. O estado de Israel é a casa de vocês", disse o premiê, em Jerusalém.
Segundo a imprensa israelense, Netaniahu teria encarregado um comitê ministerial de discutir durante a semana, meios de estimular a imigração de judeus franceses e europeus para Israel.
Em 2014, e pela primeira vez desde a criação do estado judeu em 1948, a França foi o primeiro país de emigração para o território israelense com mais de 6.600 pessoas deixando o país para se instalar em Israel.
Com uma população estimada entre 500 mil a 600 mil membros, a comunidade judaica francesa é a mais importante da Europa e a terceira no mundo, atrás apenas de Israel e dos Estados Unidos. 

Postar um comentário

0 Comentários