30 de dez. de 2014

Bênçãos de Baixo, Bênçãos de Cima

 Bênçãos de Baixo, Bênçãos de Cima

 
Por Tor@Mail.com
 
A leitura da Torá desta semana fala principalmente das bençãos que Yaakov deu aos seus filhos, pouco antes de partir deste mundo.

Quais são exatamente as bençãos? Como elas funcionam ? Como pode um ser humano dar bençãos? Para entender isso, aqui está uma história.

Havia um chassid (seguidor) muito rico do Baal Shem Tov, chamado Zalman. Ele possuía vastas florestas e uma enorme fábrica. Ele e sua esposa viviam numa mansão palaciana, eram pessoas muito bondosas e doavam muita tsedacá. Mas algo os deixava arrasados: não tinham seus próprios filhos.

Zalman empreendia longas viagens para visitar seu mestre, o Baal Shem Tov, mas nunca teve a coragem de se queixar sobre o seu problema, afinal ele tinha muito a agradecer. Mas ultimamente sua esposa ficou muito triste e deprimida, chorava todos os dias e isso o abalou muito. Então resolveu ir ao Baal Shem Tov e de pé, diante do homem sagrado, implorou por uma benção.

O Baal Shem olhou para o Chassid com um semblante sério e lhe respondeu: "Sinto muito, Zalman, eu não posso ajudá-lo" Fez uma pausa e acrescentou: "A menos que você esteja disposto a perder toda a sua riqueza. Veja, no céu existem três portas do sucesso: saúde, riqueza e filhos. Foi decretado que apenas duas estariam abertas para você. A saúde e a riqueza. Se você quer ter filhos deverá estar disposto a perder um dos dois. Minha bênção só pode atrair para baixo o que estará disponível a você. Vá para casa e pergunte à sua esposa se ela está disposta a viver uma vida de pobreza."

Sem hesitar, o chassid declarou: "Sim, sim, eu não tenho que perguntar à minha esposa. Ela me disse antes de partir que sua vida não faz sentido sem um filho. Ela disse estar disposta a sacrificar tudo! Por favor, nos conceda esta benção", ele implorou.

Zalman levou seis dias para chegar de volta ao seu lar com a ótima notícia. O tempo para ele voou. Mas ao chegar deparou com sua esposa na porta, torcendo as mãos de preocupação com um olhar apreensivo no rosto. "Entre e sente-se Zalman", ela disse-lhe com voz quebrada, " apenas sente-se e ouça. Enquanto você esteve ausente ocorreu uma onda de calor no meio do inverno. Todas as árvores que estavam aguardando nas margens do rio gelado cortadas e empilhadas por seus trabalhadores – dois milhões de rublos em madeira – foram embora antes de podermos colocar nosso selo nelas, ou amarrá-las. É uma perda enorme, Zalman, nós nunca vamos obter os registros de volta!”

Então, como se isso não bastasse, no dia seguinte ocorreu mais uma tragédia: um incêndio na fábrica, ninguém sabe como começou, mas perdemos tudo." Ela estava realmente chorando agora, mas continuou, "Eu sei que tudo é de D'us, Zalman, mas estamos acabados. Apenas as máquinas sobraram e nem sei de ainda funcionam. Os credores já estão batendo à porta e, tenho medo, não temos como pagá-los. Zalman, você está bem? Por que você está sorrindo? Zalman, o que está fazendo?"

Zalman estava em êxtase! Ele se levantou e gritou: "É a bênção do Baal Shem Tov" Ele começou a cantar e dançar, "Nós vamos... Nós vamos ter um filho ! UM BEBÊ!"

"Zalman, realmente? "Sua esposa se juntou a ele, "Sério? Oh, graças a D'us, Baruch HaShem!!"

E assim aconteceu, conforme o sábio havia falado. Eles venderam sua mansão, as suas terras e os restos da fábrica para pagar as dívidas, e começaram a viver modestamente.

Zalman tentou trabalhar sem sucesso, então ele começou a pedir esmola mas em nenhum momento sentiu-se abatido. Para sua grande alegria sua esposa ficou grávida e, um ano depois, eles estavam abraçando um lindo bebê. E a bênção não parou, multiplicou-se! E tiveram dez filhos.

Um certo dia, o Baal Shem Tov veio visitar a cidade onde vivia Zalman. Ele se estabeleceu na grande sinagoga Chassídica e em pouco tempo a notícia se espalhou e o local ficou lotado de pessoas que vieram de perto e de longe para vê-lo, pedir seus sábios conselhos e receber sua benção. Zalman entrou calmamente na sinagoga e acomodou-se num canto. Para ele, era suficiente apenas olhar o rosto de seu santo Rebe. Mas de repente o Baal Shem Tov chamou-o pelo nome e pediu para se aproximar.

"Nú Zalman", perguntou o Santo Homem "Como está a sua família?" "Graças a D’us! Obrigado HaShem!" ele respondeu: "Eu e minha esposa estamos muito felizes, temos, Baruch HaShem (Graças a D'us ) dez filhos lindos."

"Mas eu vejo que você não tem dinheiro. Correto? Bem, o meu conselho: Vá para Minsk. Há mais habitantes lá, e você encontrará mais oportunidades.” O Baal Shem Tov então entregou a Zalman uma pequena bolsa de moedas, "Isso vai manter sua esposa e filhos até seu retorno. Que D’us lhe dê sucesso."

No dia seguinte, Zalman estava em seu caminho para Minsk. Ele chegou na sexta-feira de manhã, encontrou uma pousada, correu para o Mikvê (casa de banho judaico) e foi para a sinagoga. Após as orações do Shabat um dos membros proeminentes da comunidade o convidou para jantar em sua casa. Zalman apreciou a refeição quente e deliciosa que lembrou-lhe dos bons tempos, vividos anos atrás quando tinha posses. Mas percebeu que algo estava errado. O olhar triste no rosto do homem rico revelava um coração partido.

Ele agradeceu seu anfitrião pela refeição e perguntou por que o motivo de sua tristeza. Ele abriu seu coração revelando que tinha uma filha de 30 anos, com quem ninguém desejava se casar. Ela teve três chances, mas algo ocorria logo após o noivado. O primeiro noivo foi alistado no exército russo, o segundo ficou muito doente e o terceiro caiu em más companhias e abandonou a comunidade. Todo mundo achava que ela era amaldiçoada e ninguém queria considerá-la para casamento.

"O que você está esperando", disse Zalman ao homem rico: " O povo judeu não é órfão, D'us nos deu um Rebe de verdade. O Baal Shem irá ajudá-lo como ele me ajudou, não se preocupe meu amigo, a salvação está próxima!"

No início da manhã de domingo, eles começaram a viagem e em menos de dois dias, estavam diante do Baal Shem Tov.

"Quando você chegar em casa você vai ter uma boa notícia" disse o Baal Shem Tov ao homem rico." No casamento de sua filha, deve lembrar de dar ao seu pobre amigo aqui um salário bom pelo seu conselho. Não se esqueça! Recompensa de um bom casamenteiro."

Claro que dois dias mais tarde, ao chegarem de volta ao lar deste homem, sua esposa e a filha estavam esperando na porta para cumprimentá-lo felizes e radiantes.

Parece que o primeiro noivo, o que tinha sido alistado, foi de repente e misteriosamente dispensado do exército, e a primeira coisa que perguntou quando desceu da carruagem que o levou para casa foi se sua ex noiva ainda estava disponível! O rabino da comunidade declarou que a jovem era normal e saudável e definiram a data do casamento.

A festa foi deslumbrante, centenas de longas mesas repletas de comidas e bebidas foram ornamentadas, e a banda tocava músicas animadas enquanto a multidão reuniu-se em torno da "Chupá" à espera do noivo, seguido da noiva, para a cerimônia começar. O homem rico estava circulando feliz, cumprimentando seus convidados, recebendo votos de Mazal Tov, quando no meio da multidão, o Baal Shem Tov apareceu, pegou-o pelo braço e puxou-o de lado. "Diga-me, você deu ao seu pobre amigo uma recompensa como casamenteiro?", perguntou-lhe. "Eu certamente dei", respondeu o pai da noiva. "Dei-lhe dois mil rublos" (cerca de 20 anos de salários).

"Não é o suficiente", disse o Baal Shem Tov.

"Tudo bem, então eu vou dar-lhe dez mil", ele respondeu com um sorriso "Eu acho que realmente devo isso a ele."

"Ainda não é suficiente", disse o Baal Shem Tov. "Eu não acho que você entende o que eu quero dizer " continuou: "Diga-me o quanto você vale? Tudo, com todos os seus bens e investimentos, me dê uma estimativa aproximada."

O homem próspero começou a suar profusamente, ele afrouxou o colarinho, enxugou a testa, pensou um minuto e, ainda um pouco confuso, respondeu: "Eu suponho que cerca de três milhões de rublos."

"Dê a ele a metade!" disse o Baal Shem Tov.

O homem estava totalmente chocado! Cambaleou para trás, recuperou o equilíbrio e sussurrou, descrente, "Metade? Metade de tudo o que tenho?"

"Deixe-me fazer-lhe uma pergunta", continuou o Baal Shem Você sempre foi rico ou tornou-se rico?"

“Bem", ele recuperou sua compostura e ignorando totalmente a multidão, respondeu: "A verdade é que eu costumava ser pobre, na verdade, eu costumava pedir dinheiro. Mas uma manhã, há mais de dez anos, andei até o rio para ficar sozinho e, de repente, avistei muitos troncos de Madeira flutuando, descendo rio abaixo. Não continham nenhuma marca. Chamei alguns homens fortes, lhes dei alguns copeques para puxarem tudo para fora. Carreguei e levei toda a madeira ao mercado, onde vendi obtendo um fabuloso lucro.”

“Foi como um sonho. Tornei-me um homem rico de um dia para o outro. Então eu ouvi sobre alguém vendendo máquinas de uma fábrica de fósforo que se incendiou. Então eu comprei tudo por um décimo do valor e comecei a minha própria empresa. Desde então, as coisas só foram subindo."

"Perceba, meu amigo", disse o Baal Shem "Isso tudo que você tem pertencia ao seu pobre convidado! Dê-lhe metade e todos serão felizes. Vocês dois vão ser ricos, ele tem filhos, você tem um noivo e em breve vocês terão netos!"

Aonde esta história nos conduz:

Um dos trabalhos dos Tsadikim é "abençoar", ou seja, trazer para o mundo físico todas as coisas boas que estão esperando por nós nos mundos espirituais e nos ensinar a ser parceiros de D'us, a fonte de todas as bênçãos.

Agora podemos entender por que Yaakov abençoou seus filhos antes de deixar o mundo: para dar-lhes o poder de não só suportar a descida para o Egito e os desafios a partir daí, mas também para abençoar o mundo e, eventualmente, trazer a revelação suprema do Bem com a vinda de Mashiach.

SHARE THIS

Author:

O Coisas Judaicas cobre uma das partes mais complicadas e controversas do mundo, o Estado de Israel. Determinado a manter os leitores totalmente informados e capacitá-los a formar e desenvolver suas próprias opiniões, o Blog existe de 2005 e sempre procuramos dar a nossos leitores noticias e opiniões avalizadas. Sobre Israel, a região e o mundo judaico.

0 comentários:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não do Blog. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.Não publicamos comentários anônimos. Coloque teu URL que divulgamos