Paulo Maltz é presidente da FIERJ

Paulo Maltz  é presidente da FIERJ
De Paulo Maltz, presidente eleito da FIERJ: “Todos estarão convidados a participar e contribuir. Somos uma comunidade pequena, repleta de desafios e não podemos prescindir de nenhum judeu que queira unir-se a este esforço comum. Agora é arregaçar as mangas e fazer acontecer”.

Abaixo, alguns flagrantes das eleições da
FIERJ feitos por Robert PhotoReport no CIB:


Paulo Maltz  é presidente da FIERJPaulo Maltz  é presidente da FIERJ

Paulo Maltz  é presidente da FIERJ

Paulo Maltz  é presidente da FIERJ

Paulo Maltz  é presidente da FIERJ

Paulo Maltz  é presidente da FIERJ

Paulo Maltz  é presidente da FIERJ

Postar um comentário

1 Comentários

renato botelho disse…
Caro Paulo, li seu artigo antissemitismo ou antissionismo. Concordo com algumas posições e discordo de outras. Tenho grandes amigos judeus, respeito suas tradições e glórias. Como minhas origens vêm de Portugal admito que devo ter algum sangue judeu. Considero porém que a criação foi um fato discutivel. Podemos avaliar se os sacrifícios já ocorridos compensam os resultados. Mas isto já é hoje supérfluo, Israel existe e deve ser preservado. Esta é então minha preocupação. A política externa de Israel não tem horizonte histórico, olha o curto prazo, o dia de hoje. A supremacia militar que hoje existe e o apoio dos EUA são considerados eternos e imutáveis. Com uma população de 8 milhões de habitantes Israel é vizinho de uma comunidade de 1,6 bilhões de muçulmanos. O risco de nova destruição de Israel se mostra deste modo muito grande em escala histórica. O último embate com o Hezbola e o atrito com Obama mostram o perigo da visão de curto prazo. Considero que Israel deveria mudar o enfoque de sua política externa, passando a ter como objetivo a paz com os muçulmanos. Aliás as relações entre estas duas comunidades no passado histórico sempre foram amistosas, com pequenos conflitos sempre superados. Os judeus foram com os Árabes para a península ibérica e quando perseguidos pela inquisição fugiram, em grande parte, para paises muçulmanos. Estou certo de que esta posição é defendida também por muitos judeus, é questão de sobrevivência. Quanto a seu artigo discordo da conclusão, pois você dá a entender que todos que são contra Israel são antisemitas. Pelo que disse creio que você não me classificaria como antissemita ou antisionista. Minha preocupação é apenas a sobrevivência de Israel no futuro histórico.